segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A opinião alheia e as nossas decisões



“Aceita o conselho dos outros, mas nunca desistas da tua própria opinião.” Willian Shakespeare



Ouvir o que os outros têm a dizer sobre determinado assunto da sua vida é muito importante, amplia as reflexões, algumas vezes traz novas perspectivas. Mas, nós devemos tomar cuidado quando sempre pautamos as nossas decisões com base na opinião alheia. Na grande maioria das vezes sabemos qual decisão tomar, mas passamos para o outro a responsabilidade da decisão, por insegurança, por medo ou até para ter alguém para culpar se no final as coisas não derem certo.



Eu sempre gosto de ouvir a opinião das pessoas quando eu pergunto sobre um assunto que tenho que resolver, ou quando estou passando por algo em minha vida, e fico indecisa sobre qual postura tomar, mas na maioria das vezes em que eu me guiei excessivamente pela opinião de outras pessoas eu quebrei a cara, porque lá no fundo eu sabia o que era certo para mim, mas resolvi me guiar com base na experiência de outras pessoas, e o resultado não foi muito legal. Às vezes, eu ouço algumas opiniões contrárias às decisões que eu tomo, mas eu sinto que essas decisões são as mais adequadas para mim, porque analisando os possíveis resultados, positivos ou negativos, eu me sinto plena, feliz e segura, pois tomei a melhor decisão neste momento.



Mas, então, não devo perguntar mais nada para ninguém e decidir tudo sozinho?



Não, você pode perguntar a opinião das outras pessoas, mas deve antes de tudo avaliar a situação de acordo com a sua perspectiva, e depois ir acrescentando os bons conselhos na sua decisão. Não aceite a opinião alheia somente com o intuito de agradar, pois isso é um passo largo em direção ao fracasso, pois você estará guiando a sua vida pelos caminhos de outras pessoas. É preciso se conhecer, seus pontos fracos e seus pontos fortes, e então perceber qual é o melhor caminho daqui pra frente. Não tome as suas decisões pautado no medo, na insegurança, na fuga, na incerteza, tome as suas decisões na sua plenitude, e não deixe as outras pessoas tomarem as rédeas, deixe-as sugerir, aconselhar, mas no final decida você.



Vá em direção daquilo que faça o seu coração bater mais forte, sim, você pode considerar os prós e contras, até porque as flores mais belas também têm seus espinhos, então, até aquela decisão que parece a mais acertada pode te trazer alguns contratempos, mas lembre-se que esta foi a sua decisão, não de outras pessoas. Perceba a sua responsabilidade dentro de todo o contexto, e não se preocupe se a sua decisão não segue o padrão da maioria, até porque nem sempre a maioria está certa.





Tem um texto do Padre Fábio de Melo que gosto bastante, que se chama “Só dê ouvidos a quem te ama”, vou colocá-lo abaixo, mas antes eu gostaria de fazer uma ponderação sobre este texto, pais, namorado, namorada, esposo, esposa, irmãos é certo que somos amados por eles, ok, então você deve ouvir sim o que eles têm para te falar, um conselho, uma observação, mas nem sempre eles acertam quando dão uma opinião, afinal também são seres humanos cheios de falhas e cheios de acertos. É muito bonito dizer, só dê ouvidos a quem te ama, mas só tome cuidado para não basear as suas decisões sobre as expectativas de quem te ama. Se preocupe com essas pessoas, ame-as do mesmo modo, mas na hora de tomar as suas decisões concentre-se no que é mais importante e naquilo que você tem a certeza de que é melhor para você, não com egoísmo, mas com autoconhecimento.





Só dê ouvidos a quem te ama



Só dê ouvidos a quem te ama. Outras opiniões, se não fundamentadas no amor, podem representar perigo. Tem gente que vive dando palpite na vida dos outros. O faz porque não é capaz de viver bem a sua própria vida. É especialista em receitas mágicas de felicidade, de realização, mas quando precisa fazer a receita dar certo na sua própria história, fracassa.
Tem gente que gosta de fazer a vida alheia a pauta principal de seus assuntos. Tem solução para todos os problemas da humanidade, menos para os seus. Dá conselhos, propõe soluções, articula, multiplica, subtrai, faz de tudo para que o outro faça o que ele quer.

Só dê ouvidos a quem te ama, repito. Cuidado com as acusações de quem não te conhece. Não coloque sua atenção em frases que te acusam injustamente. Há muitos que vão feridos pela vida porque não souberam esquecer os insultos maldosos. Prenderam a atenção nas palavras agressivas e acreditaram no conteúdo mentiroso delas.
Há muitos que carregam o fardo permanente da irrealização porque não se tornaram capazes de esquecer a palavra maldita, o insulto agressor. Por isso repito: só dê ouvidos a quem te ama. Não se ocupe demais com as opiniões de pessoas estranhas. Só a cumplicidade e conhecimento mútuo pode autorizar alguém a dizer alguma coisa a respeito do outro.

Ando pensando no poder das palavras. Há palavras que bendizem, outras que maldizem. Descubro cada vez mais que Jesus era especialista em palavras benditas. Quero ser também. Além de bendizer com a palavra, Ele também era capaz de fazer esquecer a palavra que amaldiçoou. Evangelizar consiste em fazer o outro esquecer o que nele não presta, e que a palavra maldita insiste em lembrar.
Quero viver para fazer esquecer... Queira também. Nem sempre eu consigo, mas eu não desisto. Não desista também. Há mais beleza em construir que destruir.

Repito: só dê ouvidos a quem te ama. Tudo mais é palavra perdida, sem alvo e sem motivo santo.
Só mais uma coisa. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. Quem geralmente acha não achou nem sabe ver a beleza dos avessos que nem sempre tu revelas.
O que te salva não é o que os outros andam achando, mas é o que Deus sabe a teu respeito. Padre Fábio de Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário