sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Vídeo: Como lidar com um dia ruim - 2ª parte


No vídeo de hoje, compartilho com você as 4 dicas restantes de como lidar com um dia ruim. São dicas de autocuidado e bem-estar e uma dica de um floral que ajuda bastante a lidar com esses momentos.
Espero que você goste!


quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Medo do julgamento externo: O que ele pode dizer sobre nós mesmos

Eu tenho passado por um período complicado nas últimas semanas, preocupação excessiva com a saúde, momentos de relaxamento e tensão se alternando, assim como momentos de resistência e fluidez. O fato é que dentro de tudo que tem acontecido, me perguntei diversas vezes a seguinte pergunta:

"O que será que estão pensando de mim?" 



Esse questionamento vinha principalmente em momentos nos quais eu estava tendo alguma crise, ou um pico de ansiedade ou um efeito colateral de um medicamento, eu me questionava o que as pessoas estavam pensando porque me alimento bem, faço yoga e medito, e mesmo assim estou enfrentando picos de hipertensão arterial. Talvez tivessem mesmo alguns questionamentos silenciosos, outros foram verbalizados, em um deles não percebi maldade nenhuma, e em um outro acompanhado da palavra desculpa, senti um certo peso, e uma comparação, talvez de alívio por achar que apesar de "fazer tudo errado" não sofre do mesmo problema de quem "faz tudo certo", já que foi isso que a pessoa verbalizou, e tudo bem também, não fiquei com raiva da pessoa nem nada, acho esse movimento até que meio natural. Porém, isso me fez pensar.

Neste momento, me lembrei de uma frase que a Gisela Vallin sempre fala: "O que está dentro, está fora." E parei para pensar se os julgamentos que acho que percebo nos outros (e que talvez até ocorram) tenham mais a ver com o julgamento que faço de mim mesma, por ser terapeuta, por meditar, por fazer yoga, por tentar me alimentar bem e mesmo assim passar por problemas de saúde. Diante de tudo isso, percebi o quanto estou me cobrando para ser perfeita por trabalhar e passar uma mensagem de autoconhecimento. 

Me cobrando em pensamentos para ser perfeita, para saber o que fazer, saber como respirar, saber como me comportar, saber como cair e como levantar. Eu criei a ideia de ser uma pessoa perfeita. E talvez, ou melhor, certamente já julguei silenciosamente pessoas que falavam de determinado assunto e enfrentaram alguns problemas relacionados ao mesmo assunto, tais como:



- Como pode, um padre com depressão?
- Como assim, ela não falava de relacionamento e se separou?
- Nossa, comia só comida orgânica e está com câncer?
- Praticava esportes e teve problemas no coração?
- Como assim, fala de Deus e agora está todo nervoso?
- Como assim é mecânico de carros e o carro vive quebrando?
- Mas, como assim, é psicóloga e teve depressão pós parto?
- Como assim é careca e passa remédio para queda de cabelo, rs?

O que está dentro, está fora...como diz a Gisela Vallin.
Será que muitas vezes, o que temos medo que julguem em nós também não está em nós? Tememos o julgamento, porque julgamos as pessoas, mesmo que silenciosamente, mesmo que só para nós.
Ou será que aquilo que julgamos no outro também não faz parte da gente, mas não estamos enxergando?

Acho que é um bom momento para refletir, no que temos medo de sermos julgados?
O quanto desse julgamento existe em nós?
Ou o quanto esse medo do julgamento externo pode revelar algo sobre nós mesmos, nossa autocrítica, nossa mania de perfeição.

Enfim, eu continuo refletindo por aqui, inclusive voltei a seguir uma pessoa no Instagram, que parei de seguir, porque achei que ela estava expondo demais suas vulnerabilidades... viu só, tenho medo do julgamento porque julguei, pois é, amigos... o que está dentro está fora. O que acontece no externo nada mais é do que um reflexo do nosso interior, e espero poder ter te ajudado também na sua reflexão.



