quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Inspira, expira, INSPIRA-AÇÃO

Você já parou para pensar no seu movimento respiratório?
Todos os dias, ele se repete, você inspira e expira e o ciclo continuará neste ritmo até os seus últimos dias. Agora, você já parou para pensar em como esse movimento respiratório é inspirador, e não estou me referindo somente ao movimento do ar, eu me refiro à INSPIRAÇÃO, que tem a ver com a capacidade criativa, são aquelas ideias repentinas, aquele momento em que a luz se acende sobre a mente, e pronto a mágica acontece, e ela só acontece porque o ar resolveu entrar em seus pulmões e oxigenar seu cérebro, assim você cria porque vivo você está. Essa mágica pode ser aquele texto inspirador, aquela foto cheia de significado, aquela comida que leva ao céu, aquele quadro tão colorido, aquela música no violão, entre tantos outros trabalhos criativos. Você respira (expira e inspira) e o ar entra em seus pulmões, o que te dá inspiração para criar, fazer, ser. 


Por isso, eu te pergunto:

O que você tem inspirado (colocado para dentro de você) nos seus dias? O que tem te inspirado, além do oxigênio que o mantém vivo? O que você coloca para dentro de você e o que você coloca pra fora? O que você inspira? O que você expira além do ar?

Na nossa rotina somos bombardeados o tempo todo, com informações, imagens, pessoas, ideias de todo o tipo, tanto positivas quanto negativas. Algumas chegam de uma forma que nem percebemos, às vezes, nem dá tempo de se esquivar, mas outras podemos muito bem selecionar.

O que te inspira? De verdade, quem te faz ser melhor? Quem te faz querer produzir coisas boas? Quem te faz sorrir e pensar na vida? Quem te faz ter vontade de fazer um curso e se especializar? Quem ou o que te faz correr atrás dos sonhos, voltar a caminhar, amar?

Quem te faz inspirar?


Quando a gente se inspira, automaticamente a gente inspira, porque por mais que às vezes não saibamos tem sempre alguém olhando para a gente, é claro que esse olhar pode ser negativo, mas prefiro eu, focar nos positivos. Quem você inspira com sua ação? Inspira-ação, aquilo que te move, te tira da inércia, aquilo que move os outros e os tira da inércia.

O que você tem feito para inspirar?
Ah, sei lá, nada. Será mesmo?
No seu trabalho, um cabeçalho novo em um documento, uma cor nova em um texto, aquele bom dia carinhoso acompanhado de uma xícara de café, aquele sorriso de manhã. Em sua casa, aquele prato de sopa quentinha no inverno, aquela roupa com cheirinho de amaciante, aquela planta que sorri quanto te vê. Aquele seu texto no Facebook, aquela foto no Himalaia ou no bar da esquina, isso tudo meu amigo, inspira. Alguém te vê, alguém te inspira, alguém se inspira em você. Sempre que você pensar em desistir de um hobby, de um projeto, da sua rotina, lembre-se sempre:

INSPIRA - EXPIRA - INSPIRA-AÇÃO

Eu te convido a inspirar um mundo melhor, nos dois sentidos do verbo :)




segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Culpa excessiva - Como lidar com esse sentimento

Você sente muita culpa? Está sempre se desculpando pelas coisas?
Sente culpa pelo o que faz ou pelo o que deixa de fazer?
Sente culpa pelas decisões que toma? Pelas coisas que dão certo (sim, tem gente que sente culpa até quando a vida vai bem), pelas coisas que dão errado?

Por que nos sentimos tão culpados?
Em geral, a culpa excessiva tem a ver com a baixa autoestima, com sentimento de inadequação, com aquela sensação de não merecimento (exemplo rápido, seus pais sempre estiveram na pindaíba, e ao se responsabilizar pela sua vida financeira, você começou a prosperar, mas sente culpa por isso, porque não se sente merecedor, pois criou uma crença sobre dinheiro que veio da infância e se boicota) e também com aquela sensação de achar que tudo é de nossa responsabilidade e que não podemos falhar com ninguém (o que é meio impossível, pois cada pessoa percebe o mundo de uma forma diferente, o que para você é uma falha gigantesca para o outro pode ser percebido como um simples equívoco). Diante deste cenário, precisamos parar um pouco e respirar para perceber, que nem tudo é nossa responsabilidade, nós vivemos com outras pessoas e muitas vezes dependemos das decisões dessas outras pessoas (por exemplo, no ambiente de trabalho), e portanto, nos sentirmos sempre culpados pode ser um gasto de energia muito grande o que acaba prejudicando a nossa vida, porque estaremos quase que o tempo todo questionando alguma palavra, alguma ação, mas isso, não de uma uma forma positiva e consciente, mas de uma forma extremamente crítica e negativa, o que pode acabar por minar cada vez mais a autoestima já fragilizada.


