Escrita terapêutica - Como escrever pode te ajudar no processo de autoconhecimento

Uma das coisas que eu faço com frequência é escrever sobre o que eu estou sentindo. Quando me sinto confusa, com algum sentimento preso na garganta, eu gosto de escrever. Eu percebi que escrever me ajuda muito a entender os meus sentimentos. O processo consiste em escrever sem julgamento tudo aquilo que está me incomodando, ao mesmo tempo que escrevo, faço perguntas silenciosas para mim mesma, com o objetivo de extrair um pouco mais do sentimento, e assim vou transferindo as respostas para o papel.

Às vezes, escrevo pouco, somente algumas linhas, outras vezes, páginas inteiras. Esse processo eu apelidei de "cadernoterapia", palavra que provavelmente nem existe no dicionário, mas que traduz o que escrever significa para mim. Caderno + Terapia, duas palavras que me ajudam de montão no dia a dia. Esse processo é conhecido como escrita terapêutica, afinal, escrever é um processo que leva ao autoconhecimento e transformação. Ao escrever e depois ler, você conseguirá olhar para o problema com um novo olhar, que pode fazer com que você pense em novas alternativas, soluções, e até perceber que esse monstrão que você criou nem é tão grande assim, e que sua mente confusa, enxergou a sombra enorme do monstro e não conseguiu ver o seu tamanho real.



Se no momento, você não tem com quem desabafar, que tal tentar escrever tudo o que sente em uma folha de papel ou em um caderno destinado para isso? E faça desse recurso algo que você pode usar a seu favor, para o seu autoconhecimento. Eu costumo escrever e depois de ler e assimilar as informações, eu rasgo a folha e jogo fora, mas você pode guardar para ler em um outro momento, se desejar. Além de te ajudar com as emoções, escrever com papel e caneta, vai te ajudar a melhorar o vocabulário, a sua comunicação também melhora. Nos tempos atuais, escrevemos muito pouco, com os avanços tecnológicos (muito bons por sinal) nós deixamos de escrever a mão, estamos sempre escrevendo e-mails, mandando mensagens eletrônicas, a boa e velha carta, virou saudade do passado, e só vemos sua representação em filmes e séries de época.

Você consegue lembrar da sua letra? Sua caligrafia? Vamos escrever novamente? Que tal começar digerindo suas emoções e sentimentos? É uma boa não é? Chegue em casa, e escreva sobre o seu dia no trabalho, os desafios que enfrentou. Sobre o que te magoou ou o que te deixou feliz. Pergunte a si mesmo sobre o por que de você estar se sentindo assim. Responda para o seu amigo, o caderno, e sinta a transformação acontecer. Lembrando que não é mágica, é um processo, e como todo processo, precisa de disciplina e entendimento para produzir bons resultados. Se você conseguir cultivar esse hábito irá notar mudanças muito positivas em sua vida.



E para te ajudar, neste processo, que tal ouvir "O Caderno" do Toquinho? Mão na massa e escreve, quem sabe disso aí não sai um blog, um post para o Facebook ou um livro, hein. Gostou da dica, compartilha!!!

O Caderno - Toquinho


Sou eu que vou seguir você 
Do primeiro rabisco até o be-a-bá. 
Em todos os desenhos coloridos vou estar: 
A casa, a montanha, duas nuvens no céu 
E um sol a sorrir no papel.
Sou eu que vou ser seu colega, 
Seus problemas ajudar a resolver. 
Te acompanhar nas provas bimestrais, você vai ver. 
Serei de você confidente fiel, 
Se seu pranto molhar meu papel.
Sou eu que vou ser seu amigo, 
Vou lhe dar abrigo, se você quiser. 
Quando surgirem seus primeiros raios de mulher 
A vida se abrirá num feroz carrossel 
E você vai rasgar meu papel.
O que está escrito em mim 
Comigo ficará guardado, se lhe dá prazer.
A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer.
Só peço a você um favor, se puder: 
Não me esqueça num canto qualquer.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

As peças que a vida nos prega

Quando nosso balão esvazia - Ações alinhadas para se reconectar

Como descobrir a sua essência