quinta-feira, 29 de setembro de 2016

O amor próprio



É engraçado como ouvimos inúmeras pessoas falando sobre autovalorização, amor próprio, autoestima, etc., etc. e etc., e vemos também cada vez mais pessoas agarradas a ideias de não sou bom o bastante, e se eu mudasse esse meu jeito, e se eu ficasse mais extrovertido. Pode parar tudo gente, é hora de se olhar com mais cuidado. O amor está num lugar tão fácil de ser encontrado, sabe onde, dentro de você, é uma sementinha plantada que precisa ser regada diariamente, mas é você que tem que fazer esse trabalho, não entregue o regador na mão de outra pessoa, você é responsável por regar esse amor dentro de você, se valorizando sempre, seja no relacionamento profissional, familiar, amoroso.



Eu estou lendo um livro bem interessante chamado “O poder dos quietos”, este livro exemplifica como a sociedade quer nos moldar de acordo com as suas conveniências, e que pessoas introvertidas são colocadas à margem, porque ser introvertido é visto como algo negativo na personalidade. E todo esse processo de querer ser alguém que não se é, começa na infância, por ser preterido pelos mais “populares” e extrovertidos. Então, pensamos que para sermos amados precisamos mudar nossa personalidade, o nosso jeito de agir perante os acontecimentos, só assim seremos aceitos, e passamos a viver com uma máscara e anulando nossa personalidade para agradar o outro.



Você precisa se olhar com amor, isso parece muito clichê, mas é a mais pura verdade. Quando você estiver se sentindo desvalorizado, perdido, jogado para escanteio, pense nas suas qualidades, em tudo que você alcançou até hoje, em como você é uma pessoa amorosa, gentil, batalhadora, honesta, cuidadosa, sim, enumere as suas qualidades, todas elas, sem medo e sem vergonha de se sentir o máximo. A partir desse momento, você vai perceber seu valor, é simples assim.



Aquela sementinha de amor próprio que foi plantada começará a brotar, a água da vida será o amor que você nutre por você, todos os dias. Isto vai melhorar o seu relacionamento com você mesmo e com as outras pessoas. Ah, mas deixa eu te avisar uma coisa, como qualquer ser humano, você terá também dias de falhas, dias ruins e dias em que falar eu me amo e eu me basto soarão como uma mentira para os seus ouvidos, e estará tudo bem, porque a vida também é feita de dias de glória, mas também é feita de dias de solidão e tristeza, e é ai que mora a beleza, sem as nuvens escuras, talvez não valorizássemos um belo céu azul. 



É isso que todos nós temos que fazer todos os dias, devemos cultivar a semente do amor próprio regando-a diariamente, porém, assim como na natureza, a vida é feita de ciclos, haverá épocas de estiagem, onde algumas vezes esse amor próprio secará, mas se você continuar acreditando, volta a chover e ele volta a brotar, por isso, não abandone a sua vida na mão de outras pessoas, seja responsável pelo seu destino, o que acontecer vai ser o melhor para você, sempre no final, acontecerá realmente aquilo que deveria ter acontecido, não duvide disso, ame-se muito, e seja feliz.


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A importância da gratidão



“Gratidão: Celebrar cada momento. Celebrar o que se conquistou. E o que não se conquistou. Celebrar o que se tem. E o que se quer. Celebrar quem somos. Celebrar a vida. Celebrar. É uma bela forma de se agradecer.” Autor desconhecido.



Quando foi a última vez que você se sentiu grato? Você consegue se lembrar?

A gratidão é um sentimento que nos torna mais humanos e mais felizes, você começa a olhar para todas as coisas boas que você tem e passa a enxergar como foi agraciado. Mas, a gratidão pode vir também de algo que não deu certo na sua vida, porque se isso aconteceu, e você continua firme e forte, é porque você aprendeu e cresceu, então por que não ser grato também pelos tropeços da caminhada?



Segundo algumas pesquisas, pessoas que são gratas tem melhor saúde emocional, focam mais suas energias naquilo que elas possuem, e não ficam somente focando no que elas não têm. Praticando a gratidão diariamente passamos a assumir uma postura mais positiva diante da vida e das pessoas, e dessa forma conseguimos manter relacionamentos mais saudáveis com as pessoas e conosco.



Mas como eu posso exercitar a gratidão no dia a dia?



Eu comecei a fazer um exercício há pouco tempo, que nem lembro mais onde foi que aprendi, mas é super simples, e te ajudará a manter a conexão com o hábito de agradecer. Antes de dormir, eu sempre escrevo ou mentalizo três coisas da minha vida ou do meu dia pelas quais eu sou grata, pode ser uma coisa boba, como ouvir o barulho da chuva, ou ser grata pela minha família, saúde, entre tantas outras coisas.