Eu me lembro que durante muito tempo, eu me sentia muito culpada quando algum problema ocorria no trabalho. Por trás de tudo isso, existia uma necessidade de que os outros me vissem como uma profissional perfeita, além da autoestima que não era tão boa, e fazia com que eu questionasse o meu valor e me sentisse culpada por coisas bobas.

Em todos os casos, seja no ambiente profissional, relacionamento afetivo, familiar ou nas amizades, é preciso que analisemos todas as situações com calma, para poder perceber se o que aconteceu é nossa responsabilidade ou não, ou se ainda, podemos compartilhar essa responsabilidade por um erro/equívoco com outras pessoas. Só que isso é um exercício para ser feito a vida toda, principalmente se sentir culpa faz parte da sua personalidade. Antes de tudo é preciso fortalecer a autoestima, seja através de terapia, leituras, palestras, é preciso ainda, se conscientizar de que assim como as outras pessoas você também não é perfeito, e tirar esse peso dos ombros pode ajudar muito.

Mas, como sair dessa vibração da culpa? Eu vou compartilhar com você duas sugestões que podem ajudar muito.



A primeira é:

Pratique Ho'oponopono
Segundo o livro Limite Zero, do autor Joe Vitale, o Ho'oponopono é um processo de nos desfazermos das energias tóxicas que existem dentro de nós para possibilitar o impacto de pensamentos, palavras, realizações e ações Divinos. Eu costumo praticar o Ho'oponopono da seguinte maneira:

Para mim mesma: Digo meu nome e depois repito: - Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata.

Para uma situação: Digo a situação que me incomoda e depois repito: - Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata.

Faça o teste com a prática do Ho'oponopono e sinta se faz sentido para você. Repita até que você consiga se sentir melhor, mais leve. Para mim, ajuda bastante.

A segunda é:

Terapia floral - Floral Pine
De acordo com o livro "Os remédios florais do Doutor Bach", o floral Pine é o floral para aquelas pessoas que sentem culpa, até quando as coisas vão bem. Estas pessoas estão sempre se questionando, achando que deveriam ter feito as coisas de uma outra forma, e nunca estão satisfeitas com seus esforços e seus resultados. São pessoas que têm a tendência de trabalhar demais e sofrem demais com erros que atribuem a si mesmas, assumem os erros dos demais.

Os sintomas chaves de pessoas tipo Pine são a autocensura, sentimento de culpa e o abatimento. 

Segundo a autora  Mechthild Scheffer, no livro "Terapia Floral do Dr. Bach", as pessoas do tipo Pine podem utilizar algumas afirmações positivas que também podem auxiliar no tratamento, pode-se repetir frases como:

"Amo a mim mesmo exatamente como sou."
"Eu me perdoo, pois já fui perdoado há muito tempo."
"Nasci e já fui redimido."
"Cada erro é um degrau que nos aproxima de Deus."

Veja o que funciona para você, o que tem ressonância com sua alma e sua personalidade e eu espero de coração que você consiga lidar com esse sentimento da melhor forma possível.


segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Vontade de desistir: como recuperar a motivação

Você já teve vontade de desistir de um sonho, de um projeto, de um hobby, de uma profissão, ou de qualquer outra coisa que você dedica seu tempo? Eu já, e sinceramente desisti de algumas coisas, e outras ao avaliar e ver que elas ainda faziam sentido para mim, me permiti dar um tempo para descansar e retomar quando estivesse mais motivada.
De um mês para cá, eu estava me sentindo um pouco desmotivada com algumas coisas, e resolvi parar um pouco para analisar esta desmotivação. Saiba você que a desmotivação pode acontecer com qualquer pessoa e em qualquer fase da vida, o importante ao sentir isso acontecer é se perguntar a razão, e a partir das respostas tomar alguma atitude, caso você ache necessário. Então, cá estou eu para compartilhar com você algumas dicas importantes para esses momentos de baixa, que são comuns, inclusive quando tudo vai bem. Eu fiz algumas coisas que considerei importantes para recuperar a motivação. Vamos conhecer algumas dessas atitudes:




Dê um tempo
Dar um tempo é bom para você entrar em sintonia consigo mesmo. Muitas vezes, entramos na correria da rotina e nem sabemos por que estamos realizando algo. Entrar no piloto automático pode nos fazer deixar de enxergar um motivo/propósito para determinada atividade, o que pode acabar nos desmotivando. Por isso, quando sentir que a desmotivação bateu na sua porta, se permita dar-se um tempo para parar e respirar. Talvez seja isso que você precisa neste momento.

