quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Yoga - Meus canais preferidos no youtube

*Post atualizado em 06/02/2019

Se você acompanha o blog, já deve saber que eu sou praticante de yoga desde 2014. Mas, caso você seja novo por aqui, e se interessa pelo assunto dê uma pesquisada na busca e aproveita para ler os textos que já escrevi sobre yoga.

A yoga foi a atividade física escolhida por mim para me auxiliar no tratamento do transtorno de ansiedade, e posso dizer que ela foi a porta de entrada para a meditação, terapia floral, auriculoterapia, tudo que faz parte do meu mundo hoje, de certa forma tem ligação com a yoga, portanto, a prática de yoga  foi a grande responsável pelas mudanças que iniciei em minha caminhada.


Atualmente, eu pratico yoga em casa, já pratiquei em um espaço e recomendo que se você nunca fez nenhuma aula, tente participar de aulas em algum local de sua cidade, pois eu acredito que a interação inicial com o professor ajuda muito na caminhada. Mas, se você não pode pagar de jeito nenhum por uma aula agora, eu vou listar para você alguns canais no youtube que são os meus preferidos e que eu acho que ajudam muito, tanto quem está começando, como quem já tem uma experiência com a prática. Quer saber quais são esses canais? Então, continue lendo e clique no título do canal para acessar.

Esse é o meu canal PREFERIDO. Eu conheci a Adriene Mishler em 2016, de lá para cá sempre acompanho os vídeos dela. Sigo-a também no Instagram, ela sempre posta novidades por lá. As práticas propostas pela Adriene são muito interessantes, práticas de até 45 minutos, super bem explicadas. Temos yoga para dor nas costas, yoga para o cérebro, yoga para concentração. São inúmeras práticas de qualidade. Eu estava sofrendo com uma dor lombar, e resolvi investir em uma prática de yoga para dor nas costas, com 03 dias de prática, senti uma melhora muito significativa. Vou inclusive deixar o vídeo abaixo, caso você se interesse. Se você manja um pouquinho de inglês, tenho certeza que você vai curtir os vídeos da Adriene. Eu recomendo.



Outro canal que gosto bastante é o Yoga Mudra, da Raíssa Zoccal. O Yoga Mudra além das práticas de yoga, tem vídeos de meditação, vídeos de autoconhecimento. A Raíssa discute também um pouquinho sobre terapias holísticas, como aromaterapia por exemplo. Os vídeos de yoga também não são muito longos, e assim, você pode encaixar uma prática de yoga de qualidade no seu dia a dia. 

A Pri Leite é brasileira e mora na Califórnia, onde trabalha como professora de yoga. A Pri divide conosco suas inspirações e conhecimentos, e é claro, as práticas de yoga. Podemos encontrar por lá, práticas de yoga para gestantes, yoga para autoestima, yoga para iniciantes. Enfim, mais um canal super legal que você pode gostar. Eu acho legal, a desmistificada que a Pri dá sobre a yoga, na descrição do seu canal, ela afirma que yoga não é só para mulheres, como algumas pessoas pensam. Qualquer um pode praticar. Dá uma conferida lá.


Eu conheci o canal da Gabi, depois de um comentário que recebi em um dos vídeos que gravei para o youtube (clique aqui - Dicas de livros). Lá você pode encontrar algumas práticas e também alguns vídeos sobre autoconhecimento e meditação.

A Rachel Rache fala sobre yoga e veganismo para uma vida mais saudável. O legal é que ela disponibiliza receitas veganas, então se você se interessa por esse assunto, talvez goste de acompanhar o canal. Além das receitas, dicas de livros, exercícios respiratórios, lá você vai encontrar práticas de yoga para ansiedade, yoga matinal, yoga para foco e concentração, entre outras práticas. Que tal dar uma olhada, hein!

Dos 05 canais que te apresentei, como disse, o meu preferido é o Yoga with Adriene, mas se você não entende nada de inglês, eu tenho certeza que um dos outros 04 poderá te ajudar. Escolha aquele que tem mais a ver com você, e boa prática!

Sarah Beth Yoga - atualizado em 06/02/2019
Eu descobri o canal da Sarah Beth recentemente, e estou amando as práticas de yoga sugeridas por ela. Com certeza, se tornou um dos meus canais de yoga preferidos. As práticas são mais curtas, mas muito benéficas. O idioma é inglês, se você tiver facilidade para entender, aproveita, porque vale muito a pena, mas caso não tenha, não é um bicho de sete cabeças, dá para acompanhar olhando para tela. Recomendo muito o canal da Sarah, é muito bom.




Trechos do livro "Luz na vida" - B.K.S Iyengar

“[…] por meio da prática perseverante e prolongada, qualquer pessoa pode trilhar o caminho da yoga e alcançar a meta da iluminação e da liberdade. Krishna, Buda e Jesus residem no coração de todos nós.”

“A yoga libera o potencial criativo da vida, e faz isso estabelecendo uma estrutura para a auto-realização, mostrando como podemos avançar na jornada, descortinando uma visão sagrada do Supremo, da nossa origem divina e do destino final.” 

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Livro: Mas você vai sozinha?

Eu tentei gravar um vídeo falando sobre o livro, "Mas você vai sozinha?" da jornalista Gaía Passarelli, porém, nada conspirou ao meu favor, era a música do vizinho muito alta, meu pai fazendo barulho com a furadeira, instalando sei lá o que na casa da minha irmã, e eu mesma, que gaguejei mais do que o normal, então depois de ficar um pouco estressada, eu resolvi seguir um conselho do livro : "...às vezes as coisas dão errado mesmo. E às vezes elas dão certo também. Na viagem, como na vida, o importante é seguir em frente, sem medo de parar e começar outra vez." Percebi que talvez um texto fosse a melhor solução, e aqui estou eu para te dar uma dica de leitura super bacana, um livro que mescla dois assuntos que amo, viagens e autoconhecimento. 



"Mas você vai sozinha?" é aquele tipo de livro que a leitura flui. Nele, a autora conta suas experiências viajando sozinha pelo mundo. Eu achei muito interessante o tema, porque nós sabemos que para as mulheres, viajar sozinha ainda é um assunto delicado, que envolve questões culturais, comportamentais, emocionais e questões de segurança pessoal. Graças a Deus, as coisas melhoraram bastante neste tema, hoje vemos mulheres que enfrentam o mundo de peito aberto, indo atrás de seus sonhos, vivendo suas próprias vidas, mas sabemos que existem empecilhos no caminho, e se o assunto for viagem, a Gaía nos conta como tentar contorná-los. 

Neste livro, a autora conta suas aventuras por países como Estados Unidos, Peru, Índia, Itália, alguns locais do Brasil, entre outros, e as peculiaridades de cada viagem. O que eu achei mais legal, além das aventuras da Gaía, é que no final de cada história, ela nos conta um pouco do local, as particularidades da cidade, dá dicas de trilha sonora e leitura, e o mais importante, dicas preciosas para quem vai sozinha para um desses locais. O livro tem ilustrações muitos lindinhas e algumas fotos do acervo pessoal da jornalista.  



"Mas você vai sozinha?" não é um livro de viagens comum, nele encontramos conselhos de um xamã andino no Peru, aprendemos a fugir de alces na Califórnia, como é ficar sem dinheiro em São Francisco, imaginamos um pouco sobre os insights da autora após tomar chá de San Pedro na Colômbia, enfim é um livro muito gostoso de ler. Eu amei e recomendo a leitura.

A Gaía possui um blog de viagens chamado "How to travel light" que eu achei bem legal também, e recomendo a visita para quem se interessa por esse tema. Para mim, esse livro foi um achado, e me encorajou para os próximos passos da minha jornada, é claro, eu ainda não sei como serão, mas sei que a cada dia que passa me sinto mais pronta, e leituras inspiradoras sempre ajudam neste processo.



Uma dica pessoal, que gostaria de deixar aqui, é que se você se priva de viver sua vida porque não tem ninguém que possa te acompanhar, eu sugiro que você comece com pequenos passos. Até 2014, eu odiava fazer atividades sozinha, nem comprar roupa sozinha eu gostava, mas a vida com sua sabedoria me trouxe a ansiedade, que trouxe a terapia, a yoga, a meditação, os livros, os vídeos e palestras, e aos poucos, eu fui me libertando da necessidade de estar sempre acompanhada. Hoje vou em museus, parques, cinema, shoppings, confeitarias, sozinha, e aprendi a me sentir confortável em minha própria pele. Então, minha dica para você é que você comece devagar, talvez uma viagem para a África do Sul seja difícil agora, mas um sorvete no shopping pode ser mais fácil, comece devagar e em breve você estará alçando voos mais altos, e vivendo a vida que sempre quis.

Recomendo a leitura do livro tanto para homens como para mulheres. Afinal, como disse Mário Quintana: "Viajar é mudar a roupa da alma."

