quinta-feira, 16 de junho de 2016

As emoções podem desencadear doenças?



Eu sempre me interessei bastante por este assunto, as doenças psicossomáticas, onde um problema de saúde, físico ou não, tem seu início na mente, nos pensamentos. Talvez, eu me interesse por este tema, porque de vez em quando me vejo sofrendo de algum transtorno relacionado aos pensamentos que eu ando cultivando em minha mente.

 Mulher, Face, Cabeça, Ponto De Interrogação, Círculo


É claro, que não podemos generalizar, e achar que tudo o que nos acontece foi por nós iniciado, muitas coisas são acontecimentos da vida, alguns nós podemos evitar, outros não. Mas, é importante pararmos para pensar sobre a influência das nossas emoções  em nosso corpo físico. Eu tenho vivenciado sintomas de ansiedade há algum tempo, e eu mesma não sei onde começaram, não me lembro de ter sido uma criança ansiosa, mas me lembro de ter sido uma criança e adolescente muito preocupada em não chatear os pais, em ser a melhor aluna do colégio, eu me sentia extremamente triste quanto tirava um “D” em alguma prova, hoje essa avaliação por letras nem existe mais, rsrs. Então, acredito que a ansiedade possa estar ligada ao fato de querer agradar, em tentar ser perfeita. E eu fui crescendo assim.

 Livro, Entediado, Faculdade, Educação, Feminino, Menina


Nada podia sair do meu controle, cada passo deveria ser milimetricamente calculado nos estudos, na vida sentimental, familiar e profissional. Só que este “não perder o controle” começa a deixar a vida um fardo difícil de carregar, tem que haver muita responsabilidade em tudo, não se pode magoar ninguém, não se pode errar. Atualmente, eu ainda sofro um pouco com isso, mas como já consigo identificar, às vezes eu mando tudo às favas, e que se dane, rsrs, mas algumas vezes não é tão fácil assim.


Careta, Menina, Adolescente, Mimetismo, Brutal


Então, esse medo de perder o controle das situações como um todo, financeiramente, sentimentalmente, profissionalmente, e perder o controle da própria saúde fez com que eu desenvolvesse labirintite. No início, eu achei que a causa era orgânica, fui ao otorrinolaringologista e fiz um monte de exames, inclusive aquele que você quase morre de ficar rodando em uma cadeirinha, rsrs. O médico me olha e diz que eu não tinha nada e que deveria ser stress, isso em 2010. 

 Escada Em Espiral, Céu, Sun, Nuvens, Aves, Arquiteto


A labirintite sempre volta em alguma situação na qual eu me sinta desafiada, ou com medo, ou em alguma situação que cause incerteza. Foi assim quando meu pai adoeceu, quando eu resolvi deixar o emprego, quando eu terminei um namoro que não me fazia feliz, justamente porque durante o namoro eu deixei de ser eu mesma para poder agradar. A labirintite volta quando alguma mudança quer me surpreender, quando eu temo perder o controle da vida, perder o controle dos acontecimentos, ou seja, está relacionada ao aumento do stress.

Eu parei para pensar nisto esta semana, quando sofri novamente com labirintite, e novamente identifiquei um fato que tem me deixado apreensiva, e que está relacionado à minha vida profissional, e que acabou desencadeando vertigem ao acordar pela manhã. Mesmo, assim eu fui trabalhar, e iniciei as minhas atividades. Então, pensei em aplicar EFT para a vertigem que eu estava sentindo, repetindo a frase: “Apesar dessa labirintite causada pelo medo de perder o controle, eu me aceito completa e profundamente.” Após fazer algumas rodadas senti uma melhora significativa nos sintomas, eu já conseguia girar a cabeça sem sentir tontura. 



Eu acredito que nossas emoções podem contribuir para que as doenças se instalem em nosso organismo, mas também podem ser determinantes para a cura. A forma como encaramos os acontecimentos diários influenciam diretamente o nosso corpo físico, é importante que ao iniciarmos um tratamento médico seja para um problema físico ou emocional, nos atentarmos a examinar também os nossos pensamentos, as nossas emoções.  E tentar ao máximo modificá-los, pensando em nosso bem-estar, em nossa saúde. Eu não sei se isto se aplica a todas as enfermidades que podem nos atingir, até porque somos todos diferentes, geneticamente, psicologicamente, nenhum ser humano é igual ao outro, o que é bom para mim não necessariamente será bom para você. Mas, pensar mais positivamente, aceitar, entregar, confiar e agradecer muitas vezes é um santo remédio.

 Juventude, Ativos, Salto, Feliz, Nascer, Silhuetas


Sugestão de leitura: Se você se interessa por este assunto, eu recomendo a leitura do livro “Você pode curar sua vida – Louise Hay”.




Sinopse: Este livro expõe o método de Louise L. Hay para você livrar-se de crenças negativas que geram infelicidade. Ela explica que crenças e ideias erradas frequentemente são a causa de muitas doenças, que o ressentimento, as críticas, a culpa e o ódio são os padrões mais prejudiciais à felicidade, explica como esses sentimentos negativos se voltam contra nós e mostra como você pode mudar seu modo de pensar e melhorar sua qualidade de vida.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário