quinta-feira, 28 de junho de 2018

Palavras-chave


Ter um blog é algo muito legal. Eu, pelo menos, gosto bastante. É uma forma de compartilhar minhas ideias, aquilo que acredito ou ainda, alguma coisa que foi muito boa para mim e que acho que de alguma forma pode ajudar as pessoas.

De vez em quando, eu paro para dar uma olhada nas estatísticas que a plataforma me oferece. Tenho acesso aos posts mais lidos, de qual rede social partem as entradas, consigo ter uma ideia dos países que acompanham o blog. Apesar, de afirmarem que as estatísticas do Blogger não são tão confiáveis, eu gosto de dar uma olhada nelas, e esses dias, como o tráfego no blog aumentou, eu tive acesso à sessão de palavras-chave, que são as palavras que as pessoas digitam nos sites de busca e que direcionaram ao blog, uma em especial me chamou a atenção. Na lista estavam as seguintes palavras: “Me sentindo perdida e triste.”

Ao ler estas palavras, imaginei quem seria essa pessoa, e se de alguma forma, o blog serviu como ajuda. De onde ela é, o que faz, o seu dia a dia. Inevitavelmente, vários pensamentos passaram pela minha cabeça, mas acabei pensando em como essas palavras-chave digitadas em um site de busca podem mudar a vida de alguém, para melhor ou para pior, dependendo do tipo de informação a que se tem acesso, e como nós, que escrevemos, que damos alguma dica, que compartilhamos o nosso trabalho, os nossos hobbies, acabamos mesmo que indiretamente sendo responsáveis por uma mudança de postura ou de visão.


Eu realmente não sei, se a pessoa encontrou algum auxílio por aqui. Eu espero que sim. Mas, pensando nestas palavras-chave, se você também, em algum ponto da sua caminhada se sentiu perdido e triste, saiba que provavelmente você não é a única pessoa deste mundo que passa ou passou por isso, e que procurar ajuda, talvez seja a melhor saída. Primeiro, tente entender quais foram os fatos que podem ter ocorrido e que colaboraram para esse sentimento de tristeza. Isso é importante, para que você possa visualizar em que ponto da sua caminhada isso começou, porque assim, você tem mais informações sobre si mesmo e sobre o que acontece, e então, ao procurar ajuda, você conseguirá desenvolver o melhor caminho para retomar a sua vida.

Não hesite em procurar ajuda. Eu posso afirmar com todas as letras que também me senti perdida e triste quando as crises de ansiedade ficaram frequentes na minha vida, e eu não hesitei em procurar ajuda psicológica, porque eu sabia, que um profissional iria me auxiliar a encontrar o melhor caminho, e foi isso que aconteceu. Sem desrespeitar minha personalidade, a profissional me auxiliou e eu fui desenhando a minha vida de acordo com aquilo que acredito. Minhas palavras-chave para achar meu caminho foram yoga, meditação, florais, terapias, cosméticos naturais, blog e tudo isso foi entrando na minha vida, porque eu abri espaço, e porque isso sempre teve a ver comigo. Para você pode ser cozinhar, pular de paraquedas, escalar o Everest, andar descalço na praia, sentar na grama, orar em silêncio, jogar futebol, bocha, fazer maquiagem, desenhar e costurar roupas. Só você consegue sentir, deixe que as palavras-chave sobre si mesmo invadam o seu pensamento.


Diga para si mesmo: “Quais são as minhas palavras-chave?”

Fique em silêncio e espere. As respostas virão. Elas sempre aparecem se você der espaço. Abra espaço na vida. Deixe-se preencher pelo novo. Abre alas que a vida quer passar, só que você tem que deixar ela avançar.