Sorte para você! Sorte para nós!


segunda-feira, 12 de novembro de 2018

O momento certo

Em um domingo à tarde, depois de maratonar a minha série da vez, Good Witch (clique aqui para saber mais), inevitavelmente me peguei pensando sobre o tal do momento certo na vida, e fiquei refletindo sobre uma frase dita pela personagem principal, Cassie Nightingale:

"Se você passa muito tempo pensando no que é ruim, você pode perder o que é bom."

Sabe aquele momento certo, que a gente vive esperando que algo grandioso aconteça. O momento certo de trocar de carreira, o momento certo para iniciar um novo negócio, o momento certo para ter um filho ou o momento certo para viver um grande amor. São tantos momentos certos não é mesmo? Cada pessoa tem o seu. Inúmeras vezes, em minha vida, eu questionei os meus momentos certos, e muitas vezes vivi em função da realização deles, muito presa no que eu achava ruim e esquecendo o que acontecia de bom, como diz a frase da Cassie acima, vivia esperando o tal momento certo, e sim, já questionei esse momento certo com tristeza, infelicidade e me senti vítima dos outros e do mundo.


Mas, neste domingo à tarde, depois de ouvir a frase da série e pensar nos momentos certos da minha vida, simplesmente respirei, porque pela primeira vez, eu entendi que talvez o momento certo seja agora, e ele, não necessariamente depende de realizações futuras, ele depende do quanto eu aceito o meu momento atual e das coisas boas que decido enxergar. Obviamente, constatar e aceitar que talvez nem tudo irá acontecer como eu desejo é difícil, mas saber que não importa o que aconteça, eu saberei lidar com isso, é acalentador.

Por isso, meu conselho para você é:

Não espere o momento certo chegar para ser feliz. Construa sua felicidade agora, não foque no ruim, esquecendo-se do que é bom agora. Aproveite o que você tem agora, mesmo que esse agora pareça sem graça, talvez ele seja o seu momento certo para se reconectar e buscar a si mesmo. Viva um dia de cada vez, deixando a vida fluir.


Depois de viver muito tempo da minha vida, esperando o tal momento certo para várias coisas, eu cheguei a seguinte conclusão:

"Talvez o meu momento certo chegue, talvez não. Mas eu decido viver a minha vida da melhor forma possível AGORA, independente da realização de algo maior."

E eu espero que você possa fazer o mesmo. Boa sorte na caminhada, foque no destino final, mas não se esqueça de contemplar as flores do caminho ;)

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Sentimentos negativos: Dou um jeito e escondo debaixo do tapete

Será que devemos realmente esconder nossos sentimentos negativos debaixo do tapete? E fingir que eles não existem? Mas, o que ganhamos em não assumir que sentimentos negativos, como inveja, ciúme, raiva, entre outros, nos rondam o tempo todo e muitas vezes nos consomem?

Eu realmente acredito que não ganhamos nada quando fingimos que não sentimos emoções negativas. Pelo contrário, acredito que ganhamos muito mais quando assumimos que somos falhos, quando nos sentimos envergonhados por determinado comportamento. A nossa maior grandeza está na capacidade de se auto observar e enxergar quando se está perdendo o compasso. Quando eu me precipito e tomo decisões erradas sem nem ao menos respirar, muitas vezes, me sinto muito envergonhada e admito para mim mesma que sou falha e que eu errei. Mas, o mais importante é o que eu faço com essa informação.


Pois, pense comigo, de nada também adiantará você reconhecer suas falhas e emoções negativas e parar por aí. Você precisa reconhecer e ficar consciente para não repeti-las novamente, e aprender o jeito mais adequado para lidar com isso.

A sua essência é moldada por tudo que você é, e acredite as partes não tão digeríveis também entram no pacote. Muitas pessoas não entram em contato consigo mesmas porque temem assumir para elas e para os outros que são falhas, que sentem raiva, ciúme, inveja, que bobagem...estamos aqui para evoluir, essa é a nossa maior meta. Nós só conseguimos evoluir se assumirmos e trabalharmos aquilo que nos incomoda, aquilo que de certa forma nos impede de avançar. 


O grande aprendizado não é não sentir raiva, não sentir ciúmes, não sentir inveja, entre outros. O grande aprendizado é o que você faz quando sente esses sentimentos? Qual é o seu comportamento quando você percebe as emoções negativas te empurrando ladeira abaixo?

Diante da sua resposta, você saberá o que deve trabalhar em si mesmo em busca do seu crescimento.

Por favor, não se esconda mais!