Assistir algo que faça bem
Quando eu fico desmotivada, eu procuro por séries que me fazem rir. Eu pesquisei estes dias no google sobre séries de comédia, e achei uma bem legal chamada "Unbreakable Kimmy Schmidt". É uma série sobre uma mulher que foi sequestrada, e ficou 15 anos presa em um abrigo subterrâneo com outras 3 mulheres. Parece uma história chocante e dramática, mas a série é escrita pela Tina Fey, então, as gargalhadas são garantidas. No final da primeira temporada, eu chorei de rir, literalmente. E isso me fez bem. Para momentos de tristeza e falta de motivação, invista em coisas divertidas, converse com pessoas alto astral, assista comédias bobas, permita-se sorrir. Isso vai elevando a vibração, e aos poucos, a gente vai se motivando novamente.


Série: Unbreakable Kimmy Schmidt
Foto: Divulgação

Volte a fazer coisas que abandonou
Você gostava muito de alguma coisa e abandonou por um tempo? Que tal tentar retomar essa atividade. Talvez uma mudança de ares, uma conexão com pessoas e ideias novas possa fazer bem. Eu gostava muito de assistir vídeos de maquiagem no youtube. Eu passo horas assistindo vídeos de maquiagem para o dia, maquiagem para a noite, rsrs, porque eu gosto de maquiagem, e gosto de testá-las em mim. Eu gosto de ler sobre protetor solar, sobre batons, blushes, cremes e afins, só que de uns tempos para cá, eu estava focando só em autoconhecimento, só via as mesmas coisas, ficava me inscrevendo em vários canais do youtube. Então, em um domingo no curso de florais comentei com uma amiga que aquele monte de gente só estava fazendo salada na minha cabeça e aquele monte de ideia diferente estava me desmotivando, e resolvi ficar só com quem faz sentido para mim, resolvi cancelar a inscrição de alguns canais, e voltei a assistir vídeos de maquiagem novamente. É algo que eu gosto e que acho legal, não sei porque abandonei. Pode ser que seu foco em uma coisa só, esteja te desmotivando, então tente lembrar de outras coisas criativas e volte a fazê-las, se sentir que isso faz sentido para você.

Será que seus objetivos são os mesmos?
Você já pensou que pode estar desmotivado porque essa atividade de agora não faz mais sentido para você? Isso pode acontecer. Às vezes, decidimos por algo em uma época da vida em que aquilo fazia muito sentido, mas passado algum tempo começamos a perceber que hoje este objetivo ou esta atividade não motiva mais, não tem mais a ver com a pessoa que nós nos tornamos, então talvez seja a hora de ajustar o foco, tomar uma outra direção e assim procurar por outras atividades que podem ter mais a ver com você neste momento.

I like to move it, move it :)
Para sair da inércia é preciso movimento. A motivação não irá te alcançar se você continuar parado. Então mexa-se, entenda o momento, se dê um tempo, assista/ouça coisas que gosta, converse com pessoas inspiradoras, mude seus objetivos, conforme os itens anteriores e comece a se mover. Quando você se movimenta, a vida vai adquirindo novos contornos, novos caminhos vão se abrindo. Então mexa-se, movimente-se, saia do lugar. 


Para você se inspirar no movimento, rsrs.




"A vida é 10% do que acontece comigo e 90% de como eu reajo a isso." John Maxwell


quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Sua indecisão te atrapalha?


Eu terminei de assistir uma série muito legal na Netflix chamada “The Good Place”, esta série além de ser muito divertida, expõe alguns traços do comportamento humano que nos fazem refletir em alguns momentos. The Good Place mostra basicamente a saga da personagem Eleanor Shellstrop (Kristen Bell) que depois de morrer vai para o lugar bom, que seria uma espécie de céu/paraíso, porém ela está lá por engano, e a série se desenrola em suas tentativas de provar que ela também merece ficar no céu. É bem legal, se te interessar, assista porque vale a pena. Além da Eleanor, outro personagem me chamou muito a atenção, se trata do Chidi Anagonye (William Jackson Harper) que é a alma-gêmea da Eleanor. Chidi é um cara super do bem, inteligente, educado, estudioso, mas...extremamente indeciso, e essa indecisão impactou negativamente a vida dele na Terra, como impacta no Céu.

 The Good Place
Foto: Divulgação



Caso, você decida assistir The Good Place, você irá perceber que a indecisão do Chidi beira a patologia. Ele é capaz de atrasar compromissos, perder relacionamentos, fica horas tentando decidir qual é a melhor saída. O problema é que ele se frustra e frustra os outros porque não consegue tomar uma decisão, pois está sempre tentando enxergar qual seria a solução mais perfeita, o tempo passa e ele não consegue se decidir.