Estamos juntos :)

"Perfeccionismo é um movimento defensivo. É a crença de que, se fizermos as coisas com perfeição e parecermos perfeitos, poderemos minimizar ou evitar a dor da culpa, do julgamento e da vergonha. Perfeccionismo é um escudo de 20 toneladas que carregamos conosco, achando que ele nos protegerá, quando, de fato, é aquilo que realmente nos impede de sermos vistos." Brené Brown

"Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo." Romanos 2:1


Sugestão de música: Human - Gabrielle Aplin






terça-feira, 24 de setembro de 2019

8 maneiras de colocar mais atenção na sua rotina

Será que é possível realizar as nossas tarefas diárias com atenção plena?
Tocar uma roupa e sentir a textura do tecido?
Acender uma vela e sentir o aroma ou o cheirinho de queimado?
Tomar um banho e sentir a água?
Comer um alimento e sentir o seu sabor?
Tocar um objeto da decoração da casa e sentir sua temperatura, textura, observar cores e formatos?

Você já se perguntou se você tem realizado suas tarefas diárias com atenção, ou a correria do dia a dia, tem feito você esquecer das coisas mais simples.




Vivemos em uma época em que tudo é automático, tudo é padronizado...Tempo é dinheiro, e o sentir ficou para segundo plano. Mas, nem tudo está perdido, e se você está aqui lendo este texto, é porque de alguma forma a vida solicita um pouquinho mais da sua atenção. Eu separei para você, 08 dicas que podem te ajudar a colocar mais atenção na sua rotina, para que assim você possa realizar suas tarefas com mais intenção. No meu dia a dia, eu sempre tento realizar uma outra, nem sempre consigo, mas junto com você, vou aprendendo e moldando o melhor que posso ser. Por isso, se você se identifica com o tema de hoje, continue a leitura, eu espero que ela possa te ajudar a criar uma rotina com mais atenção e significado.

1 - Prepare seu dia na noite anterior
Muitas vezes, não conseguimos colocar atenção nas coisas porque já acordamos sobrecarregados, com 1001 tarefas para realizar. Por isso, eu sugiro que dentro da sua rotina diária, você estabeleça quais itens podem ser realizados com antecedência, por exemplo, escolher e deixar as roupas que serão usadas no outro dia na noite anterior. Você pode também deixar o café da manhã semi-pronto (fazer overnight oats, deixar frutas picadas guardadas na geladeira), enfim, veja quais tarefas podem ser adiantadas de forma que você consiga ter mais tempo disponível e assim prestar mais atenção no seu dia.

2 - Crie um local agradável
Seja em casa ou no ambiente de trabalho, um local agradável ajuda muito na concentração. Se gostar de plantas e quadros, utilize-os na decoração. Se for possível utilize óleos essenciais em aromatizadores ou velas aromáticas. Abra as janelas! O ambiente pode influenciar muito na nossa capacidade de atenção (presença) e inclusive de concentração. Mas, você pode dizer: "Angélica, eu trabalho em uma empresa privada, junto com outras pessoas, não tem como eu usar aromaterapia." Pois bem, use um colar de aromaterapia individual (difusor pessoal), coloque uma suculenta pequenininha na sua mesa, fotos da família, locais que você tem vontade de conhecer. Crie um local que te traga bem-estar, não precisa colocar tudo abaixo e forçar as pessoas a sentirem os mesmos aromas que você, rsrs, porém pequenas ações individuais podem trazer grandes resultados. Pense nisso!




3 - Se você for multitarefa, repense a ideia
Eu sempre ouvi e acreditei na ideia de ser multitarefa, e principalmente no mundo corporativo (do qual ainda faço parte) ser uma pessoa que consegue fazer várias coisas ao mesmo tempo é ser eficaz e isso é visto como algo positivo. Talvez essa cultura de ser multitarefa esteja mudando em algumas organizações (espero que sim), o fato é que quem tenta se concentrar em várias coisas ao mesmo tempo, nem sempre consegue realizar tudo de maneira correta. Além de dificultar o desenvolvimento e execução de tarefas, ser multitarefa, nos tira do momento presente, realizamos as atividades sem nenhuma atenção e ainda ficamos estressados e sobrecarregados. Quer mais atenção na sua rotina? Tente fazer uma coisa por vez.

