segunda-feira, 29 de maio de 2017

Que tal começar agora?

Estranhou o título do post?
Deixa eu te explicar melhor, então.

Este final de semana, eu fiquei literalmente quebrada depois de ajudar meus pais a pintar a sala lá de casa, parecia que eu tinha corrido uma maratona, então, fiquei o domingo em casa descansando os músculos, rs. Eu resolvi assistir alguns vídeos de uns canais que estou inscrita no youtube, mas daí me empolguei e comecei a cantar umas músicas junto com os vídeos e acabei vendo esse vídeo aqui:



Eu acho esses meninos muito talentosos, eles fazem cover de várias músicas famosas, e às vezes fica melhor do que a música original. Então, eu comecei a pensar o seguinte:

Você já pensou se esses garotos desistissem de cantar e gravar vídeos porque estavam fazendo uma outra versão do que já existe? Será que o trabalho deles soaria repetitivo? Quanta gente já faz cover?

Mas, eles confiaram e fazem lindamente o trabalho de fazer uma nova versão para uma música. Então, eu te pergunto:

O que você tem vontade de começar a fazer?

Tem vontade de gravar um vídeo sobre culinária? Ah tá, mas desistiu porque já tem muita gente que faz isso? Ah, que pena! Você já pensou que seu tempero pode ser diferente? Que você pode dar uma cara nova a um prato? Ou o seu jeitinho de explicar pode ser mais didático e as pessoas entenderem melhor?


Tem vontade de fazer um blog sobre fotografia? Ah tá, mas desistiu porque tem um monte de gente talentosa por ai e você acha que ninguém vai gostar das suas fotos? Mas, e se seu olhar for diferenciado, e se o jeito que você fotografa capta mais sensibilidade? E se as borboletas preferirem as suas lentes? Talvez, o seu olhar seja o que o mundo precisa. Mais cor, mais luz.

Tem vontade de aprender a tocar um instrumento musical ou dar aulas? Ah tá, mas desistiu porque está sem tempo, acha que não consegue? Mas, e se a sua música for capaz de inspirar pessoas, e se você tiver só o básico e ajudar quem quer aprender só o básico mesmo? Já pensou quantas pessoas podem se inspirar em você?

Tem vontade de escrever sobre autoconhecimento em um blog, em um livro? Ah tá, mas acha que ninguém vai querer ler. Você acha que suas ideias são ultrapassadas e não servem para ninguém? Mas, e se nesse exato momento, existir alguém que precisa muito ler ou ouvir o que você tem para dizer? Você já pensou que agora, alguém desconhecido pode precisar daquele seu pensamento, daquele texto lindo ou daquela poesia que você escreveu e deixou dentro da gaveta? Sim, você pode ajudar, você pode ter uma linda missão, que nem sempre tem haver com algo imenso, grandioso, às vezes é um trabalho simples, mas que pode ajudar muita gente.


Esses foram só alguns exemplos, mas você pode encaixar nas linhas acima, os sonhos que você tem sonhado, mas não tem tido coragem de começar porque está sempre achando que o mundo está saturado, que você não vai ter público, que você não vai ter clientes, que vão te julgar. Porque você não esquece um pouco tudo isso e começa. Quanta coisa boa essa mente pode criar e continua parada na inércia do medo, do julgamento. Quantas coisas boas essas mãos abençoadas podem fazer, artesanato, pães, bolos, música, penteados, maquiagem, mas você continua deixando as suas mãos algemadas pelo medo.

Que tal criar coragem e começar agora?

Há um ano atrás, eu criava este blog, e eu tinha muito medo, medo de me expor, medo de falar sobre o meu trabalho como terapeuta floral, medo de que as pessoas não gostassem do que eu escrevo. Mas, eu fiz, e eu estou aqui, escrevendo pra você hoje, feliz com meu blog, feliz com os resultados que alcanço com ele, feliz com os comentários que recebo. Os bons que mostram que eu estou no caminho e os não tão bons mas que me ajudam a melhorar.

