quarta-feira, 4 de outubro de 2017

A beleza em ser você

Hoje, eu escrevo este texto sentindo uma certa felicidade. Depois de anos me debatendo na correnteza dos padrões impostos pela sociedade, hoje posso sentir que sou eu mesma. E foi tão difícil chegar neste ponto, que atualmente eu agradeço cada cabeçada, cada sim dado quando a resposta deveria ter sido não, porque se não fossem esses acidentes de percurso, eu jamais sentiria essa sensação tão boa de ser eu mesma.

Tudo se tornou mais leve, quando eu aceitei quem eu sou, tudo se tornou mais leve, quando percebi que nem sempre a vida vai ser controlada por mim, tudo se tornou mais leve, quando eu delicadamente me senti bem por seu eu.

Saiba, que para ser você mesmo, você não precisa:

Ter filhos se não quiser;
Casar só porque passou dos 30 anos;
Parar de usar tênis porque não tem idade pra isso;
Arrumar um namorado para provar sua feminilidade;
Arrumar uma namorada para provar sua masculinidade;
Casar porque senão vai morrer solitário;
Amar seu emprego, só porque é na sua área de formação;
Ter carro do ano e viajar para as Bahamas;
Socializar o tempo todo, desenvolver sua comunicação, e ser mais extrovertido;
Ser a mãe perfeita;
Seguir todos os dogmas religiosos que não tem mais haver com você;

E etc., etc., etc.;



Faça uma lista dos absurdos que você já ouviu das pessoas e que nunca deixaram você expressar quem você é de verdade. Para sentir a beleza em ser você, é preciso olhar a vida de acordo com a sua essência e não de acordo com que os outros esperam de você. Pense se tudo que você é ou tem foram realmente escolhas suas, ou será que tudo isso, é uma projeção do sonho alheio em você? Quando você passa a se expressar de acordo com a sua essência, tudo se torna mais tranquilo, as pessoas certas se aproximam de você, as oportunidades certas começam a bater na sua porta, e todas as peças começam a se encaixar. Agora, você vibra em ressonância com o seu coração. Mas, tem um detalhe importante, pessoas que já não vibram na mesma frequência que você, talvez se afastem, e isso faz parte do novo começo.

Liberte-se do preconceito das pessoas, liberte-se do seu próprio preconceito. Sinta a sensação de poder ser quem você é, as escolhas, os caminhos, os gostos, as comidas, as roupas, os cheiros, todos agora guiados por você. Agora a partilha pode se tornar mais verdadeira, pois só pode dar amor quem sente amor por si mesmo.


Se você está se sentindo infeliz, avalie onde foi o ponto em que você se perdeu de si mesmo. Busque na sua memória, onde ocorreu essa perda. No relacionamento, no trabalho, nas amizades, na pressão familiar? Depois, feche os olhos e respire algumas vezes, fique em silêncio, e deixe a voz do seu coração te responder. Agora, que você já sabe que você não precisa seguir padrões para ser alguém, liberte-se das algemas que outros prisioneiros colocaram em você, solte-se e ajude o mundo a se libertar também, não é fácil, mas é possível, uma ajuda e um pouco de treino podem te ajudar. Afinal, como dizia o poeta Edward Estlin Cummings:

“O desafio mais difícil é ser você mesmo em um mundo que sempre tenta transformá-lo em outra pessoa.”


Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário