quarta-feira, 4 de julho de 2018

Santa Clarita Diet – uma observação

Atenção - Tem um spoiler básico à frente

Eu terminei de assistir as duas temporadas da série Santa Clarita Diet da Netflix. A série é bem legal, e eu acho que vale a pena assistir, infelizmente a próxima temporada será só em 2019. Um dos episódios da segunda temporada, me fez pensar em uma questão. Em um diálogo com seu marido, Sheila (Drew Barrymore) afirma que a culpa de ter se tornado morta viva foi dela. O marido Joel (Timothy Olyphant) faz algumas considerações, tentando afirmar que na verdade a culpa foi dele.

Mas, conversa vai, conversa vem, uma frase da Sheila (não vou conseguir descrever exatamente o que ela disse, mas dar uma ideia) me chamou a atenção. Ela diz ao marido que só comeu os moluscos (causadores da infecção zumbi) porque era tímida demais para dizer ao garçom que não iria querer o prato, e que mesmo achando o cheiro estranho, ela resolveu comer para não causar uma controvérsia.


Quando eu ouvi esta frase, um sininho tocou. Eu pensei em mim mesma, em todas às vezes que eu disse sim para alguém ou para alguma situação, mesmo querendo ter dito não, porque eu era tímida demais, ou porque eu também achava que não poderia contrariar. Fiquei imaginando em quantas pessoas nesse mundo são iguais à Sheila. Quantas pessoas deitam a cabeça no travesseiro se sentindo tristes porque fizeram algo que não tinham vontade, porque ficaram com medo de contrariar por insegurança, timidez, medo de rejeição.

É claro, que se você sente que também é assim, você não precisa esperar por uma infecção zumbi para mudar esse comportamento. Existem maneiras de fazer isso, com calma, com tempo, aos poucos, um passo de cada vez. Eu afirmo para você que é possível, porque eu passei por isso, não vou detalhar aqui, mas comigo já aconteceu um episódio igual ao da série, envolvendo comida, a mais ou menos 08 anos atrás, onde eu tive vergonha e timidez, e não disse que não queria comer aquele prato, comi na marra, para agradar,  e depois passei mal. Triste né, mas talvez não chegue nem perto das coisas que pessoas com baixa autoestima andam fazendo por aí.

Para mim, essa mudança foi um processo, e pode ser que o que funcionou para mim, não funcione para você, mas em geral, a grande maioria das pessoas têm bons resultados com as dicas que eu vou descrever abaixo, precisa de vontade, disciplina, determinação. E se você ainda não desistiu desse texto, acredito que tenha um pouquinho disso em você. Vamos lá?


Saiba quem você é
É estranho, mas será que você sabe quem você é? Eu, até alguns anos atrás não sabia direito. E olha, é um processo complicadinho. Se conhecer. Quando, eu comecei a fazer terapia e meditar, esse processo tornou-se mais fácil. Hoje, eu sei quem eu sou, do que eu gosto, sei das minhas chatices e sei das minhas qualidades. É importante saber quem você é, porque tendo consciência disso, você consegue identificar o que aceita e o que não aceita, baseando-se na sua auto percepção. Você conseguirá ignorar algumas coisas sem importância, conseguirá não levar tudo ao pé da letra, fluirá leve na vida. Portanto, se você ainda não sabe direito quem você é, primeiro, se puder, faça terapia. Segundo, um exercício bem fácil, olhe-se num espelho e pergunte-se “Quem eu sou? Do que eu gosto? O que para mim é aceitável e o que é inaceitável?” Esses são alguns exemplos de perguntas, você pode fazer outras, escreva num papel as coisas sobre si mesmo. Sabendo quem você é tudo se torna mais fácil.

Meditação, sério?
Seríssimo. Eu percebi um upgrade na minha vida depois que introduzi a prática de meditação na minha rotina, e isso foi no final de 2016. Antes disso, eu já fazia yoga e terapia, mas parece que faltava algo. Eu tinha alguns medos, umas travas. Então, um dia resolvi tentar e a mudança foi muito positiva. A meditação funcionou como a infecção zumbi da Sheila, rsrs, ela me libertou, me senti mais leve, mais positiva, mais feliz.  Por isso, eu sempre recomendo meditação para as pessoas, a mudança é muito boa. É claro, que você vai ter problemas e uma série de coisas chatas que fazem parte da vivência por aqui, mas o modo como você vai reagir irá mudar, e mesmo que você ainda reaja de uma forma equivocada, pensamentos de orientação mais inteligentes irão surgir, é um processo meio intuitivo, que eu não sei se consigo explicar tão bem. Mas, se você se sente preso, sente que não consegue ser quem você nasceu para ser, tente começar a meditar. Poucos minutos por dia, e você vai ver que nem precisa comer moluscos infectados para ser quem é, rsrs, acredite em mim.

Essas duas dicas são essenciais para começar, e tem um efeito espetacular, eu posso garantir isso, porque já passei por situações nas quais tive que me posicionar, e a forma como encarei me deixou bem feliz. Então, um passo de cada vez, vá desenhando a vida que você quer viver, vá se apropriando dos seus gostos e desejos. Se posicione, a vida vai te responder, às vezes, com desafios para te testar, mas o mais legal, é conseguir transpor esses desafios, com inteligência, sem medo, sem insegurança, e perceber que agora sim, você está no lugar de onde nunca deveria ter saído, na direção da sua própria vida.

Se você ainda não assistiu a série, eu recomendo que assista é bem divertida.




Nenhum comentário:

Postar um comentário