sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Troque o doce por uma fruta



Essa dica é bem batida, e nós ouvimos frequentemente os profissionais de nutrição falando sobre isso. São dicas de comer menos doces, investir em alimentos com mais fibras, comer menos gorduras, e por ai vai.



Eu nunca fui fã de radicalismos alimentares, até já falei aqui no blog (clique aqui para ler o post) sobre o que eu acho da ideia de só comer coisas saudáveis em excesso, e continuo achando que todo excesso é prejudicial. Então, o meu corpo resolveu me enviar sinais sobre o excesso de um alimento que eu sempre tive paixão, o AÇÚCAR. Quem me conhece sabe que eu sou um formigão, amo, amo açúcar, tanto que os melhores pratos que eu cozinho, são doces, que variam de bolos, tortas, biscoitos, entre outros. E eu costumo adoçar tudo, do chá ao café, passando pelo suco com muito açúcar, até ficar meio melado.



Desde 2008, eu sofro com crises de labirintite, que tem como gatilho, a ansiedade e o stress, mas que parando para observar eu tenho percebido que quando estou abusando muito do açúcar, a labirintite vem com toda força, demora mais para passar e chegar a interferir inclusive na minha audição. De uns tempos para cá, eu tenho tido crises de labirintite a cada dois meses, variando de intensidade fraca a mais forte. A última me pegou dia 21 de agosto, e foi super forte, eu fiquei dois dias ausente do trabalho, e o otorrinolaringologista trocou a medicação que eu uso durante as crises, eu pagava R$ 8,00 em um medicamento, e agora pago R$ 52,00 em outro medicamento composto para vertigem. Diante disto, eu conclui que está na hora de começar algumas mudanças, inserir mais exercícios de equilíbrio no yoga, praticar todos os dias exercícios para reabilitação vestibular (peguei uns bem tranquilos em sites de fisioterapia), e diminuir o consumo de açúcar refinado. Fiquei bem triste com isso, ter que diminuir o açúcar, mas meu corpo está sinalizando, é hora de ouvi-lo com mais carinho e atenção. 



Eu me lembro que em 2008, com a minha primeira crise de labirintite eu fui ao otorrinolaringologista e ele me pediu uma série de exames, que incluía a análise de triglicérides. Os triglicérides são um tipo de gordura presente no sangue, que quando está acima de 150 ml/dL em jejum, aumenta o risco de doenças cardíacas e de derrame por exemplo, principalmente quando o colesterol também está alto. Bom, tudo normal, até o médico me olhar com aquela cara de desconfiado, e me perguntar se eu comia muita gordura, e eu disse claro que não (eu realmente como poucos alimentos gordurosos), e ele emenda, e açúcar, agora falou a minha língua doutor, açúcar é minha paixão. Meu nível de triglicérides não estava alarmante, mas já tinha saído do valor de referência, eu acho que foi culpa das cocadas que eu comia todo dia no trabalho, rs.



Então, se você é fominha por açúcar saiba que este alimento pode aumentar o nível de triglicérides no sangue. Não é só comida gordurosa que ajuda a aumentar esse nível não. Mesmo assim, não parei com os doces, e pensei de amarga já basta a vida, vamos encher o caco de açúcar e ser feliz. Só que o corpo cobra os excessos em longo prazo, e ai, a dívida está tão grande, que a gente não sabe se vai dar para pagar. Foi então que agora, eu resolvi maneirar no açúcar, pois ainda dá tempo. 



A primeira coisa que podemos fazer é: 


- Trocar o doce por uma fruta

Eu tenho investido em frutas como mamão, maçã, pera. Eu comia todos os dias após o jantar, um chocolate (twix, snickers, m&m’s). Tive que dar adeus para este hábito e passei a investir em frutas, a conta do supermercado também ficou menor com a troca. Para dar uma variada coloco as maçãs e a pera no forno para dar uma amolecida e salpico um pouco de canela por cima. 



- Dessensibilizar o paladar

O nosso paladar é acostumado com açúcar, uma maneira fácil de fazer uma dessensibilização é retirar o açúcar aos poucos. Eu estou diminuindo o açúcar do chá e dos sucos. Antigamente, eu adoçava um chá com cerca de 2 colheres de chá (cheias) de açúcar, hoje, eu coloco 1 colher de sobremesa rasa, e estou tentando me acostumar a alimentos menos doces.



- Comer de 3 em 3 horas

Eu passei a controlar o tempo entre uma e outra refeição. Eu tento me alimentar de 3 em 3 horas. Às 07:00hs da manhã, eu tomo café em casa, depois por volta das 10:00hs eu como alguma coisa no trabalho (vario entre uma fruta, ou 3 biscoitos de água e sal com chá de erva-doce ou capim cidreira com pouco açúcar). Almoço 13:00hs e faço um lanche às 16:00hs, e por volta das 18:30hs eu janto em casa. Eu tenho feito isto não para emagrecer, mas para controlar a ansiedade de comer doces, eu estava muito viciada em chocolate, bolos e biscoitos doces, e não tinha horário para ingerir, uma verdadeira bagunça, que ajuda a piorar a labirintite.



- Avalie os rótulos de produtos no supermercado

Eu sempre fui apaixonada por rotulagem de alimentos, e na minha profissão acabo ficando em contato com as legislações tanto nacionais como internacionais sobre este tema, e eu aprendi muita coisa. É muito importante, sempre que compramos um alimento no supermercado avaliarmos o rótulo, assim verificamos a quantidade de cada ingrediente naquele alimento, se tem algum alergênico, se a lista de ingredientes comprova a alegação de propriedade funcional daquele alimento, entre outros.

Uma dica que eu te dou é avaliar a lista de ingredientes, sempre o primeiro ingrediente listado é o que está em maior quantidade naquele produto. Por exemplo:



Vamos avaliar a lista de ingredientes deste biscoito Cracker.





O primeiro ingrediente é a farinha de trigo, isso significa que a farinha de trigo é o ingrediente de maior quantidade neste produto, seguido pela gordura vegetal, e assim por diante, sendo que o ingrediente com menor quantidade é o melhorador de farinha, que está listado por último. 


Ler os rótulos é importante para você identificar que tipo de alimento está ingerindo, e como ele pode interferir na sua saúde, tanto negativamente como positivamente. Tenha bastante atenção em relação aos pães integrais, a grande maioria tem a farinha de trigo refinada como o principal ingrediente, portanto, não são assim tão integrais como se denominam no painel principal (frente) do rótulo.



De vez em quando, nós podemos comer um pedaço de bolo, um doce na casa de um amigo, o que não podemos é perder a mão, e fazer como eu estava fazendo, comendo doces em grandes quantidades e diariamente. A conta vem meu amigo, e às vezes o valor é alto. Você está disposto a pagar? Eu não.

2 comentários:

  1. Obrigado pelo post, estava precisando saber algumas coisas

    ResponderExcluir
  2. Olá Viva Melhor...Que bom que gostou, se tiver alguma sugestão de assunto que gostaria de ler aqui no blog sobre qualidade de vida e alimentação é só falar. Um grande abraço e obrigada por acompanhar o blog.

    ResponderExcluir