quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Compreender a raiva

Às vezes, eu me pego pensando que Deus realmente nos testa para saber se aquilo que falamos condiz realmente com a realidade que vive em nosso ser. Eu sempre fui uma pessoa pacífica, odeio criar inimizades e tento ao máximo não me meter em discussões de qualquer tipo, e depois que eu comecei a praticar yoga conservar o estado de paz de espírito me pareceu ser algo ainda mais necessário.

Mas, como eu disse acima, Deus sempre nos mostra onde ainda devemos melhorar e como ainda devemos agir. Esta semana, mudaram vizinhos novos para a minha rua, com filhos adolescentes, desses que gostam de provocar as pessoas na rua, arruaçar em frente a sua residência, pixar o muro da sua casa, etc, etc e etc. Pois bem, dias desses eu vinha da aula de yoga, e uma das garotas me olhou e sem mais nem menos, começou a gritar a palavra vagabunda, num tipo de provocação gratuita. Neste momento, eu somente pensei, eu hein, povo maluco, não olhei para elas, e entrei dentro de casa sem me desgastar, afinal eu não me sinto e nem sou vagabunda, e somente contei o fato para minha mãe, e disse para ela ficar atenta, pois os novos vizinhos me pareciam gente que faz encrenca gratuita.

Então, neste último domingo, as mesmas garotas juntamente com alguns garotos na faixa dos 11 aos 17 anos ficaram na porta da minha casa gritando, chutando a porta do comércio dos meus pais quase quebrando-a, então eu e minha mãe fomos para a janela olhar o que acontecia, e eles passaram a nos provocar dando tchauzinhos e jogando beijos. Nesta hora, a minha lua em áries se mostrou e eu senti muita, muita raiva, e comecei a responder às provocações dando tchauzinhos também, e mandando beijos para os bagunceiros. Que vergonha de mim nessa hora, rsrs. Depois eles se foram, e eu fiquei com aquela sensação de que tinha feito algo errado, fiquei com mais raiva ainda de não ter me controlado e entrado na provocação. Resultado, a minha semana começou péssima, porque eu fiquei me sentindo péssima por ter sentindo raiva.


Eu acabei me descontrolando com meu pai (ele dá muito trabalho com vícios de cigarro e bebida alcoólica), e mesmo ainda estando em tratamento médico, ele não colabora, só que eu vinha numa fase muito boa, não dava mais atenção para o comportamento dele, e orientava minha mãe a fazer o mesmo, mas esta semana explodi, e a raiva me contaminou também no trabalho. Depois de orientar um funcionário por mais de quatro vezes sobre um erro importante, com calma e chamando atenção, ao ver o mesmo erro se repetir, eu fiquei nervosa outra vez, meu corpo se desestabilizou, as pernas bambas e a voz embolando. Quando eu fico nervosa, minha voz fica mais aguda e às vezes nem sai, rs.

Depois, refletindo sobre tudo o que vem acontecendo, eu acabei lendo a seguinte frase:

“Perguntaram ao Dalai Lama: “O senhor não sente raiva?” A resposta dele: “É claro que sinto raiva, mas ela dura somente cinco minutos!”

Pois é, todos nós sentimos raiva e ela faz parte da nossa existência como seres humanos. Aprendi que esse sentimento faz parte da existência e sempre estará presente, e eu irei experimentá-lo, uma vez ou outra, e está tudo bem. Com tudo isso, eu acabei aprendendo que nós não devemos fugir do que nos causa raiva e sim tentar compreender a raiva que sentimos, expressar da melhor maneira possível o nosso ponto de vista. Uma das coisas que eu aprendi é escrever sobre algum sentimento ruim, e hoje faço isso aqui no blog ou em um caderno que guardo em casa. Compreender a raiva consiste em aceitá-la e entender o que devemos fazer com ela. Compreender a raiva é não deixar que ela nos domine, a sensação que ela causa deve durar poucos minutos e ir desaparecendo. Mas, você só conseguirá fazer isso se estiver totalmente consciente de quem você é. Então, escreva sobre o momento, sobre as pessoas, sobre os sentimentos que causaram a explosão de raiva.
Existe um ditado que diz: “Quanto mais eu rezo, mais assombração me aparece”. A vida é isso, quando parece que você está se controlando, seguindo um caminho de iluminação e autoconhecimento, algo acontece para te mostrar que você é humano, e que falhas fazem parte da vida. O que você faz com esse acontecimento, é que determinará o seu grau de evolução perante a vida.



Sempre que você sentir raiva ou ficar nervoso por causa de alguma coisa ou alguém, procure alguém de confiança para conversar, ou simplesmente escreva, leia, releia, comece a digerir a raiva, compreendê-la e depois quando o peso se tornar mais leve, rasgue a folha e jogue o papel fora. Se livre daquilo que aperta a sua garganta. Sentir raiva faz parte, Jesus sentiu raiva quando viu o templo lotado de comerciantes, lembra? E Jesus é um ser iluminado, mas seu lado humano sentiu raiva, e isso não tirou toda a sua importância, porque na raiva que ele sentiu havia uma lição a ser aprendida, de que nem sempre dá para ser tranquilo o tempo inteiro, as bases se desestabilizam uma vez ou outra, mesmo quando você segue um caminho de autoconhecimento. Então, da próxima vez que sentirmos raiva, não vamos negligenciá-la e sim tentar entender o momento e aprender com ele.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Por que se planejar é importante

Antigamente, quando eu participava de reuniões sobre “Planejamento Estratégico” nas empresas em que trabalhei, eu achava tudo aquilo sem significado nenhum. Na minha cabeça todas aquelas informações me pareciam muita perda de tempo. Um dia de trabalho definindo metas, pontos fortes e pontos fracos da empresa, onde se quer chegar, valores, missão e tantas outras estratégias focadas no desenvolvimento.

Hoje, avaliando alguns pontos da minha vida, eu reconheço que o planejamento é muito importante e é extremamente necessário tanto para uma grande empresa como para o gerenciamento da nossa própria vida. Não dá para simplesmente entoar o mantra do Zeca Pagodinho, “Deixa a vida me levar, vida leva eu”, é preciso assumir que somos os responsáveis pelas mudanças que desejamos em nossa vida, e a partir do momento que você define um objetivo é necessário ter foco para alcançá-lo. É importante lembrar que nem tudo virá da noite para o dia, é um processo, tijolo por tijolo você vai construindo a sua história.



Primeiramente, é necessário que você desenvolva seus objetivos, e que você esteja seguro em relação a eles. Por exemplo, você quer abrir uma loja de bolos caseiros. Abrir uma loja de bolos é o seu objetivo concreto, a partir desse objetivo, você deverá analisar todos os caminhos que devem ser percorridos para que essa loja de bolos seja algo real na sua vida. Sempre que você estiver tentado a mudar de profissão, não estiver mais feliz em alguma área de sua vida, não espere as coisas piorarem para começar a agir. Comece a planejar enquanto tudo está relativamente equilibrado, principalmente suas finanças, porque assim, você conseguirá poupar, fazer cursos, e começar com certa folga.

Eu estou em um processo de mudança, que já comentei aqui no blog no post Autossabotagem e a aniquilação dos sonhos (clique aqui para ler o post). Neste post, eu dividi um pouco da minha experiência com o medo da mudança e as crenças limitantes que fizeram com que eu recuasse do meu objetivo. Depois de avaliar com calma, e decidir que é isso que eu quero fazer, eu resolvi me planejar. Mas como eu fiz isso? Atualmente, eu estou usando o método SMART.

S – Specific
M – Measurable
A – Attainable
R – Relevant
T – Time Based



Specific – Especifíca
Nesta etapa você precisa definir uma meta que seja específica, pois ela tem maiores chances de ser realizada. Caso você defina uma meta muito generalista, você corre o risco de não alcança-la. Por exemplo:

Meta vaga: Abrir meu próprio negócio
Meta específica: Abrir minha loja de doces (cupcakes, brigadeiros)

Measurable – Mensurável
Aqui você precisa definir os resultados do seu objetivo. Por exemplo, a sua meta é abrir uma loja de doces para vender cupcakes e brigadeiros e faturar no mínimo R$ 3.000,00 por mês. Colocando uma medida do quanto você quer ganhar, você vai conseguir perceber se o seu negócio está indo bem e se ainda falta algo para alcançar a métrica de R$ 3.000,00.

Attainable – Atingível
Sempre que você for estabelecer uma meta, ela deve ser alcançável. Eu já falei sobre isso no post A importância de estabelecer metas (clique aqui para ler o post). Não adianta você colocar objetivos que você não conseguirá cumprir. É importante avaliar com senso crítico para que você não fique perdido diante daquilo que você sonha.

Relevant – Relevant
Nesta etapa, você deve avaliar se este objetivo é mesmo relevante para você. Lembre-se que você talvez invista tempo, dinheiro, horas de sono ou lazer no seu objetivo. Então é muito importante avaliar o impacto disso na sua vida, é realmente isso que você quer? Liste quais serão os benefícios dessa meta na sua vida.

Time Based – Temporal
Aqui você precisará definir um prazo para sua meta se concretizar. É importante estabelecer um prazo, porque você pode cair na tentação da procrastinação, e nunca concluir o seu objetivo.



Então, qualquer que seja o seu objetivo, tenha foco e perseverança. É preciso se planejar e definir onde você quer chegar, em quanto tempo, quais os caminhos que devem ser percorridos, será preciso investir em cursos, poupar dinheiro. Tudo é uma questão de planejamento. Existem vários métodos que você pode usar (eu falarei sobre outro método que acho bem legal em um outro post) selecione o que tem mais haver com você, e comece. O que não dá é ficar sempre inventando uma desculpa e se deixar levar pelas dúvidas, que até são normais, mas se ficam tirando nosso sono e fazendo nossa vida ficar estagnada, talvez seja hora de repensar as crenças e medos que estão gerando estas dúvidas.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Autossabotagem e a aniquilação dos sonhos

Sabotar significa ato ou efeito de prejudicar. Muitas vezes quando pensamos em sabotagem visualizamos como algo exterior, que é realizado por uma outra pessoa com o principal objetivo de nos prejudicar. Mas, você já parou para pensar em algumas situações da sua vida nas quais você desistiu por medo ou dúvida ou fica procrastinando alguma coisa, e afirmando que agora não dá, depois eu tento, etc., etc.

Eu resolvi escrever sobre autossabotagem porque neste último final de semana, eu tinha tomado a decisão de ir até uma escola me matricular em um curso que há muito tempo eu tenho vontade de fazer. Desde 2013, eu tenho procrastinado em relação à este curso, em 2014 me matriculei em uma escola, e depois de alguns dias desisti do curso, então resolvi cursar primeiro a pós-graduação na minha área de trabalho atual e continuei procrastinando. Até que neste final de semana, tirei cópia dos meus documentos e fui até a escola.

Chegando na rua da escola, eu retornei, nem entrei. Comecei a colocar um monte de empecilhos. O curso é uma vez por mês, aos sábados e domingos. Eu comecei a achar o lugar estranho, fiquei com medo, a escola não fica nem 10 minutos do metrô, e eu achei longe. Resumo da obra, eu voltei para casa e não fiz a matrícula.



Eu sempre quis fazer este curso. Eu fiz as contas, e vi que iria conseguir pagar. O local é de fácil acesso, e eu desisti por quê? Nem eu mesma entendi a minha decisão quando eu cheguei em casa. Eu fechei os olhos, e perguntei para mim mesma: Por que eu estou com medo? Eu sempre quis fazer este curso, eu sempre gostei dos assuntos que serão abordados. Por que eu fiz isso?

Resposta simples, eu me autossabotei. Sabe quando você quer muito uma coisa e quando isso está prestes a acontecer você inventa uma desculpa, faz uma besteira e tenta se afastar do seu objetivo, para continuar reclamando que nada na vida dá certo. Pois é, quando tudo parece que vai fluir na direção desejada, a gente por medo muda o rumo. Eu fiz isso, porque se tudo der certo, a partir do momento em que eu finalizar este curso, a minha vida pode mudar para onde eu sempre sonhei. As coisas podem começar a dar certo, e eu realizaria um sonho. Mas eu fugi. Nós podemos fazer isso em qualquer área da vida, tanto na vida profissional, como na vida sentimental. Eu já fiz nas duas áreas, e hoje eu consigo perceber claramente todo esse movimento da autossabotagem.

Bom, eu resolvi fazer o curso. Não vou conseguir começar este ano por causa da minha desistência repentina, mas vou ir até a escola novamente e vou tentar iniciar o curso em 2017, dessa vez mais convicta e tentando novamente não cair na armadilha do ego que prefere ficar na vitimização e não agir. É importante que nós consigamos avaliar as armadilhas que nos prendem e não nos deixam realizar os nossos sonhos. Só que para isso é necessário que sejamos francos e verdadeiros com nós mesmos.

É obvio que lá no âmago da minha alma, eu tenho medo de fazer este curso e as coisas darem certo, mas também tenho medo de tudo dar errado, e eu não conseguir progredir - detalhe: há uma crença limitante aqui relacionada com prosperidade (clique aqui para ler o post sobre crenças limitantes).

Mas, como podemos nos livrar da autossabotagem?

Seja franco consigo mesmo. Se pergunte por que você quer desistir? Existe algum sentimento negativo por trás dessa decisão? O que é medo, tristeza, angústia? Qual é o seu medo? Tudo isso é real?
Depois tente identificar as crenças limitantes que estão fazendo com que você oscile na realização dos seus sonhos. Sempre vai ter algo embutido, tem um padrão de pensamento concretizado que faz com que você pense que não é possível, ou que alguma coisa vai dar errado.


Você pode fazer tudo isso mentalmente, ou se quiser pode escrever em uma caderneta. Depois de identificar o porque de você estar se autossabotando, comece a criar coragem e pensar positivo, troque a frequência dos pensamentos. Tente ver o lado bom. Mesmo que tudo não saia como você planejou, foque no que você pode aprender.

Eu espero que você pare de sabotar os seus sonhos, e eu espero parar de sabotar os meus. Eu desejo para você que leu este texto, uma semana abençoada e cheia de luz.


Lembre-se, a coragem não é a ausência do medo.


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

5 coisas que você deve fazer por si mesmo



Você já se perguntou se anda fazendo coisas boas para você? Você já se perguntou se as pessoas que estão ocupando espaços na sua vida realmente contribuem para o seu crescimento? E você, de alguma forma tem contribuído para o crescimento dessas pessoas? No meu dia a dia, eu vejo muitas pessoas agindo com egoísmo umas com as outras somente para suprir as suas próprias carências e necessidades. E isso se aplica a todo tipo de relacionamento, afetivo, familiar, profissional, nas amizades. Então, não é pensar em si mesmo de forma a prejudicar as outras pessoas, é o pensar em si mesmo de uma forma que fará você se conhecer, se gostar e se amar, e assim as outras pessoas acabarão sendo influenciadas positivamente.



Quando você começa a pensar em si mesmo, como responsável pela sua história, você começa a enxergar as prisões nas quais você se meteu, você começa a perceber as prisões onde você colocou algumas pessoas. E isso não é justo com elas e nem é justo com você. Hoje, eu te convido a olhar com mais cuidado para a sua vida, o que você tem feito por você? Como você tem preenchido o seu tempo? O que você tem feito para as pessoas? O que as pessoas têm feito para você? Você tem alguém parasitando a sua vida? Ou será que você está parasitando a vida de alguém, hein?



A sua vida só será plena quando você alcançar a plenitude por si só. Outras pessoas podem te ensinar o caminho, mas você deverá percorrê-lo sozinho, e o primeiro passo é olhar para você mesmo, e perceber se você tem se amado em primeiro lugar. Não é possível amar ninguém, se você não se amar, se você não se tratar com respeito e carinho, você não será capaz de tratar ninguém com respeito. Agora, onde quer que você esteja, se olhe e perceba, o que você tem feito por você? É hora de rever algumas coisas:



1-Cuidado com o autoengano pare de mentir para si mesmo

Por experiência própria, eu afirmo que a vida é melhor quando você passa a ser sincero com você mesmo. Pare de criar histórias da carochinha para a sua mente. Assuma a sua verdade, encare os fatos por mais doloridos que eles sejam. Quando você para de se auto enganar, você começa a perceber quanto tempo você esteve perdido nas teias de mentiras que a sua mente criou sobre você ou sobre outras pessoas. É hora de tirar a venda dos olhos e se reconhecer.



