segunda-feira, 23 de julho de 2018

Deixe ir...


Eu gosto de vez em quando de assistir desenhos antigos no Youtube, Doug Funnie, Carmen Sandiego, She-ra, ThunderCats, Caverna do Dragão, e por aí vai, pois eu gosto de relembrar de alguns desenhos que marcaram a minha infância.


Esses dias, eu me lembrei de um episódio do desenho Pica-pau, onde o mesmo, em uma visita às Cataratas do Niágara decidiu que iria descê-las em um barril. Este é um dos meus episódios favoritos, e assistindo novamente, acabei pensando no esforço do segurança em impedir que o Pica-pau fizesse a descida.



Se você já assistiu o desenho, deve ter visto, que todas as vezes que o segurança tenta impedir o Pica-pau quem acaba se dando mal é ele. Pois, ele acaba descendo as Cataratas inúmeras vezes e de forma cômica. O que é interessante observar neste movimento?




Você já viveu alguma situação em que você se esforçou demais para impedir alguma coisa, e mesmo assim, ela acabou acontecendo? Você agiu como o segurança do desenho, fez um baita esforço, e acabou se machucando demais, porque tentou a todo custo impedir o barril de rolar as cataratas, mas no fim ele rolou e ainda passou por cima de você, rs. Observe o movimento, quando você constatar que não consegue impedir, segurar, deixe ir. Algumas vezes, nós nos comportamos como o guarda do desenho, tentamos a todo custo impedir que algo aconteça e no final quem se fere demais somos nós. É tudo uma questão de percepção. Se você estiver fazendo muito esforço, se as suas mãos estão feridas porque você não consegue soltar a corda que te prende a alguém ou alguma situação, pare e observe, será que você não está apegado? Será que você não está sendo como o segurança do desenho e se jogando Cataratas abaixo porque não conseguiu se perceber e perceber o outro?


Não estou dizendo que você não tenha que tentar entender os motivos das coisas não estarem acontecendo como você queria, você tem todo o direito de tentar entender, mas depois disso, é preciso pegar a responsabilidade de sua felicidade para você, e deixar o barril ir embora. Ah, mas nesse barril estão meus sonhos, eu investi demais nesse barril. Eu sei, mas ele quer rolar, e aí, o que você pode fazer em relação a isso? Vai tentar impedir se jogando junto Cataratas abaixo? Tente sempre, mas perceba-se em cada uma dessas tentativas, sinta o movimento, e se não conseguir segurar, deixe ir. Aproveite e medite sempre para conseguir desenvolver a percepção.


Desapego – Osho em O Livro dos Segredos
    
"Todas as nossas misérias e sofrimentos não são nada mais do que apego.
Toda a nossa ignorância e escuridão é uma estranha combinação 

de mil e um apegos.

Nós estamos apegados a coisas que serão levadas no momento da morte, 

ou mesmo, talvez, antes.


Você pode estar muito apegado a dinheiro, 

mas você pode ir à bancarrota amanhã.

Você pode estar muito apegado a seu poder e posição, 

mas eles são como bolhas de sabão.

Hoje eles estão aqui; amanhã eles não deixarão nem um traço. (...)



Todas as nossas posições, todos os nossos poderes, nosso dinheiro, nosso prestígio, respeitabilidade são todos bolhas de sabão.

Não fique apegado a bolhas de sabão; senão, você estará em contínua miséria e agonia.(...)


Compreender que a vida é feita da mesma matéria que os sonhos é a essência do caminho.

Desapegue-se: viva no mundo, mas não seja do mundo. Viva no mundo, mas não permita que o mundo viva dentro de você. Lembre-se que ele é um belo sonho, porque tudo está mudando e desaparecendo.



Não se agarre a nada. 


Agarrar-se é a causa de sermos inconscientes.

Se você começar a se desprender, uma tremenda liberação de energia acontecerá dentro de você.



A energia que estava envolvida no apego às coisas trará um novo amanhecer ao seu ser, uma nova luz, uma nova compreensão, um tremendo descarregar - nenhuma possibilidade para a miséria, a agonia, a angústia.


Ao contrário, quando todas essas coisas desaparecem, você se encontra sereno, calmo e tranquilo, numa alegria sutil. Haverá um riso no seu ser.


Se você se tornar desapegado, você será capaz de ver como as pessoas estão apegadas a coisas triviais, e quanto elas estão sofrendo por isso.

E você rirá de si mesmo, porque você também estava no mesmo barco antes. 



O desapego é certamente a essência do caminho".

2 comentários:

  1. Olá
    Eu achei perfeito este texto, serenidade, equilíbrio é tudo que a gente esta precisando não é mesmo?
    Gosto muito de ler Osho e também percebo que o desapego material é o caminho.
    Grande beijo estarei passando por aqui pra ver novos posts.
    Isabel
    http://www.maisqueumaviajante.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isabel!
      Fico muito feliz com a sua visita. Eu gostei muito do seu blog. Seja bem-vinda por aqui.

      Beijo!

      Excluir