Eu deixei de me sentir perdida e triste quando descobri mais sobre mim mesma. Do que eu gosto, das coisas que me deixam feliz. Eu deixei de me sentir perdida e triste, quando entendi que sou a única responsável pela minha felicidade, e que eu posso decidir o que aceito e o que não aceito em minha vida, sem medo. Eu deixei de me sentir perdida e triste quando aceitei que tenho um monte de defeitos, mas também um monte de qualidades, deixei de me sentir perdida e triste quando parei para respirar e ouvir a alma falar, quando deixei de me importar com gostos e opiniões terceirizados. Foi um processo fácil? Não, na verdade não é um processo fácil, é contínuo, e possivelmente só acaba quando partimos.

Se você se sente infeliz com alguma coisa, não acostume-se com essa situação. Procure ajuda sempre. Eu desejo de coração que você encontre as suas palavras-chave e que no meio de todas elas, a palavra AMOR sempre prevaleça. O AMOR por si mesmo e pela vida, que é cheia de coisas boas, mas você precisa dar espaço para vivê-las.

Sorte para você!

terça-feira, 26 de junho de 2018

Fitoenergética. Você já ouviu falar?


Eu sou inscrita no canal do youtube da Amanda Dreher (clique aqui para conhecer) porque ela tem ótimos vídeos sobre meditação, neste mesmo canal, eu tive conhecimento da Fitoenergética, que de acordo com o e-book do Bruno Gimenes, desenvolvedor da técnica, é um sistema natural de cura, equilíbrio e elevação da consciência que, através da energia das plantas (fitoenergia), ajuda no equilíbrio das emoções e pensamentos, que ao estarem desequilibrados agem como causadores de doenças.



Eu ainda não comprei o livro do Bruno, mas pretendo comprar em breve, porque observei resultados muito interessantes com duas práticas de fitoenergética, uma para insônia usando o capim cidreira e outra para dor de cabeça usando o manjericão (eu me apaixonei pelo manjericão, rs). Essa técnica  é muito útil para muitas pessoas, no youtube você pode encontrar depoimentos de pessoas que tiveram uma melhora significativa em diversos problemas de saúde, eu estou realmente encantada e por isso resolvi compartilhar as duas práticas que me ajudaram.


Uma das coisas que você deve saber antes de realizar alguma prática de fitoenergética é que não se trata de fitoterapia, na fitoenergética será utilizado o campo energético da planta e não o seu princípio ativo. Eu posso garantir que faz efeito, porque eu testei. Quando usei o manjericão para dor de cabeça, a dor foi sumindo aos poucos, assim que terminei a prática, senti ainda a cabeça pesada em um ponto, até fiquei um pouco desanimada, mas cerca de uma hora depois, a dor simplesmente desapareceu, sem uso de nenhum analgésico, e eu dormi tranquila e muito feliz. E fiz do manjericão minha nova paixão, não paro mais de dar um cheiro nele, rsrs.



Eu vou deixar para você, o link para o e-book gratuito “Chaves para ativar o poder oculto das ervas”, fazendo o download deste e-book, você vai ter acesso a algumas informações importantes sobre a fitoenergética, e se assistir alguns vídeos, como da Amanda Dreher, da Patrícia Cândido ou do Bruno Gimenes dá para fazer algumas práticas em casa, e aproveitar os benefícios da técnica.

Link para o e-book: clique aqui

Eu espero que a fitoenergética possa te ajudar como tem me ajudado. Acho que não custa nada tentar. 


A técnica deste vídeo eu fiz em uma fase que não conseguia dormir bem.
Fez efeito!



Este outro é o do manjericão para dor de cabeça.
É impressionante! Me apaixonei de verdade pela fitoenergética. 

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Alguém quer tirar o seu melhor


Um dia desses, eu estava conversando com uma amiga que estava se sentindo muito triste devido ao comportamento de uma outra pessoa. Essa amiga é uma pessoa muito simpática, está sempre sorrindo, e foi maltratada por uma outra pessoa. Enquanto, ela me contava o que tinha ocorrido, eu me lembrei de uma música da banda Foo Fighters chamada “Best of you”. No refrão, é repetido diversas vezes: “Alguém está tirando seu melhor”, mas não no sentido positivo, e sim negativo. Sabe quando você tem uma característica boa muito marcante e positiva, e algumas pessoas nem sempre conseguem conviver harmoniosamente com isso que pode estar faltando nelas, e num ato, às vezes inconsciente ou não, elas fazem de tudo para tirar essa característica positiva sua, seja te magoando com um comentário maldoso, uma brincadeira sem graça, seja com arrogância.



Pois é, assim elas tiram seu melhor. Num ato muito rápido. E se você não tiver certeza de quem você é, você dá permissão para que elas invadam o seu espaço e arranquem o seu melhor, que pode ser o seu sorriso, sua simpatia, sua paz de espírito, e como diz a música, a sua confiança, a sua fé. Uma das coisas que aprendi ao longo deste tempo, é que sim, eu posso sentir raiva, chorar por estar triste com algo que alguém me fez, mas depois de processar tudo isso, eu não dou mais permissão para essa pessoa invadir o meu mundo com as negatividades dela e tirar o meu melhor. Se a gente for pensar com carinho, as pessoas só nos magoam e abalam nosso emocional porque nós de alguma forma permitimos isso. Na música inclusive, tem uma parte que diz o seguinte: "A minha mente me oferece vida ou morte. Mas eu não consigo escolher." Trazendo aqui para a nossa reflexão, então, é na sua mente que reside o poder de mudar a situação, só que você deve escolher, o que fica e o que sai, e o que pode te ferir. Você consegue escolher?



Você já pensou nas pessoas que têm te magoado?

Quem são elas?

Você tem dado permissão para pessoas que nem fazem parte da sua vida tirarem o seu melhor?



Pare um pouco para pensar a respeito disso.

Se isso está acontecendo com você, vou te dar a mesma dica que dei para minha amiga:



“Chore, sinta raiva. Depois, respire e volte-se para si mesmo. Lembre-se de quem você é. Agora, olhe para essa pessoa. Ela é realmente importante na sua vida para você deixar que ela abale seu emocional? Ela é realmente importante para que você deixe ela tirar o melhor de você? E mesmo, que essa pessoa ainda fosse alguém muito importante para você, algumas considerações ainda deveriam ser feitas, porque alguém só pode nos ferir até onde permitimos que a espada seja cravada. Você pode mudar a chave quando quiser, e parar o processo. Ninguém é obrigada a ser depósito de detritos de ninguém. Você sempre tem uma escolha.”



Portanto, pondere, faça escolhas emocionais conscientes. Nunca perca de vista a sua essência, seja ela qual for, é sua, e ninguém tem o direito de tirar isso de você. Pense nisso!

Vou deixar aqui, o vídeo da música "Best of you" com legenda para você. 
Começa aos 50 segundos ;)

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Andando por aí – Embu das Artes


Embu das Artes é um município da grande São Paulo que está localizado a cerca de 25 km da cidade de São Paulo. A cidade é conhecida principalmente pela feira de artesanato que acontece durante os finais de semana.

Eu estive lá no mês de abril e adorei passear pelo centro da cidade. Se você não sabe para onde ir no próximo final de semana. Que tal conhecer Embu das Artes, eu acredito que você não irá se arrepender. Mas, o que fazer por lá? Vou descrever para você o que eu fiz durante o dia que estive lá, mas você pode entrar em outros sites e blogs e tentar montar o seu roteiro de um jeito que mais te agrade. Vamos lá?

Passeio pelo centro e feira de artesanato
Eu acho que essa é a principal atividade para se fazer em Embu das Artes. Logo ao chegar na cidade você dá de cara com as barracas de artesanato, e tem de tudo, tapetes, acessórios hippies, cristais e pedras, quadros, algumas roupas, objetos de madeira, enfeites. Além das barracas de rua, tem as lojas. Algumas oferecem uma verdadeira viagem no tempo, com objetos antigos, outras com objetos de decoração mais modernos e mais caros. Mas, tem para todo gosto. O jeito é andar mesmo e perguntar, porque tem algumas peças de artesanato muito caras, e varia muito de uma loja para outra. No centro também tem um Museu de Arte Sacra, mas eu não visitei, então se for, analise se para você vale a pena.