4 - Tente não verificar o celular com frequência
Verificar o celular com frequência, pode ser uma atividade que tira toda a atenção da sua rotina. Já presenciei pessoas comendo e respondendo mensagens. Tudo isso, acaba sendo muito prejudicial, principalmente para o processo de digestão dos alimentos. Quando estamos entretidos com outra atividade no momento das refeições, é muito comum não mastigarmos o alimento adequadamente e nem sentir o seu sabor. Além do momento da refeição, o celular pode acabar tirando a nossa atenção durante a execução de qualquer outra tarefa. Eu acredito que a solução, não é retirar o celular e as redes sociais, acho super importante (inclusive, eu uso bastante, porque publico as atualizações no blog nas minhas redes), a solução é se conscientizar do uso, sabendo que existe o momento certo para cada tarefa.

5 - Faça uma lista de prioridades
Você sabe priorizar? É muito importante quando se está em um processo de busca por mais atenção e foco no momento presente aprender a priorizar. Priorize e-mails, tarefas, mensagens. Priorize atividades de casa. Aprendendo a priorizar, você conseguirá se dedicar à sua rotina com mais atenção. E não se esqueça de inclusive priorizar a si mesmo, mantenha seu copo cheio.

6 - Saia do piloto automático, use seus sentidos
Os seres humanos possuem 5 sentidos, tato, olfato, visão, audição, paladar. Você tem se conscientizado desses sentidos na sua rotina? Você se conscientiza dos cheiros, texturas, cores, barulhos e gostos que você presencia na sua rotina? Eu parei para pensar nisso um dia desses quando peguei na mão um difusor de óleos essenciais de porcelana. Ao sentir a frieza do material nas minhas mãos, me lembrei das coisas que tocamos, dos cheiros que sentimos, dos barulhos que ouvimos, imagens que vemos e dos gostos que nem sempre paramos para apreciar ou simplesmente perceber. É uma aventura, ficar consciente de coisas simples. Quando você começa a se conscientizar do dia a dia, automaticamente, você começa a perceber sua respiração também, como digo sempre, é muito louco, rsrs. Comece a explorar mais os seus sentidos, eles são um presente de Deus.




7 - Observe sua respiração
Praticando a dica 6, você perceberá a dica 7 tomando forma em sua vida. Mas, você pode fazer uma observação intencional de sua respiração durante o dia. Isso vai te ajudar a ficar mais consciente do mundo que te cerca e do mundo interior que te habita. Você pode fazer pausas intencionais durante o dia, ou simplesmente soltar um suspiro profundo. Sinta o ar que entra e sai dos seus pulmões.

Dica: Relaxamento Cardio Respiratório - Arly Cravo - clique no link abaixo

8 - Coloque a meditação na sua rotina
Eu fiquei um pouco afastada da meditação durante um tempo, e acabei retornando devido à alguns problemas de saúde em que a meditação influencia muito positivamente. A meditação é muito importante e deve ser realizada se possível, diariamente, nem que seja 5 minutos por dia. A prática ajuda no realinhamento fazendo com que nós consigamos ter uma maior percepção de nós mesmos, além de interferir de modo positivo na saúde física também. Se você tem muita dificuldade de colocar atenção na sua rotina, sugiro que comece a meditar, e tente, mesmo que seja difícil, meditar diariamente. Atualmente, eu recomendo a meditação diária, porque na minha experiência a não realização diária trouxe impacto negativo, mas avalie suas condições e prioridades.

Espero que você tenha gostado das dicas, e se gostou compartilha aqui nos comentários, o que você pensa em realizar para colocar mais atenção, ou o que você tem feito de diferente das dicas acima, mas que tem te ajudado...Compartilha aqui com a gente!

Até mais!!!

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Como reconhecer uma pessoa confiável



Será que é possível reconhecer uma pessoa confiável observando seu comportamento?
Às vezes sim, às vezes não. Acredito que não há uma resposta 100% exata para essa pergunta.

Em geral, eu costumo observar alguns padrões de comportamento para confiar ou deixar de confiar em alguém. Embora, essa não seja uma receita aplicável para todas as pessoas e situações, a observação dessas características pode pelo menos nos dar uma noção sobre quem é a pessoa que estamos lidando, porém, falhas podem acontecer né, já que estamos lidando com seres humanos e comportamentos não são engessados, então isso é só um guia para dar uma visão geral.

Confiança é algo muito importante para mim, tanto nas relações pessoais como profissionais, porém temos que partir do princípio que ser uma pessoa íntegra e confiável nem sempre vai ser algo importante para todas as pessoas, nem sempre todos pensarão como a gente em relação aos relacionamentos, estabelecimento de vínculos, entre outros. Confiar é preciso, mas também é preciso ligar o radar quando estamos lidando com pessoas que são completamente diferentes da gente.

A não ser que a pessoa seja psicopata (nesses casos é bem difícil perceber porque em geral eles conseguem articular muito bem, te envolvendo na conversa, sugiro que você ouça o podcast "Como reconhecer um psicopata da Gisela Vallin - clique aqui para ouvir - ) as pessoas comuns dão sinais quando são confiáveis. Hoje, eu vou compartilhar com você, algumas coisas que observo nas pessoas e que me ajudam a perceber se elas podem ser pessoas confiáveis. Claro que a gente pode se enganar, mas observar essas características em linhas gerais, ajuda bastante. Vamos lá!


- São consistentes
Uma pessoa consistente é aquela que mantém um padrão de comportamento muito parecido. Sabe aquela pessoa que trata todos igualmente independente da situação financeira, cargo que ocupa, status social. Em geral, trata-se de uma pessoa respeitosa com todos. Essa é uma questão muito importante para ser observada. 




- Respeitam limites
Pessoas confiáveis sabem respeitar limites. Elas não levam para o lado pessoal, e sabem se retirar se percebem que podem invadir o espaço do outro. Em geral, não dão algo esperando receber em troca. Pessoas confiáveis geralmente têm bom-senso e evitam ao máximo "sugar" os outros com suas necessidades. Sabem respeitar o valor de um serviço, sabem respeitar horários, sabem como pedir algo e entendem quando suas necessidades não podem ser atendidas quando isso fere o limite estabelecido pelo outro.

- Mostram gratidão
Eu sempre observo a gratidão na forma como as pessoas lidam comigo. Se elas em geral, agradecem pela ajuda, ou se são gratas por coisas que outras pessoas fazem por elas, ou se são do tipo de pessoa que diz "não fez mais que a obrigação". É legal observar esse comportamento tanto em coisas triviais, como em coisas de maior importância. Como anda a gratidão ao seu redor hein?




- Reconhecem o trabalho do outro
Uma das coisas que mais me deixa pé atrás com alguém é o não reconhecimento do trabalho do outro. Você já deve ter visto aquele tipo de pessoa que você trabalha junto em um projeto, e ao finalizar ela vai sozinha colher os louros? Ou até pior, se apropria de algo que você fez? Como se ela tivesse feito tudo só? Não cita seu nome, não dá créditos e muito menos agradece a ajuda. Eu observo se a pessoa tem o costume de agir assim comigo e com outras pessoas. Se eu perceber esse tipo de comportamento, ela ganha pontos negativos no critério confiança.

- Assumem a própria responsabilidade
É tão bonito quando alguém assume a própria responsabilidade sem necessitar ficar difamando o outro não é mesmo. Assumir a própria responsabilidade é uma característica de pessoas altamente confiáveis. Eu digo altamente confiáveis, porque em geral, a grande maioria das pessoas não assume a responsabilidade por suas ações, entrando num sistema de autodefesa, quando a gente direciona o dedo para o outro é como se o peso ficasse menor na gente, por isso, hoje em dia é muito difícil ver pessoas assumindo responsabilidades pelos seus equívocos. Muita gente direciona a responsabilidade para o outro. 

Quebrou alguma coisa?
É porque o outro não sabe operar o equipamento.

O computador travou?
Desse ser porque o outro pegou um vírus.

Eu errei essa planilha?
Foi porque fulano não parava de conversar comigo.

Dificilmente ouvimos:

"Isso quebrou porque talvez eu não tenha regulado direito. Vou verificar atentamente para ver de quem foi a responsabilidade."

"Esse computador travou porque talvez esteja muito velho. E eu andei contendo gastos. Vamos analisar melhor a causa."

"Eu errei essa planilha porque fulano não parava de falar comigo e eu não consegui impor limites e acabei me desconcentrando."

O foco está sempre no outro. Acredito que devemos sim responsabilizar o outro pelo que lhe cabe, mas também devemos estar atentos se não estamos fazendo isso tentando "tirar o nosso da reta", pessoas que fazem isso frequentemente acabam se tornando menos confiáveis.