2-Pare de dar valor às pessoas erradas

Muitas vezes, nós ficamos presos em uma pessoa que não reconhece o nosso valor, e rastejamos e choramos. Vamos tentar sair dessa? Às vezes, o fato de uma pessoa não te enxergar, não significa que esta pessoa seja ruim, ela apenas não está vibrando na mesma sintonia que você. Saia dessa frequência, seja livre e deixe os outros livres. Neste momento, estas pessoas são erradas para você. Reconheça isso e perceba como a vida fluirá melhor.



3-Pare de reclamar

A reclamação nos coloca em uma vibração tão ruim. Ninguém em sã consciência se sente bem perto de alguém que só reclama. Quando você estiver focando demais nas reclamações, tente perceber este estado de espírito e dê uma de Usain Bolt e corra o mais rápido possível desta frequência. Lembre-se que deve ter algo que está funcionando na sua vida, eu duvido que tudo seja um tremendo lixão, deve ter alguma coisa boa, tente percebê-la e foque nela.



4-Pare de tentar agradar e ser legal com todo mundo

Isso é muito ruim, eu já fui assim. Achava que tinha que ser legal o tempo inteiro. Eu não dava a minha opinião, engolia seco as ofensas de outras pessoas porque eu não podia ser vista como deselegante, mal educada. Mas, no fundo eu tinha medo de ser rejeitada, tinha medo de que as pessoas falassem mal de mim. Mas, eu era tão boazinha, ninguém tinha o direito de dizer algo sobre a minha pessoa. Só que depois de muito tempo, eu percebi que as pessoas vão falar mal, não terão empatia, vão ser deselegantes, e não importa o quanto eu as agrade. Então, seja você mesmo, não tenha medo de ser rejeitado. Diga o que você pensa, com educação claramente, se não concorda, diga não. 



5-Aprenda com o passado, mas não fique olhando o tempo inteiro para o retrovisor da vida

Tem uma frase do filme “O Rei Leão” onde o Rafiki diz para o Simba:



“Sim, o passado pode machucar. Mas do modo como vejo, você pode fugir dele ou aprender com ele.”



O passado está lá, tudo o que você viveu está registrado na sua história, não há como apagar. A não ser que você seja um viajante do tempo, o que não é o caso, então é necessário aprender com erros do passado, e tentar não repeti-los. Ficar olhando atentamente no retrovisor só vai fazer o seu presente não ser vivido plenamente. Então lições aprendidas, é hora de voltar os olhos para frente e retomar o passo.




Eu espero que você consiga dar mais atenção para você, para os seus sentimentos. Espero que você consiga ver além das aparências, que enxergue tudo de bom que há em você. Espero que você entenda que cada pessoa tem um momento de vida e que às vezes os momentos não se encontram, e isso é bom para você e para a outra pessoa.



Eu realmente espero que você faça algo por você, que você desenvolva a sua intuição, que você perceba quem merece atenção e quem merece um NÃO. Eu espero que você encontre gente boa, e que as pessoas ruins te tragam algum aprendizado. Hoje faça algo por você, vibre em uma frequência boa, e o Universo se encarregará de te responder de uma forma bela e inesperada.



sexta-feira, 4 de novembro de 2016

A chuva dentro de você



"Ame como a chuva fina. Esta cai em silêncio, quase sem fazer notar, mas é capaz de tranbordar rios." Paulo Coelho



Como está o seu coração? Triste, feliz, solitário, amargurado, pleno?

Como está o tempo dentro do seu coração? Chove? É uma chuva fina ou uma tempestade com seus raios amedrontadores?



Hoje ao levantar e olhar pela janela, eu me encantei com a beleza da chuva que caia, lenta, silenciosa e intermitente. Meu coração estava se sentindo amargurado e este dia chuvoso aqui em São Paulo poderia me deixar mais triste ainda. Mas, eu comecei a pensar que na natureza a chuva é extremamente importante para que a vida possa brotar. Se os dias fossem sempre ensolarados, as plantas e os animais sofreriam com a seca, é necessário que chova para que a vida aconteça.

Então, dando uma olhada no Pinterest, depois de ficar de me depreciando mentalmente por algo que fiquei sabendo, e me deixou chateada, eu li a seguinte frase:



“Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol...Ambos existem, cada um como é.” Fernando Pessoa





Muitas vezes, é necessário que deixemos chover também dentro de nós mesmos. É preciso usar a força da renovação da chuva para renascer. Saibamos aproveitar os dias de sol, mas saibamos entender também os dias de chuva. Há uma dificuldade muito grande em fazer isso, porque no momento em que entendemos que as situações nem sempre podem ser mudadas, porque não dependem de nós, a maior vontade que temos é de reclamar, é de nos sentir vítimas do outro, é repetir para nós mesmos que deve haver algo errado conosco, e apagar o brilho do olhar.