Você é uma pessoa indecisa?

Você conhece alguém que é muito indeciso?



A indecisão patológica também é conhecida como abulomania. Pessoas neste estado não conseguem tomar nenhuma decisão, e isso acaba afetando negativamente a vida delas. Como no caso do Chidi da série, os amigos ficavam chateados, a namorada entediada, na escola quando criança, ele prejudicava os outros por não conseguir se decidir. A indecisão nestes casos pode estar relacionada à coisas maiores, como por exemplo, uma mudança de país ou a simples decisões, como vou de blusa azul ou vermelha, saio de casa para ir ao mercado ou não saio. A pessoa começa uma conversa mental alucinante, considerando prós e contras, mas muitas vezes não consegue chegar a lugar nenhum limitando a sua vida.



Obviamente, estes casos mais graves necessitam de ajuda psicológica. Um bom profissional vai tentar entender junto com o paciente o que pode estar por trás dessa incapacidade de tomar decisões. Várias causas podem ser consideradas, entre elas, insegurança, baixa autoestima, falta de confiança, medo de ser responsável por uma decisão equivocada. O legal de fazer a terapia é que a pessoa pode entender onde isso se iniciou, e quais são os caminhos que podem ser construídos a partir de agora para uma vida mais plena e mais saudável.



Se você é uma pessoa muito indecisa, ou conhece alguém que sofre muito todas as vezes que precisa se decidir, é importante considerar a ajuda, pois assim, torna-se mais fácil sair do círculo vicioso que se formou. É interessante, se perguntar quais são as situações em que a indecisão se torna mais presente, qual é o impacto dela na vida social, considerando os relacionamentos afetivos, de amizade, profissional, familiares. Pois, quando você se torna consciente de um problema fica bem mais fácil agir e buscar uma solução.



Além do tratamento psicológico, que eu recomendo nestes casos, a terapia floral também pode auxiliar bastante pessoas que sofrem de indecisão. O Dr. Edward Bach ao desenvolver os florais criou um grupo formado por seis essências que é o grupo “para os que sofrem de indecisão”. Eu vou descrever abaixo o nome de cada floral do grupo e as situações que eles são aplicáveis, de acordo com o livro “Os remédios florais do Dr. Bach”, vamos lá?



- Cerato: para os que não têm bastante confiança em si mesmos para tomar as próprias decisões. Estão constantemente pedindo conselhos aos outros, sendo muitas vezes mal aconselhados.



- Scleranthus: para os que são incapazes de se decidir entre duas coisas, inclinando-se ora em direção a uma, ora a outra. São geralmente pessoas tranquilas, caladas, que carregam sozinhas a sua dificuldade, pois não se sentem inclinadas a tratar dela com os outros.



- Gentian: para os que desanimam facilmente. Essas pessoas podem fazer progressos satisfatórios no que diz respeito à enfermidade e aos negócios da vida cotidiana, mas, diante do menor imprevisto ou entrave, começam a vacilar e logo desanimam.



- Gorse: é um floral apropriado para os casos em que há grande desesperança. Para a pessoa que perdeu toda a fé em que se possa fazer algo por ela. Quando persuadida ou para satisfazer aos demais, pode experimentar tratamentos diferentes, ao mesmo tempo assegurando a todos os que a rodeiam de que há pouca esperança de alívio.



- Hornbeam: auxilia os que sentem que não têm força suficiente, tanto mental quanto física, para carregar o fardo da vida que lhes foi colocado sobre os ombros; as solicitações da vida cotidiana lhes parecem excessivas, se bem que costumam cumprir com suas obrigações de modo satisfatório. Aconselhável para os que creem que uma parte, da mente ou do corpo, necessita fortalecer-se antes que possam fazer bem o seu trabalho.



- Wild oat: apropriado para os que têm ambições quanto a realizar algo importante na vida, os que querem adquirir muita experiência, desfrutar de tudo que está ao seu alcance e viver a vida ao máximo. Sua dificuldade consiste em determinar a que ocupação desejam se entregar, pois, embora suas ambições sejam fortes, não têm uma vocação que os atraia acima das demais. Isso pode trazer-lhes perda de tempo e insatisfação.



E então, se identificou com algum floral?

Caso, você tenha se identificado pode mandar manipular em uma farmácia de manipulação e tomar 4 gotas 4 vezes ao dia, ou se sentir necessidade, pode procurar um terapeuta floral para te auxiliar a encontrar a melhor fórmula floral para você. E lembre-se que é possível encontrar a causa dessa indecisão e viver de uma forma mais equilibrada.


Te desejo sorte!!!

Trailer "The Good Place"