quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Vazio pós-faculdade



Para muitas pessoas isso pode soar estranho, nós ouvimos muitas vezes as pessoas falando sobre o vazio após terminar um relacionamento, mas para quem estudava, também se forma uma espécie de buraco quando você termina a graduação.



Eu estava em um ritmo frenético de estudos desde 2003, quando fiz um curso técnico em alimentos, logo depois de terminá-lo consegui um trabalho na área e comecei a fazer faculdade, foram 5 anos estudando farmácia, e terminei em 2013. Durante o período de estudos eu tinha muitas expectativas em relação à minha vida profissional, sonhava em sair da área de alimentos, ou entrar em uma grande empresa, ou ir trabalhar na indústria farmacêutica ou cosmética, me dedicava no curso de inglês aos sábados, e a rotina de chegar em casa por volta da meia-noite com os tornozelos inchados era cansativa, mas por trás dela havia o sonho de ganhar mais, de ser reconhecida profissionalmente.


Eu sempre amei estudar, não consigo me ver em outra área diferente da saúde, a faculdade de farmácia me ensinou tanta coisa legal, eu conheci tanta gente bacana, as aulas de anatomia humana, que sonho, a professora era ótima, as aulas de química orgânica, as engraçadas aulas de microbiologia e imunologia que o professor tornava leves e divertidas, e junto com elas a conversa com os amigos ajudavam a tecer a rede de sonhos, que infelizmente não se realizaram do jeito que eu queria.



Ao sair da empresa onde eu trabalhava, fiquei meses sem conseguir um estágio e meu dinheiro para continuar pagando a faculdade estava acabando, então fui fazer uma entrevista no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) para trabalhar na área administrativa da Pesquisa Clínica, fiz uma boa redação sobre a relação da bactéria Escherichia coli e o saneamento básico, e na mesma semana fui fazer outra entrevista em uma empresa de consultoria na área de alimentos. A empresa de consultoria me chamou primeiro, e no dia que eu comecei o estágio, o ICESP me chamou para trabalhar. Eu já tinha começado na consultoria, desisti do ICESP, hoje me pergunto, e se eu tivesse tido a coragem de trocar? Como eu estaria profissionalmente? Infelizmente, eu nunca vou saber.



E hoje trabalho na área de alimentos, e no final de 2015 comecei a entrar em uma busca interior, eu achava que era devido à prática de yoga, à busca pelo autoconhecimento, isso também fez com que eu me questionasse em alguns pontos. Mas esses dias conversando com uma amiga da época da faculdade, eu percebi que esse vazio pode estar presente em muitas pessoas. Existe uma necessidade de preencher o vazio que o término da graduação deixou, as pessoas, as catracas lotadas, os professores, as provas integradas, a biblioteca, a preocupação com as notas, o frio na barriga ao esquecer o jaleco no dia da aula prática, tudo isso faz uma falta danada, e às vezes na ânsia de preencher esse espaço acabamos entrando um estado de agitação, ansiedade, frustração e indecisão.



Queremos iniciar uma nova carreira, procuramos cursos rápidos para preencher o espaço, eu fiz isso, e gastei dinheiro que poderia ter poupado. Gastei com uma pós-graduação que só falava de restaurante (eu trabalho na indústria, então achei melhor sair), fiz curso de massagem terapêutica, estética facial, e não gostei. Ficava no Linkedin olhando o currículo de outras pessoas, e pensando será que fiz as escolhas erradas? Mas na verdade, esse questionamento vinha do vazio que o término da graduação deixou.




Então, eu decidi iniciar a pós-graduação na área de Segurança de Alimentos, e estou gostando, é importante nestes momentos de indecisão analisar os fatos com cuidado, porque senão, nós vamos nos jogando em várias opções que às vezes não tem muito haver com aquilo que estamos buscando e na ânsia de preencher a falta de vida social, a vida casa-trabalho/trabalho-casa e as insatisfações com os rumos na vida profissional acabamos dando um tiro no pé. Então se você estiver se sentindo meio sem rumo após terminar a graduação, avalie as suas escolhas com calma, não se sinta inferior se as coisas não estão como você planejou durante a graduação, você se esforçou, estudou, batalhou, olha quanto valor há em tudo isso.



Faça novas escolhas ouvindo o seu coração, defina metas, trace planos, busque apoio dos seus familiares e amigos, talvez nunca estaremos 100% certos de uma escolha, e alguns momentos que vivemos acabam por aumentar esta incerteza, avalie calmamente se as dúvidas estão relacionadas somente à este vazio que sentimos após um ciclo de vida ter terminado, ou se realmente o seu coração busca outros sonhos e outros objetivos.




Dica: Se você tem dúvidas quanto ao seu propósito, acho válido conhecer o trabalho da Alana Trauczynski - http://recalculandoarota.com.br/



Eu espero ainda encontrar a minha rota, e espero que você também encontre a sua.











Nenhum comentário:

Postar um comentário