Mas, se ao invés de se colocar no papel de vítima da situação, você começar a compreender que toda essa escuridão causada pela chuva é necessária, é importante para que você possa se renovar. Agradeça pelo que você tem hoje e agradeça pelo que você perdeu. Será que está realmente tudo tão ruim assim? Essa é a pergunta que eu me faço quando percebo que eu estou entrando no ciclo da reclamação. Tem um monte de coisa na minha vida que eu gostaria que fosse diferente, mas depois de deixar chover dentro de mim, eu percebi que essas coisas muitas vezes não acontecem porque eu procrastino, eu tenho medo. Se tudo fosse ensolarado na minha vida, eu não estaria aqui escrevendo, eu não estaria praticando yoga, se tudo fosse ensolarado na minha vida, eu não teria deixado chover dentro de mim e nunca teria me permitido começar a renascer.



Não tenha medo da chuva, encare a escuridão que se forma, mas nunca, nunca se autodeprecie, eu sei que você tem um valor muito grande, mas às vezes, nós não somos capazes de enxergar esse valor por causa da sujeira que deixamos acumular durante todo esse tempo. Então, deixe chover para limpar, deixe chover para nascer.





Nunca será fácil, eu afirmo isso, porque sei das dificuldades que a mente tenta nos impor. Porque sempre vai acontecer alguma coisa, ou vai ter alguém que vai te tirar do eixo, e o que você vai fazer quando começar a chover? Vai amaldiçoar a chuva? Vai se esconder? Vai reclamar do tempo?

Eu quero dividir com você hoje algo que eu sempre digo para mim mesma. Sempre que alguma situação ou uma pessoa ameaçar tirar a sua paz, te deixar para baixo, te fazer chorar, repita, de preferência olhando para um espelho:



“Ninguém tem o direito de tirar a minha paz. Ninguém tem o direito de me ferir. Ninguém tem o direito de fazer com que eu me sinta inferior. Eu estou protegido(a) pela Luz Divina. Eu escolho quem eu quero ser, eu escolho como eu desejo me sentir. Essa escolha é minha e ninguém pode interferir nela.”



Você vai se sentir mais forte, e vai começar a perceber que a chuvinha começou a dar frutos. Só que é um passo de cada vez, e você terá recaídas, eu digo isso, porque tenho as minhas, mas tudo isso faz parte da sua caminhada e é importante para o seu crescimento.




quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Sentir tristeza



“Aquele que nunca viu a tristeza, nunca reconhecerá a alegria.” Khalil Gibran



Nós vivemos em tempos em que demonstrar a tristeza, sentir tristeza parece algo negativo. Ouvimos várias pessoas dizer que não podemos nos entregar a tristeza, que devemos forçar um sorriso, não devemos demonstrar os nossos sentimentos. Eu não concordo muito com essas afirmações. É claro que sempre que for possível, devemos sim enxergar o lado positivo das coisas, e pensar que algo melhor se concretizará em nossa vida.


Só que às vezes, a tristeza nos alcança, e ela nos coloca a pensar em diversas coisas que muitas vezes nos fazem chorar e sentir um vazio grande no peito. E sentir tristeza é normal. É normal você se sentir mal às vezes, é normal chorar sozinho no travesseiro, é normal se olhar e sentir que falta algo a ser alcançado e você ainda está patinando, e não está saindo do lugar. Ninguém precisa ser positivo e sorrir o tempo todo, só precisamos saber lidar com os momentos da vida e com as emoções que eles provocam, sejam elas emoções tristes ou alegres.