Museu de Arte Sacra




Almoço e Música ao vivo
Almoçar em Embu não é difícil, sempre tem alguém entregando panfleto de restaurante, mas tome cuidado, a comida é boa, mas o preço é salgado. Eu fui em um restaurante que cobrava por pessoa, e achei que a conta ficou bem cara. Depois que já tinha almoçado, vi na mesma rua um restaurante self service pela metade do preço. Então, não se afobe, e dê uma pesquisada. No horário do almoço, alguns restaurantes oferecem música ao vivo. Se você gosta de comer e beber ouvindo música boa, talvez goste. Pelo menos no dia que eu fui, as canções valiam a pena.

Exposição de quadros na praça
Na praça do centro, alguns artistas expõem seus quadros para venda. É uma galeria a céu aberto. O local é bem agradável, com bancos para sentar, um coreto bem simpático, dá para ficar alguns minutos por lá tomando um sorvete e olhando o movimento, assim mesmo, olhando a vida passar.


Simpatia do pessoal
A simpatia das pessoas da cidade me chamou a atenção. Os lojistas, artesãos, funcionários dos restaurantes foram todos muito simpáticos. Não era uma simpatia forçada, algo leve e descontraído. Achei essa característica bem interessante.

No mais, Embu das Artes é uma cidade bem legal e agradável. Artesanato, música ao vivo, boa comida, pessoas simpáticas, então, está esperando o que para visitar a cidade, é um passeio que vale a pena.





Como chegar?
Eu fui de Uber, porque onde moro é mais perto de Embu das Artes, pois já moro na grande São Paulo, mas se você vem de São Paulo, o acesso mais fácil é pela Rodovia Régis Bittencourt. Dá para chegar na cidade através do transporte público, para isso, consulte o site da EMTU para ver quais as linhas intermunicipais que saem da cidade de São Paulo para Embu das Artes, e aproveite o passeio.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Você quer respostas rápidas?

Nós vivemos em um mundo que clama por respostas rápidas. O mundo das mensagens instantâneas em diversos aplicativos. Dois tiques, tique azul, visualizado em..., confirmação de leitura. Por que você não me respondeu? Tomou chá de sumiço? Cadê você? Exigimos muito dos outros. Exigimos de nós mesmos ao dar uma atenção que às vezes não conseguimos. 


Esses dias, eu estava pensando: “Ainda bem que a vida não tem whatsapp” Já imaginou a gente com essa síndrome de miojo, pronto em 3 minutos, como encheríamos a paciência da vida:

- Vida, como assim, você leu o que te pedi? Você visualizou a minha necessidade? Vida, eu vi, você leu. Por que não responde agora?

Na vida não há respostas rápidas, e acho que ela está pouco se lixando para a nossa necessidade de imediatismo. Em geral, quando queremos que a vida nos dê respostas rápidas estamos sofrendo de ansiedade, e não estamos sabendo confiar nela e em nossa própria capacidade. Confiar na vida, não é deixar de agir. É agir conscientemente, respirar, meditar sobre a situação, e agir com consciência e não enfiando os pés pelas mãos, porque poxa, que demora.

Mas, como confiar na vida? Esperar sem ser apático? Vamos analisar um exemplo:

1-Você quer muito um trabalho. Você envia seu currículo. Você conversa com alguém que pode te indicar. Agora, você espera. Você já fez o que era sua parte. Mas, você quer resposta para o tique azul da vida. Então, você resolve ligar para o RH da empresa, cinco vezes no dia, para saber por que eles ainda não te ligaram, a probabilidade do pessoal da empresa se irritar e te descartar é grande. Você tenta criar atalhos, que se não forem criados com consciência te levarão para o precipício, e não para o tão sonhado emprego.