Você também pode começar assim, agradecendo por coisas pequenas do dia a dia, uma conversa legal com um amigo, o ônibus que passou no horário, agradecer por aquele bolo que você comeu na sobremesa, por brincar com seu animal de estimação ou agradecer por ter conseguido comprar uma casa, uma bicicleta, sei lá. Existem tantas coisas pelas quais nós podemos agradecer que se formos enumerar perderemos de vista.



Ah, mas e as coisas ruins. Sem problemas. Analise-as, provavelmente você aprendeu alguma coisa com elas, sempre, em qualquer coisa, há um aprendizado. Agradeça pela experiência que essa “coisa ruim” te trouxe, olha só, hoje você cresceu e está mais forte. Portanto, quando você se sentir infeliz, negativo, olhando mais para o que você não tem, pratique a gratidão. Você vai sentir como o seu estado de espírito mudará rapidamente, seja grato, sorria, elogie, e vá abrindo caminho para o novo na sua vida.



“Gratidão não é apenas a mais rica das virtudes, mas sim a mãe de todas as outras.” Filósofo grego Cícero

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Não conte seus planos antes de concretizá-los



“Pode contar seus segredos ao vento, mas depois, não vá culpá-lo por contar tudo às árvores.” Khalil Gibran


Eu já ouvi este conselho diversas vezes, e vez ou outra, leio sobre isto em algum site, em algum post. Nós, muitas vezes confiamos demais em pessoas que pouco conhecemos e não tem como saber se elas realmente desejam a nossa prosperidade. Todos os seres humanos têm um pouco de inveja uns dos outros, nem sempre é aquela inveja doentia de querer o que o outro tem. Às vezes, apenas é aquele sentimento de inferioridade que chega perante a conquista do outro. São aquelas frases que se formam e que fazem com que nós nos sintamos inferiores:


-Nossa se este projeto de fulano der certo, ele vai fazer um bom dinheiro, e eu aqui nesse emprego que eu nem gosto.

-Caramba, se ela conseguir trocar de ramo, vai fazer sucesso e ser feliz. Que coragem! Acho muito arriscado, e se der tudo errado, eu nunca faria isso. Vou falar pra ela que isso é loucura.




E às vezes, sem querer as pessoas colocam uma carga negativa na história do outro, ou desencorajam com um gesto, uma fala ou um olhar. Por isso, devemos guardar nossos planos, desconversar sobre nossa vida. As poucas pessoas que realmente nos apoiam são as pessoas da nossa família, e creio que alguns poucos amigos, e olhe lá.

Se você tem um projeto, um plano, mantenha-o para você até dar os primeiros passos para concretizá-lo, mantenha-se em silêncio, peça ajuda, sugestões somente de pessoas que você confia plenamente e que você sabe que querem que você prospere. Depois quando você já estiver com pelo menos metade do caminho completo, naturalmente as pessoas vão ficar sabendo, mas você já estará com algo mais concreto e consolidado, assim menos vulnerável às energias negativas.




Eu sigo muitos canais de gente super legal no youtube, e percebi que as pessoas que realizam seus projetos e conquistam seus sonhos são aquelas que só contam a novidade depois que tudo está concretizado. Eu tinha uma mania de sair falando as coisas para os outros, e de uns tempos pra cá, eu tenho me vigiado um pouco mais. Torne isso um hábito na sua vida. Manifeste seu desejo somente para Deus, para o Universo e espere, trabalhe, vá atrás que Deus colocará a estrada debaixo dos seus pés, e ao seguir o caminho converse sobre os seus planos com o mínimo possível de pessoas. 


Existe uma estatística de que quanto mais pessoas sabem de nossos projetos menor é a probabilidade de que eles se realizem. Isso acontece também, porque muitas vezes estamos inseguros em relação aos nossos planos, então ao contarmos para alguém e sentirmos um ar de desaprovação, acabamos desistindo, porque naquele momento a motivação é cortada. Muitas vezes, as pessoas serão pessimistas em relação ao seu projeto, porque nós temos a tendência de projetar a nossa vida na vida do outro, e então damos a nossa opinião com o viés da nossa experiência de vida, considerando nossos acertos e principalmente nossos medos. 


