sábado, 31 de março de 2018

Decisão: Razão x Intuição

Quando você tem que tomar uma decisão, o que você pondera? Vai mais pela razão? Ou escuta a intuição? É sobre isso que iremos discutir no vídeo de hoje.


terça-feira, 27 de março de 2018

E se não tiver ninguém?

Quantas vezes você deixou de fazer alguma coisa que queria muito porque pensou: “ E se não tiver ninguém para ir comigo?”


Eu já, inúmeras vezes, e infelizmente ainda faço isso em algumas situações. Esse comportamento me fez refletir sobre todas as coisas que perdemos por esse medo de estarmos sozinhos em determinada situação, que pode ser uma coisa super básica, como uma ida ao cinema ou algo maior, como uma viagem internacional para um país onde nunca estivemos.

Talvez esse medo de estarmos sozinhos reflita diversos sentimentos que muitas vezes nem temos consciência da existência de cada um deles. Pode ser medo de se sentir rejeitado, algo como, olha lá sozinho, coitado, o rejeitado. Medo do olhar do outro, muitas vezes deixamos de fazer coisas que gostamos porque estamos preocupados com o que o outro irá pensar a nosso respeito, e olha às vezes o povo não está pensando nada, vai por mim. E ainda há outros medos, como solidão, inadequação, insegurança, que podem ter várias causas, e cabe a você se conhecer melhor para entender essas causas e poder trabalhar cada uma delas.





Algumas vezes, esse “e se não tiver ninguém” vai se expandindo para diversas áreas da vida, deixamos de fazer uma caminhada no parque porque não há ninguém para acompanhar, deixamos de ir comer naquele restaurante que amamos porque não há ninguém para sentar-se à mesa conosco, deixamos de participar daquele workshop de final de semana sobre aquele assunto que amamos, seja culinária, fotografia, esportes radicais, informática, música, porque imagina irmos sozinhos. A vida vai passando e vamos deixando sonhos engavetados, vontades não realizadas porque sozinhos não somos e nem estamos, porque sozinhos parecemos não pertencer ao mundo.



Caso, você esteja passando por situação semelhante, e isso te deixa infeliz, talvez seja hora de olhar mais pausadamente para essa situação e tentar entender qual é o motivo que faz com que você não queira realizar seus sonhos e vontades porque não pode fazer as coisas sozinho. Nem sempre será possível termos alguém do nosso lado, seja um parceiro, um amigo ou um familiar, às vezes, as pessoas estarão ocupadas com outros afazeres e não poderão, ou  apenas não querem nos acompanhar em nossas atividades, sonhos, e está tudo bem, desde que não paralisemos nossa vida por causa disso. Por isso, é importante reconhecer que você é um ser único e merece ser feliz, sozinho ou acompanhado. Portanto, reflita sobre seus sonhos e desejos, analise quais não saem do papel devido ao “e se não tiver ninguém”. Se for necessário, procure ajuda terapêutica para lidar com o processo de uma forma mais serena e tranquila.



Que tal hoje você listar algo que queira fazer, mas fica adiando porque não tem companhia. Pense em coisas simples, neste primeiro momento, e tente vivenciá-las. Vou contar pra você uma coisa muito boba que eu odiava fazer sozinha, que era ir comer sozinha em um local, quantas vezes deixei de entrar na minha loja de bolos preferida, porque não queria sentar na mesinha sozinha, parece fácil isso certo, mas para mim era um tormento. Desde que comecei a me conhecer melhor, entender os motivos que me faziam ter esse comportamento, fazer essas coisas tornou-se super tranquilo. Atualmente, não vejo problema algum em fazer isso estando sozinha. Por isso, os pequenos passos são importantes para esse destravamento inicial, hoje você vai ao cinema sozinho, ou vai comer um bolo sozinho, amanhã estará visitando a Índia, Nova York, Curaçao ou Israel, ou algum lugar bacana aqui no Brasil, quem sabe.





Lembre-se, e se não tiver ninguém, ainda há você, e você é uma pessoa e tanto.

terça-feira, 20 de março de 2018

Técnica do bilhetinho

Hoje, eu irei compartilhar com vocês uma dica muito importante que tenho utilizado no meu dia a dia. Eu a chamo de técnica do bilhetinho.
Na verdade, é uma atividade bem simples para nos relembrar durante a correria do dia a dia sobre nossos compromissos com nós mesmos.

Desde que eu comecei nesta jornada de autoconhecimento, muita coisa ficou bem mais clara para mim, sobretudo características do meu comportamento e da minha personalidade que eu sinto que me atrapalham um pouco. Uma dessas coisas é a minha tendência de realizar atividades e tomar decisões com precipitação, ou ainda, ficar muito nervosa com pormenores (lua em Áries, minha gente, rsrs). Antes de começar a yoga, meditação, terapia com a psicóloga, terapia floral, eu não tinha a menor ideia dessas coisas. Achava que era normal ser assim, vivia sofrendo e não tinha percepção nenhuma de mim mesma.



Hoje em dia, eu consigo perceber quando estou indo ladeira abaixo, geralmente eu percebo quando estou no meio da ladeira (nada é perfeito nessa vida), então eu tento consertar as coisas que já deram uma desencaminhada devido à minha afobação. Esses dias, eu passei por um momento desses, no qual eu deveria ter pensado um pouco antes de agir, mas decidi agir com precipitação e afobação, e depois fiquei pensando sobre o assunto. Resolvi então, colocar em prática a técnica do bilhetinho, que nada mais é do que escrever frases em bilhetes para relembrar durante o dia aquilo que queremos trabalhar em nós mesmos. No meu caso, eu escrevi uma frase para manter a calma, juntamente com um mantra de paz e tranquilidade que achei na internet. Meu bilhetinho ficou assim:

"Cuidado com a precipitação. Respire e faça as coisas com calma. Calma e tranquilidade são as ordens do Senhor. Calma e tranquilidade para receber amor."

Esse bilhete, eu deixo fixado em meu computador no trabalho. Você pode escrever bilhetes para qualquer coisa que queira melhorar. Por exemplo:

"Não esqueça de respirar e se alongar. Cuidado com a tensão nos ombros."
"Lembre-se somos iguais, ninguém é melhor do que ninguém."
"A crítica não é você. Lembre-se sempre disso."
"Não leve as coisas ao pé da letra, e tente não levar para o lado pessoal."



Você pode escolher a melhor frase para você. Crie suas frases de acordo com aquilo que você acha importante, mas a agitação diária faz você esquecer. Cole no computador, na geladeira, no criado mudo, na escrivaninha, sei lá, deixe à vista, e leia principalmente quando perceber que está prestes a sair do eixo, que vai se descambar ladeira abaixo. Isso ajuda a não fugirmos de nossos compromissos, daqueles compromissos que firmamos com nós mesmos para nossa melhoria.

Espero que você tenha gostado desta dica de hoje, bem simples, mas que ajuda de uma maneira inimaginável. 




quinta-feira, 15 de março de 2018

Como lidar com o medo


Se você acompanha o blog há algum tempo, deve saber que eu comecei a gravar vídeos com os mesmos assuntos que são tratados aqui no blog, até aí, tudo bem. O canal no Youtube ainda está devagar, com poucas visualizações e poucos inscritos. Mas, não tem problema, é um passo de cada vez.

Há algum tempo atrás, eu fiquei a fim de divulgar um vídeo lá do canal no Facebook, através de um anúncio pago. Eu fiz isso diversas vezes com textos, e, portanto não parecia nada demais. Escolhi o vídeo, fiz os tramites normais da operação, e na hora de clicar em “Impulsionar”, eu tremi na base. Eu senti um medo meio estranho. E por alguns segundos, meu coração disparou impulsionado por pensamentos como:

“Nossa, se eu divulgar esse vídeo, mais pessoas terão acesso às minhas ideias. E se elas me acharem estranha.”

“E se alguém criticar meu vídeo. E se alguém disser que não concorda com o que eu digo.”

“E se alguém me xingar a troco de nada.”

Eu respirei fundo, e pensei em desistir do anúncio. Então, milagrosamente, outros pensamentos começaram a se formar na minha mente.

“Se alguém te xingar, não concordar com você, te achar estranha, você terá que aprender a lidar com isso. Às vezes, precisaremos nos expor um pouco mais para alcançar um objetivo, e nesse caso, a divulgação é importante. Se alguém não gostar, não leve para o lado pessoal. E perceba que a crítica não é você. Vai lá, coragem!”



Então, fiz o que tinha que fazer. Paguei o anúncio, e fiquei a espera de resultados. Mas, o que eu quero te dizer com toda essa história, é que por mais que nós meditemos, tomemos florais, façamos terapias, os medos estarão aí, entrando e saindo de nossas vidas. O medo não vai desaparecer, na verdade, todos os processos terapêuticos, a meditação, irão lhe fornecer ferramentas para reconhecer o medo, e proceder da melhor forma para vencê-lo em determinada situação.

Mas, é possível acabar com todo o medo?