Neste exemplo, a pessoa fez a parte dela, mandou o currículo, ligou uma vez,  não ficou na inércia certo? A pessoa se empenhou, e isso é correto. Só que chega uma hora que você tem que acalmar e esperar. Não dá para ficar querendo respostas instantâneas o tempo todo, e no caso da vida nem sempre você vai ter respostas imediatas. Quanto mais você forçar, mais ansiedade você irá criar em você. Menos confiança e mais preocupação. E não é isso que você quer certo? Você quer paz e tranquilidade, e isso a gente só consegue quando estamos seguros, confiantes e pacientes.

Tente entender o que está por trás dessa necessidade de respostas rápidas, além da ansiedade, existe medo ou alguma crença negativa? Respire e analise profundamente a situação pela qual você quer resposta.  Quando você força passagens, arromba portas, a vida pode até te responder, mas em geral, não será da forma mais adequada. Hoje, eu te convido a analisar essa necessidade de respostas imediatas tanto da vida, como das pessoas, o que está por trás dessa ansiedade, insegurança e falta de confiança? Calma, respira, deixa a vida se encarregar do melhor. Dance no ritmo, sem precisar pisar no pé de ninguém. Faça a sua parte, sem forçar o rio da vida, deixe-o fluir e confie!

“Então, não lute – flua. Não force o rio – flua com ele. A dança é bela. Mas você deve estar totalmente nela – este é o ponto.” - Osho

segunda-feira, 18 de junho de 2018

A vida sempre encontra um meio


Essa frase é do filme Jurassic Park, mas não é dele que quero falar hoje, na verdade é de um outro filme que assisti recentemente no cinema (desculpe leitor sempre citar filmes, mas eu amo cinema, então...). O filme chama-se “Eu só posso imaginar”, e conta a história de um cantor e de como seus problemas familiares de alguma forma o ajudaram a escrever uma das músicas mais tocadas de todos os tempos.


Me lembro, que estava acompanhada da minha irmã, e comentei o seguinte com ela, ao assistir uma cena de acidente durante um jogo de futebol americano no filme: “A vida sempre encontra um jeito de te colocar na rota do seu destino. Ela sempre encontra um jeito de fazer você viver aquilo que está no seu caminho, quando você desvia, ela te coloca novamente na rota.” Então, associei à esta frase do filme Jurassic Park, a vida sempre encontra um meio. Você já pensou, em quantas coisas que pareciam ruins assim que você as viveu, mas hoje, você as enxerga como bênçãos porque elas te ajudaram a realizar seus sonhos, encontrar novos caminhos, viver sonhos que pareciam distantes. Quando eu comecei a sofrer com ansiedade anos atrás, eu não imaginava que minha vida mudaria para melhor. 


Trailer do filme "Eu só posso imaginar"
Deixe que a dor se torne a sua inspiração - Frase do filme

Penso, que talvez esse tenha sido o jeito da vida de me colocar novamente no caminho. Quem sabe, onde eu estaria, com quem estaria ou como estaria se não tivesse passado por um momento ruim. Eu tenho quase absoluta certeza, que você que lê estas linhas agora, já deve ter passado por coisas ruins que na hora que aconteceram te deram medo, angústia, incerteza, mas hoje, você já consegue olhar para elas de uma outra forma, sim ou não?

Se neste momento da sua caminhada, você estiver passando por alguma situação delicada para você, sinta, se talvez de alguma forma, você não desviou do caminho do seu coração, e agora através disso, que parece muito ruim neste momento, você não retorne novamente para o seu destino. Talvez, esse seja o meio que a vida encontrou para te trazer novamente para o seu propósito e missão de vida. Quem sabe!


Preste atenção neste movimento da vida, porque ele pode ser muito sutil, se você estiver desatento talvez não perceba, ela te encaixando em novas situações, ela te direcionando para seu propósito maior, ela (a vida) pode se mover vagarosamente, às vezes, mais rápida, te dando um chacoalhão quando você não consegue percebê-la. Atenção, a vida quer que você volte para o caminho que a sua alma deseja, e você escolhe o quê?

Lembre-se, a vida sempre encontra um meio.