Portanto, quanto menos falarmos melhor. Por exemplo, você sonha em abrir uma loja de pudins, ao comentar com um amigo que de repente não é muito fã de pudim, ele provavelmente dirá que pudim é complicado, tem gente que não gosta. E se você comentar com alguém que ama pudim, essa pessoa provavelmente falará para você ir fundo. Cada opinião foi baseada em uma experiência de vida que não necessariamente tem haver com você e com o seu momento, e como temos uma inclinação para o pessimismo, é capaz de considerarmos a opinião da pessoa que não gosta de pudim, e desistir, mas e se de repente, você fosse virar o rei do pudim, criar novas receitas, um canal no youtube, lançar um livro, já pensou nisso?




Por isso, divida seus sonhos e projetos com um número restrito de pessoas, conte somente nos dedos de uma mão, mentalize as coisas se realizando, tudo dando certo, siga seu coração, ouça a sua intuição, sonhe grande e vá à luta, eu te desejo muita, muita sorte!

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Estou desanimado, e agora?



Semana passada, ao passar por uns problemas no trabalho, eu me deparei com a seguinte mensagem:



“Quando você se observar, à beira do desanimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.

Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.

Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.

Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de ideias.

Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.

Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.

Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.

Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.

Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.

Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.” André Luiz





Quantas vezes em nossa vida somos pegos pelo desânimo, e acabamos negligenciando fatos importantes porque desanimamos de uma situação ou de alguém? Eu percebi que quando eu estou desanimada em relação a alguma situação, eu estou sempre colocando a culpa em terceiros, não vou me importar tanto, pois fulano nem liga, por que eu vou fazer isso tão certinho se sicrano nem reconhece ou valoriza, e de repente o desânimo começa a tomar conta numa proporção tão grande, e a inércia começa a invadir tomando conta de todos os espaços e tudo fica monótono e muito, muito parado.



Principalmente, no ambiente de trabalho,  às vezes, eu ajo assim e vejo muitas pessoas agindo da mesma maneira. Então, eu parei para pensar, que se eu quero mudar ou melhorar algo, eu tenho que primeiramente me propor a fazer melhor. Deixar de lado a inércia e arregaçar as mangas, orientar, ajudar, conversar, supervisionar. Mesmo que as pessoas não façam da maneira mais adequada, eu não posso desistir, não posso desanimar, senão as situações se tornam uma bola de neve que quando resolver descer ladeira abaixo, vai sair arrastando tudo que encontrar pela frente.





Quando você estiver se sentindo desanimado, seja verdadeiro consigo mesmo, pratique o autoconhecimento. Você pode tentar entender a causa do seu desânimo, se é algo externo, algo interno, da própria saúde, se tem haver com alguma pessoa, e só depois de avaliar estudar as alternativas de mudança para fazer as coisas fluírem novamente. Pergunte-se:



Qual é a verdadeira causa do meu desânimo?

Avalie com cuidado e serenidade o que pode estar te deixando desanimado. É a falta de reconhecimento, salário, incompreensão, gente folgada, sente-se cansado (pode fazer um exames para descartar doenças como anemia, por exemplo).



O que eu posso fazer para mudar esta situação?

Estude quais são as melhores formas de sair dessa situação. Por exemplo, você pode avaliar as situações/tarefas que você tem deixado em segundo plano e verificar o quanto elas são importantes e se propor a realizá-las.





Você pode também avaliar como mudar o seu dia e a ordem de suas tarefas.



Planeje o seu dia/suas tarefas

Eu tenho sempre a mão no ambiente de trabalho, uma agenda física (não me dou bem com as eletrônicas), onde eu marco todas as minhas tarefas diárias, e atualmente, eu estou me propondo a realizar todas que eu marquei. Dessa forma, eu sinto que meu dia acaba ficando mais produtivo, e eu perco menos tempo com coisas supérfluas.



Desânimo gera mais desânimo, que gera inércia e a vida estaciona

Isto é um circulo vicioso, quanto mais desânimo você deixar entrar na sua vida, mais desanimado você ficará e todo este estado gerará inércia, e assim, a vida vai parando. É importante ficarmos atentos a esses sintomas e ir trabalhando formas de diminuir o desânimo.



É normal que às vezes, nós nos sintamos desanimados frente aos acontecimentos da vida, o importante é tentar entender as causas deste desânimo e buscar alternativas para melhorar este estado. Algumas vezes as mudanças para sair do desânimo podem ser mais sutis, como uma mudança de comportamento, trocar o horário de uma atividade, ou podem ser mudanças mais radicais, terminar um relacionamento, trocar de emprego. Porém, você só vai chegar na melhor decisão depois de refletir e avaliar o que é melhor para você.