- São empáticas
Empatia é uma característica de pessoas confiáveis. Pessoas confiáveis em geral conseguem enxergar como o outro vai se sentir, se vai ficar muito atarefado, como seria para aquela pessoa passar por determinada situação. Pessoas empáticas conseguem compreender o outro emocionalmente e dificilmente saem passando por cima de tudo e de todos. Dificilmente, colocam o carro na frente dos bois. Ela se imagina como você se sentiria, e assim age da melhor forma possível. Se você parar para observar, conseguirá ver que as pessoas que você mais confia são aquelas que demonstram uma maior empatia em relação aos outros.

E você, usa algum critério para reconhecer se uma pessoa é confiável.
Conta para mim aqui nos comentários!


terça-feira, 17 de setembro de 2019

Vídeo - Como lidar com um dia ruim - 1ª parte


No vídeo de hoje, eu vou compartilhar com você algumas dicas de "Como lidar com um dia ruim". O vídeo está dividido em duas partes.
Hoje, na parte 1, eu apresento 5 dicas, as próximas estarão no próximo vídeo.
Espero que você goste!


quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Durante a tormenta, se dê um tempo

Tem uma passagem na bíblia que gosto muito, que é aquela de quando Jesus caminha sobre as águas e acalma a tempestade, e sobre o medo que nos assalta quando estamos passando por alguma tormenta, seja ela de que tipo for. Sentimos o mesmo medo de Pedro, falta-nos a confiança de Jesus para podermos nos manter calmos sobre as águas que avançam, e ao sermos como Pedro afundamos cada vez mais.



Eu tenho passado por alguns problemas de saúde este ano, e muito deles estão me fazendo rever muitas coisas, entre elas, a minha relação com meu pai e o meu tempo. Pensando no medo que sinto por não estar cem por cento saudável, me lembrei de Jesus e Pedro, e senti que me anda faltando confiança...Confiança na minha alma, confiança no Deus que vive em mim...porque ao me desesperar afundo na tormenta. 

Resolvi compartilhar este texto com você que talvez esteja passando por alguma tormenta que só você sente o peso, lembre-se de algumas coisas:


1-Seu medo só piora seu estado
Não importa a situação pela qual você esteja passando, quanto mais medo você criar, mais irá piorar sua situação. Então, por mais aterrorizante que seja, confie, nada acontece fora de seu tempo, nada. Se você está enfrentando uma situação delicada neste momento, é porque essa é a hora de agir. Talvez haja um propósito, talvez você precise enxergar por um outro ângulo, e ao temer você só conseguirá embaçar sua visão, que não ficará clara o suficiente para poder te ajudar. Então, liberte-se do medo. Faça uma oração, medite, faça terapia. E reflita:

"25 Alta madrugada[b], Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar. 26 Quando o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e disseram: “É um fantasma!” E gritaram de medo.
27 Mas Jesus imediatamente lhes disse: “Coragem! Sou eu. Não tenham medo!”
28 “Senhor”, disse Pedro, “se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas”.
29 “Venha”, respondeu ele.
Então Pedro saiu do barco, andou sobre as águas e foi na direção de Jesus. 30 Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: “Senhor, salva-me!”
31 Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: “Homem de pequena fé, por que você duvidou?”
32 Quando entraram no barco, o vento cessou. 33 Então os que estavam no barco o adoraram, dizendo: “Verdadeiramente tu és o Filho de Deus”.
34 Depois de atravessarem o mar, chegaram a Genesaré. 35 Quando os homens daquele lugar reconheceram Jesus, espalharam a notícia em toda aquela região e lhe trouxeram os seus doentes. 36 Suplicavam-lhe que apenas pudessem tocar na borda do seu manto; e todos os que nele tocaram foram curados."



2-Sê dê um tempo
Quando você sentir que está cansado, sobrecarregado, se dê um tempo. Faça uma pausa para refletir sobre si mesmo, sua vida, suas escolhas. O que pode mudar agora, e o que pode ser trabalhado para uma mudança futura. Escolha atividades que você gosta de fazer. Vá caminhar em um parque, colocar os pés na grama, prepare refeições que você goste, escute músicas que fazem bem, saia para respirar na hora do almoço, faça uma pausa para meditar, observar as pessoas, pássaros, animais. Tire um tempo para si mesmo, olhe-se de fora, e se dê um tempo. Se está estressado com o trabalho? Invista no seu hobby, se dedique a uma atividade paralela que traga prazer, caso hoje, não seja possível trocar de trabalho. E se também, quiser parar e tirar um tempo para não fazer nada, tudo bem também, é você que tem que sentir e decidir pelo melhor para você.

"Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver." Dalai Lama


3-Menos ansiedade mais resultado
Você já reparou que quanto mais ansiedade você coloca em algo, mais aquilo fica distante de você? Eu reparei nisto recentemente, eu sou ansiosa por resultados. Resultados de projetos, resultados de tratamentos de saúde, resultados de um exercício físico, resultados de uma meditação. E notei que essa busca por resultados rápidos acaba prejudicando todo o processo. Quando a gente foca no resultado, não enxergamos a trajetória. Quando focamos no destino não apreciamos as flores no caminho. E isso foi e está sendo um aprendizado e tanto para mim, aprender a me desapegar do resultado. Por exemplo, você precisa mudar a dieta por causa do colesterol alto, ao invés de fazer a dieta focado no número, pense no processo, comer novos alimentos, sair para as compras, aprender a cozinhar, sentir novos aromas e sabores durante o processo. Não foque no resultado, foque no processo. Essa dica é para mim e para você, hein! E aí vamos juntos observar as flores?


"Minha vida não tem o viço, o brilho e as besteiras da juventude. Mas estou feliz, trabalhando. Aprendendo a cada hora. Aprendendo no sorriso e na dor. Estou buscando uma verdade que me liberte, conforme prometeu Jesus Cristo. A verdadeira liberdade é estar na unidade. Eu preciso deixar de me sentir diferente dos outros. Cultivar o amor. O amor reaproxima, vence a distância da ignorância." Professor Hermógenes

"O sofrimento não alcança apenas os maus, os perversos. O sofrimento alcança os bons. O sofrimento dos bons, na minha observação, no meu estudo, pode ser a oportunidade de afastar os futuros obstáculos. Não digo talvez os últimos, mas os obstáculos mais sérios. Então aproveite o sofrimento e veja a lição que ele vem trazer." Professor Hermógenes

Espero que as dicas de hoje possam te ajudar, se você está passando por algum problema, seja ele qual for, só você pode dizer o quanto ele é pesado ou não para você. Não deixe que as atitudes de outras pessoas influenciem seu bem-estar, siga caminhando, como diz o famigerado ditado:

"Depois da tempestade, vem a bonança."

Confie!

Deus te guarde :)

Dica de música - Enya 


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Vídeo - Pessoas que criticam demais os outros


No vídeo de hoje, vamos conversar sobre aquelas pessoas que criticam tudo e todos, e quase nunca ou nunca conseguem enxergar algo positivo. Tem também uma dica de floral para estas pessoas Espero que você goste!


segunda-feira, 2 de setembro de 2019

10 formas de sabotar a sua felicidade

Segundo Dalai Lama, uma das formas de cultivar a felicidade é seguir os 3Rs:
  • Respeito por si próprio;
  • Respeito pelos outros;
  • Responsabilidade por todas as suas ações;
Será que em nosso dia a dia, conseguimos cultivar esses 3Rs e principalmente será que conseguimos notar quando estamos sabotando a nossa felicidade? Será que na correria do dia a dia conseguimos perceber nossos comportamentos e pensamentos que de alguma forma influenciam o nosso bem estar?

Alguns comportamentos que decidimos adotar podem nos deixar mais felizes, e outros podem ter o efeito contrário, nos deixando mais infelizes, perceber esses comportamentos é importante para vivermos uma vida mais equilibrada, obviamente de vez em quando acontecerão deslizes e eles fazem parte do processo de aprendizagem, o importante é perceber os deslizes, não se julgar e construir um comportamento mais saudável. 

Vamos ver hoje, alguns comportamentos que sabotam a nossa própria felicidade, tendo consciência deles, fica mais fácil identificá-los e agir com mais calma e consciência para modificá-los.




