quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Sua indecisão te atrapalha?


Eu terminei de assistir uma série muito legal na Netflix chamada “The Good Place”, esta série além de ser muito divertida, expõe alguns traços do comportamento humano que nos fazem refletir em alguns momentos. The Good Place mostra basicamente a saga da personagem Eleanor Shellstrop (Kristen Bell) que depois de morrer vai para o lugar bom, que seria uma espécie de céu/paraíso, porém ela está lá por engano, e a série se desenrola em suas tentativas de provar que ela também merece ficar no céu. É bem legal, se te interessar, assista porque vale a pena. Além da Eleanor, outro personagem me chamou muito a atenção, se trata do Chidi Anagonye (William Jackson Harper) que é a alma-gêmea da Eleanor. Chidi é um cara super do bem, inteligente, educado, estudioso, mas...extremamente indeciso, e essa indecisão impactou negativamente a vida dele na Terra, como impacta no Céu.

 The Good Place
Foto: Divulgação



Caso, você decida assistir The Good Place, você irá perceber que a indecisão do Chidi beira a patologia. Ele é capaz de atrasar compromissos, perder relacionamentos, fica horas tentando decidir qual é a melhor saída. O problema é que ele se frustra e frustra os outros porque não consegue tomar uma decisão, pois está sempre tentando enxergar qual seria a solução mais perfeita, o tempo passa e ele não consegue se decidir.



Você é uma pessoa indecisa?

Você conhece alguém que é muito indeciso?



A indecisão patológica também é conhecida como abulomania. Pessoas neste estado não conseguem tomar nenhuma decisão, e isso acaba afetando negativamente a vida delas. Como no caso do Chidi da série, os amigos ficavam chateados, a namorada entediada, na escola quando criança, ele prejudicava os outros por não conseguir se decidir. A indecisão nestes casos pode estar relacionada à coisas maiores, como por exemplo, uma mudança de país ou a simples decisões, como vou de blusa azul ou vermelha, saio de casa para ir ao mercado ou não saio. A pessoa começa uma conversa mental alucinante, considerando prós e contras, mas muitas vezes não consegue chegar a lugar nenhum limitando a sua vida.



Obviamente, estes casos mais graves necessitam de ajuda psicológica. Um bom profissional vai tentar entender junto com o paciente o que pode estar por trás dessa incapacidade de tomar decisões. Várias causas podem ser consideradas, entre elas, insegurança, baixa autoestima, falta de confiança, medo de ser responsável por uma decisão equivocada. O legal de fazer a terapia é que a pessoa pode entender onde isso se iniciou, e quais são os caminhos que podem ser construídos a partir de agora para uma vida mais plena e mais saudável.



Se você é uma pessoa muito indecisa, ou conhece alguém que sofre muito todas as vezes que precisa se decidir, é importante considerar a ajuda, pois assim, torna-se mais fácil sair do círculo vicioso que se formou. É interessante, se perguntar quais são as situações em que a indecisão se torna mais presente, qual é o impacto dela na vida social, considerando os relacionamentos afetivos, de amizade, profissional, familiares. Pois, quando você se torna consciente de um problema fica bem mais fácil agir e buscar uma solução.



Além do tratamento psicológico, que eu recomendo nestes casos, a terapia floral também pode auxiliar bastante pessoas que sofrem de indecisão. O Dr. Edward Bach ao desenvolver os florais criou um grupo formado por seis essências que é o grupo “para os que sofrem de indecisão”. Eu vou descrever abaixo o nome de cada floral do grupo e as situações que eles são aplicáveis, de acordo com o livro “Os remédios florais do Dr. Bach”, vamos lá?



- Cerato: para os que não têm bastante confiança em si mesmos para tomar as próprias decisões. Estão constantemente pedindo conselhos aos outros, sendo muitas vezes mal aconselhados.



- Scleranthus: para os que são incapazes de se decidir entre duas coisas, inclinando-se ora em direção a uma, ora a outra. São geralmente pessoas tranquilas, caladas, que carregam sozinhas a sua dificuldade, pois não se sentem inclinadas a tratar dela com os outros.



- Gentian: para os que desanimam facilmente. Essas pessoas podem fazer progressos satisfatórios no que diz respeito à enfermidade e aos negócios da vida cotidiana, mas, diante do menor imprevisto ou entrave, começam a vacilar e logo desanimam.



- Gorse: é um floral apropriado para os casos em que há grande desesperança. Para a pessoa que perdeu toda a fé em que se possa fazer algo por ela. Quando persuadida ou para satisfazer aos demais, pode experimentar tratamentos diferentes, ao mesmo tempo assegurando a todos os que a rodeiam de que há pouca esperança de alívio.



- Hornbeam: auxilia os que sentem que não têm força suficiente, tanto mental quanto física, para carregar o fardo da vida que lhes foi colocado sobre os ombros; as solicitações da vida cotidiana lhes parecem excessivas, se bem que costumam cumprir com suas obrigações de modo satisfatório. Aconselhável para os que creem que uma parte, da mente ou do corpo, necessita fortalecer-se antes que possam fazer bem o seu trabalho.



- Wild oat: apropriado para os que têm ambições quanto a realizar algo importante na vida, os que querem adquirir muita experiência, desfrutar de tudo que está ao seu alcance e viver a vida ao máximo. Sua dificuldade consiste em determinar a que ocupação desejam se entregar, pois, embora suas ambições sejam fortes, não têm uma vocação que os atraia acima das demais. Isso pode trazer-lhes perda de tempo e insatisfação.



E então, se identificou com algum floral?

Caso, você tenha se identificado pode mandar manipular em uma farmácia de manipulação e tomar 4 gotas 4 vezes ao dia, ou se sentir necessidade, pode procurar um terapeuta floral para te auxiliar a encontrar a melhor fórmula floral para você. E lembre-se que é possível encontrar a causa dessa indecisão e viver de uma forma mais equilibrada.


Te desejo sorte!!!

Trailer "The Good Place"

Nenhum comentário:

Postar um comentário