Esta semana, eu me senti um pouco triste por causa de um acontecimento na minha vida. E parece que isto que aconteceu conseguiu estragar todo o meu final de semana. Eu comecei a sentir uma melancolia e um sentimento de incapacidade misturado à uma tristeza porque as coisas não aconteceram como eu havia sonhado, como eu queria. E fiquei me sentindo uma tremenda perdedora, sem sorte, sem bênção, sem nada. Eu estava assistindo um vídeo no youtube de uma moça contando como a vida dela parecia perfeita, contando as histórias sobre as suas viagens, seu casamento, sua profissão e todas aquelas peças se encaixando tão certinhas, e eu comecei a me questionar, onde estavam as minhas peças, por que a minha vida tem esses buracos, sabe quando você vai montar um quebra-cabeça, e bem nas partes mais importantes você não acha as peças que faltam, pois é, eu comecei  a me sentir triste assistindo ao vídeo.



Indo para a aula de yoga, refletindo através da janela do ônibus (janela de ônibus é um bom lugar para reflexão – você encosta a cabeça no vidro e fica pensando na vida – acho que muita gente faz isso – rs) eu fiquei pensando que era normal eu me sentir assim, e que estava tudo bem, eu não preciso fingir para ninguém, nem sorrir se eu não estiver a fim. Ouvindo algumas músicas, eu ia recompondo os meus sentimentos, e me permitindo me sentir só, triste, mas ao mesmo tempo abençoada porque eu consigo refletir sobre o que eu sinto.



Então, quando você estiver se sentindo triste, reflita sobre este sentimento, chore se sentir vontade, escreva sobre ele, ouça o que este sentimento quer te dizer, o que ele quer que você aprenda, é dolorido se sentir perdedor, é dolorido se sentir um nada, mas pode ser edificante, se você for capaz de refletir e aprender. É claro, que não é saudável estar triste em 100% do seu tempo, se isto estiver acontecendo é bom procurar ajuda de um psicólogo ou psiquiatra e iniciar uma terapia para poder entender o que está ocorrendo. Eu me refiro aqui aos momentos tristes, que inevitavelmente nós passamos na vida, seja por algum acontecimento, seja pela falta de um acontecimento.


Sempre que você for pego por esse sentimento, permita-se senti-lo, a vida não é feita só de prazeres, é necessário também enfrentar as suas dores. Olhe para você, bem dentro, e se pergunte por que você está se sentindo tão mal? O que você pode fazer para mudar este estado?



Quando eu estou me sentindo triste, depois de sentir esse sentimento, eu ouço uma música, mas tem que ser uma música agitada, dessas que dá vontade de sair cantando e pulando, eu sempre digo que a música tem essa capacidade de alterar o estado de espírito se você permitir. Da próxima vez, quando você achar que já refletiu o bastante sobre a sua tristeza e que já é hora de se recompor, ouça uma música, ela vai te ajudar com certeza.


Eu sei que talvez não seja muito correto, e isso signifique que eu ainda não superei algo definitivamente, mas quando alguma coisa me deixa triste, eu passo a evitar ficar pensando nisso todo o tempo, eu mudo o pensamento. Eu digo para mim mesma:



“Chega de ficar pensando nisso. Já deu. Não quero mais ficar chorando e me sentindo uma loser.”


E começo a fazer outras coisas, vou conversar com alguém, ler um livro bacana, assistir vídeos de maquiagens no youtube, eu coloco uma música para levantar o astral, vou organizar meu guarda-roupa, ou vou dar uma volta, nem que for para ir ao supermercado comprar alguma coisa, e assim eu vou levando. Eu espero que você encontre uma forma de se sentir menos triste com os acontecimentos da sua vida. Só lembre-se que se sentir chateado, entristecido é normal, e você não precisa sorrir sempre. E se você perceber que sozinho não consegue se livrar da tristeza procure ajuda de um profissional capacitado, e volte a tomar as rédeas da sua vida, que é um presente que Deus te deu para a sua evolução moral e espiritual.



Se você quiser pode ouvir estas músicas para levantar o astral. Lembrando que a intenção aqui não é ficar avaliando se a música é boa ou ruim, o critério aqui é quanto mais agitada melhor, afinal a intenção é agitar o esqueleto, sacudir a tristeza e fazer com que ela vá embora, afinal ela não precisa ser nossa companheira de todas as horas.

La mia banda suona il rock - Laura Pausini


Twist and shout - Beatles - Filme Curtindo a vida adoidado


Jailhouse Rock - Elvis Presley


Bye Bye - N' Sync - essa é antigona, rs.


Livin' la vida loca - Ricky Martin - Quando eu ouço esta música me lembro do Gato de Botas do Shrek dançando, rsrs.