1 - Você faz coisas que não gostaria de fazer
Ok, principalmente no ambiente de trabalho faremos algumas tarefas que julgamos como chatas, mas de certa forma precisamos realizá-las. Até em um trabalho que você gosta muito, isso também pode acontecer e é normal. O problema começa quando essas coisas (não exatamente só relacionadas ao trabalho) te deixam para baixo, diminuem sua autoestima, e fazem com que você se sinta mal. Em geral, este item está muito ligado à necessidade de agradar alguém, e então você pode começar a fazer coisas que não se sente bem, que ferem sua dignidade para agradar alguém, e aí que mora o perigo, entende? Por isso, observe quais sensações acontecem com você ao realizar algo, como você se sente depois, se depois de realizar alguma coisa por alguém, você sentir tristeza, medo, desconforto, desvalorização, talvez esteja na hora de avaliar essas coisas e tomar as rédeas da sua vida e da sua felicidade. Pense com carinho nisto ;)

2 - Você não diz claramente o que sente
Quantas vezes você se sentiu magoado com alguém, e quando foi questionado pelo sentimento, respondeu: "Nada, não aconteceu nada." Numa tentativa que o outro adivinhasse como você estava se sentindo. Nas relações humanas, o nível de clareza na comunicação determinará o sucesso do relacionamento, e eu não me refiro somente aos relacionamentos à dois, mas também amizades, relações de trabalho, relações entre familiares. Por isso, por mais difícil que seja, precisamos nem que seja aos poucos praticar uma comunicação mais clara, isso facilita muito os relacionamentos e consequentemente nos sentiremos mais felizes.

3 - Você tem medo de dizer não
Nem sempre será possível dizer sim em todas as situações, e isso é normal e compreensível. Saber dizer não e estar preparado para ouvir um não também, faz parte da vida. Por isso, aprenda a dizer não quando necessário.

4 - Você não reconhece o seu valor
Você conhece alguém que nunca reconhece o próprio valor, o próprio trabalho, as próprias características positivas? Será que essa pessoa é você?
Pare e pense um pouco, como está a sua validação de si mesmo?
Uma autoestima fortalecida e uma vida mais feliz também estão pautadas no reconhecimento de si mesmo. Como dica neste item, vou deixar o link de um vídeo da psicóloga Rosana Braga, onde ela ensina como aumentar a autoestima com um exercício simples. Vale a pena assistir, recomendo.


5 - Você vive se comparando
Se você se compara excessivamente com os outros, ou você sempre achará que falta algo na sua vida, e por isso é infeliz, ou criará uma arrogância achando que tem mais do que os outros e por isso é melhor. A comparação pode gerar inferioridade ou superioridade, mas o que mais percebo é a sensação de inferioridade. As redes sociais facilitaram muito esse comportamento. Achamos que algo está faltando, por não termos um relacionamento, não viajarmos tanto, não termos um carro X, Y, Z. Na minha vida, tem um monte coisa que a sociedade cobra que eu, neste momento, não tenho. E eu já sofri muito por causa disso, hoje em dia, penso que cada pessoa tem seu momento, uma rotina, e uma configuração de vida diferentes, e que me comparar com o outro é uma grande furada, e como responsável pelos meus sentimentos, eu decidi não me comparar mais. Lembre-se que nem toda realidade cabe na sua realidade. Você é único. Talvez a vivência de uma pessoa, não seja a vivência mais adequada para você. Reflita sobre essa questão com calma e observe o quanto a comparação tem te afetado, e como a necessidade de preencher requisitos sociais pode estar roubando sua felicidade. Vou deixar abaixo, um vídeo sobre esse assunto que gravei há um tempo, talvez te ajude também.



6 - Você não aprende com seus erros
Imagine que você está caminhando em uma longa estrada e você tropeça em uma pedra que está enterrada no chão, metade da pedra está presa no chão e a outra metade está exposta, e você tropeçou naquela metade exposta, você precisa passar novamente por esta estrada, porém não consegue remover a pedra porque ela está presa ali naquele pedaço de chão, o que você faz? Tropeça novamente na pedra ou decidi contorná-la. Sabendo que a pedra é o seu ponto fraco no caminho, você tem o poder de decisão, escolhe tropeçar novamente ou escolhe mudar algo na rota para tentar evitar o tropeção novamente. Os erros na vida são como a pedra presa na estrada, muitas vezes eles estarão aparecendo em nosso caminho, mas uma vez que aprendemos com ele, já não precisamos ficar repetindo o padrão o tempo todo. Existem formas de contornar, mudar a rota, mudar pensamentos, mudar sentimentos, mudar para não repetir os mesmos erros. Esteja consciente das suas pedras para saber como contorná-las e não tropeçar nelas o tempo todo.