Atualmente, eu acredito que é possível lidar com o medo de uma forma mais inteligente e assim viver uma vida mais equilibrada, tanto fisicamente quanto emocionalmente. Existem os medos necessários (instinto de sobrevivência), que são não pular de um prédio, não tocar em um fio de alta tensão, não cruzar uma ponte que apresenta risco de queda, sem esse instinto de preservação, não restaria nada de nós. Isso é comum e bom, você está se preservando de sofrer injúrias e acidentes, e faz o melhor que está ao seu alcance. O medo é ruim quando ele começa a paralisar a nossa vida, você deixa de sair de casa, deixa de se relacionar, começa a andar na rua tenso ou em um estado de alerta constante, deixa de fazer coisas que tem vontade, por exemplo, gravar um vídeo ou expor um novo projeto para o chefe, entre tantas outras situações que paralisam a vida das pessoas.

Então como podemos lidar com o medo de uma forma mais equilibrada?

Raciocine sobre o que você está sentindo
Faça perguntas para si mesmo.
Tente compreender a causa do medo. Tente enxergar quais sentimentos estão por trás do que está fazendo você sentir medo. Podem existir 1001 motivos, como medo de ser rejeitado, medo de ser abandonado, medo de ser criticado, medo da exposição, é medo que não acaba mais, só olhando para ele e esmiuçando é que será possível entendê-lo e trabalhá-lo da melhor forma.

Terapia, terapia, terapia
Fazer terapia é muito importante para conseguir compreender o por que do medo estar limitando a sua vida.
Mas, eu não tenho dinheiro! Você pode dizer.
Ok. Procure o serviço de atendimento público de sua cidade, tente agendar um psicólogo, ou procure alguma instituição que preste o serviço de forma gratuita, ou com valores acessíveis. Você pode tentar também as terapias complementares, como terapia floral, PNL, pode inclusive complementar seu tratamento com um psicólogo juntamente com essas terapias. Existem diversos lugares que prestam atendimento de forma gratuita ou mais barato. É preciso ter força de vontade, pesquisar, ir atrás da informação.



Meditação, a mão na roda
A meditação é sim a mão na roda, é uma ajuda de grande valor. Quando você insere a prática de meditação na sua vida, a sua mente torna-se capaz de questionar com maestria os comportamentos que oprimem, as divagações entre passado e futuro. Você passa a conseguir identificar o padrão negativo. Só para te dar um exemplo, esses dias eu estava no trabalho, para ser bem exata, essa semana, e comecei a me lembrar de um evento que aconteceu em 2004, que me deixou desconfortável na época, e eu comecei a sentir as mesmas sensações e sentimentos daquele momento do passado, então eu me questionei: “Por que você está indo para o passado? Por que está remoendo uma história antiga? Onde você está agora é que interessa. Pare de viver no passado. Você está na empresa, trabalhando, é onde deve estar seu foco agora.”
Eu estava fazendo um trabalho de rotina, passando os dados de uma planilha física para o Excel, e de repente minha mente começou a vaguear em uma lembrança antiga, que me causou um desconforto, e em questão de segundos, lá estava eu, sentindo as mesmas emoções e sentimentos negativos daquele acontecimento de 2004 em 2018. Coisa maluca né? Pois é, sorte que consegui me desvincular e voltar para onde estava de verdade. Eu só consigo fazer isso devido à percepção que a prática da meditação traz. Por isso, eu sempre recomendo, e afirmo que vale muito a pena.

Mude sua alimentação
A comida não vai fazer você parar de sentir medo de uma hora para outra, mas a ingestão de nutrientes adequados podem equilibrar os níveis de ansiedade. Tente diminuir o consumo de açúcar e carboidratos refinados (farinhas, pães, massas, doces). Acrescente frutas e verduras em sua alimentação, oleaginosas, linhaça, chia. Vou deixar para você, o link de um site que gostei muito sobre alimentação. Vale a pena a visita!


Se exponha aos seus medos
A exposição aos medos de uma forma gradual é uma técnica muito utilizada na dessensibilização. É importante procurar uma ajuda profissional se você sentir insegurança, porque se a exposição for feita de modo incorreto, pode ao invés de ajudar, atrapalhar todo o processo, podendo piorar mais a situação. A exposição ao medo me ajudou em diversas fases da minha vida, por exemplo, eu venci o medo de escrever em um blog quando comecei a escrever em um, venci o medo de gravar vídeos quando comecei a gravá-los, venci o medo de perguntar fazendo perguntas, por isso, acho importante e muito proveitosa a técnica de se expor. Mas é claro, sempre respeitando os limites e a individualidade de cada pessoa.

“Todos os dias faça alguma coisa que você tem medo.” Eleanor Roosevelt



Espero que você tenha gostado das dicas, e espero que você consiga vencer os medos que te impedem de viver e paralisam sua vida. Um grande abraço!