7 - Você quer controlar tudo e todos
Não existe felicidade no excesso de controle. Aparentemente, no início podemos sentir uma falsa sensação de segurança, mas essa sensação tende a se esvair com o tempo e se transformar em angústia. Querer controlar tudo e todos é uma excelente maneira de sabotar a sua felicidade. Deixe a vida acontecer, e não tente controlá-la, tenha controle somente sobre a sua reação quando a vida apresentar seus altos e baixos, isso será de importância na manutenção do bem estar.


8 - Você tem medo de tomar uma decisão
Decidir implica em se responsabilizar, quando postergamos demais uma decisão, sabotamos a nossa felicidade porque na verdade estamos com medo de sermos os responsáveis pelo resultado. Mas não decidir coloca-o sempre no modo de dúvida, e o modo de dúvida causa angústia, e quem é feliz angustiado? Portanto, aprenda que decidir talvez seja sua melhor opção. Analise seu medo de decidir, o que pode estar atrelado à ele. Avalie com cuidado e clareza, e se quiser assista o vídeo onde compartilho algumas dicas para lidar com as dúvidas.



9 - Você se critica constantemente
A autocrítica pode ser positiva em alguns momentos, ela pode nos fazer avaliar um desvio de comportamento, observar como estamos reagindo aos acontecimentos e ter um efeito muito positivo no processo de autoconhecimento. Autocrítica saudável é aceitável. Porém, é preciso perceber se esse processo está sendo benéfico ou está causando mais insegurança e baixa autoestima, e consequentemente minando a felicidade. É preciso avaliar a voz do crítico interno. Se você tem pensamentos do tipo:

"Não faço nada certo."
"Se eu tivesse feito com mais perfeição, o resultado teria sido melhor"
"Acho que foi sorte aquela promoção. Afinal, não sou tão bom assim."

Eu já me peguei refazendo uma situação na minha cabeça, só para achar um momento para me criticar, quando percebi esse movimento, parei, respirei e repeti para mim mesma:

"Pare de reviver essa situação. Você está procurando um motivo para se culpar e se criticar. Mude o disco, mude a forma de pensar. Esqueça isso agora, você fez o que estava ao seu alcance e pronto."

Pessoas com tendência a se criticar excessivamente, em geral, ficam revivendo situações mentalmente para buscar na memória um motivo para se criticar e confirmar a crença de não ser bom o bastante. E me responda, como ser feliz se acredito que nunca sou bom o bastante? Pois é, talvez esse padrão não te deixe enxergar as suas características positivas, por isso, reveja!

10 - Você teima em cultivar relacionamentos não saudáveis
Poxa, quantas e quantas vezes teimamos em cultivar relacionamentos e amizades tóxicos. Parece uma atração por aquilo que faz mal. Mas, como saber o que é saudável e o que não é saudável?

Observe a si mesmo.

Como você se sente depois de sair com esta pessoa?
Como você se sente depois de conversar com tal amigo?
Que reações essa pessoa desperta em você?

Relacionamentos não saudáveis causam medo, desconforto, baixa autoestima, sensação constante de dúvida, raiva, tristeza, insegurança. Mas, o quanto você está consciente de si mesmo para perceber essas reações? Muitas vezes, as pessoas esfregam na nossa cara um padrão de comportamento que nos fere, e nós teimamos em pagar para ver onde vai dar. E aí, nos desgastamos, ficamos infelizes, por pura teimosia. Se observar, avaliar, abrir mão do que fere, não é fácil, é preciso se conscientizar de si mesmo, do seu merecimento, e tem algo simples que você pode fazer para te ajudar neste processo, meditar, e quem sabe procurar ajuda de um profissional para lidar com esta questão mais conscientemente.

Se você percebeu ao ler este texto que está se sabotando, talvez seja hora de mudar esse comportamento. Procure ajuda, se informe, você é grande responsável pela sua vida :)