Então eu te convido a não ter medo, viva o seu sonho! Comece agora!


Um abraço bem carinhoso para você!!!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

A decepção te liberta?

Você já se decepcionou?
Certamente sim, nessa longa estrada da vida, não há como viver e não se decepcionar. Uma das coisas que aprendi é que a decepção não é algo ruim, a percepção da decepção tem muito haver com a maneira que você encara a situação. Só vai se decepcionar quem aceitar a missão de viver plenamente, porque se você tem medo de se decepcionar, você não vive amigo, lamento te informar, mas você está vivendo como um zumbi, no melhor estilo “Guerra Mundial Z.”

Portanto, a vida só poderá ser vivida plenamente se você perder o medo de se decepcionar. Eu percebi depois de sofrer longos anos com medo da decepção, que na verdade decepcionar-se implica em libertar-se, sim, quando você se decepciona com alguém ou com alguma coisa (geralmente é alguém, hahaha) você se liberta, você cai em si e sai do circulo vicioso que esta relação se transformou.


Mas, você pode ler estas palavras e pensar:

“Eu não aguento mais sofrer, não quero me decepcionar novamente.”

Ninguém quer sofrer, ninguém quer se decepcionar, mas vida e sofrimento andam lado a lado. Tem um ditado que diz “A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.” Diante de tantas coisas que aconteceram e acontecem na minha vida, eu tenho percebido que isso é realmente verdade. Você sempre terá uma escolha, e você será responsável por ela.

Quando você tem medo de se decepcionar, você não é livre porque você não é você mesmo, você encena um papel, você tem medo de revelar suas dores e seus medos, porque isto te fragiliza e te deixa muito vulnerável a uma  nova decepção. Você coloca uma máscara, e quando usamos máscaras criamos um teatro que definitivamente não podemos chamar de vida, Certo? É claro que quando você aceita que a decepção faz parte da vida, você irá sofrer, chorar, achar que está macumbado, rsrs. Eu já ouvi esta frase mil vezes e já disse também, hahaha.

“Nossa, quanta decepção, nada dá certo, acho que estou macumbado.”



Mas, quando você tira este monte de pensamento insignificante da cabeça, confia em Deus, confia no potencial que Deus te deu, o que você vê?

Você vê alguém que se libertou, alguém que deu o próximo passo rumo ao crescimento, alguém que se decepcionou, mas continua em pé, alguém que sangrou, mas cicatrizou. É ou não é?

Portanto, da próxima vez que você se decepcionar, não encare este fato como o fim do mundo, não caia na maldição da comparação, não se sinta inferior, sinta-se em liberdade. Você foi liberto de uma situação que te oprimia, sabe por que eu afirmo que esta situação te oprimia? Por que quando alguém vai nos decepcionar, o comportamento dessa pessoa já mostrava de antemão que isso aconteceria, mais cedo ou mais tarde, você só não quis perceber. E tá tudo certo, todo mundo já fez isso alguma vez na vida, preferir fechar os olhos diante do óbvio e viver o autoengano, mais normal do que parece, muito comum no meio em que vivemos, e isso não é defeito, é do ser humano, nós queremos ser amados, mesmo que esse amor seja de um jeito torto.



Da próxima vez, que você se decepcionar, repita para você mesmo:

“Ok, eu me decepcionei, talvez eu tenha falhado em enxergar o que era óbvio. Talvez a doçura da ilusão tenha me cegado, mas hoje, eu posso ver onde falhei, posso visualizar onde quero chegar, me permito sonhar e acreditar que novos dias virão. Me sinto feliz por ter percebido o meu engano, e agora me sinto apto a corrigir a minha visão e expectativas sobre o fato. Agora eu sinto decepção, mas junto dela também sinto a libertação.”

É isso, corrigir o olhar sobre a situação ajuda a enfrentar os desafios diários com mais serenidade. Confie mais em você. Mantenha-se mais positivo. Não se deixe abater excessivamente pelas expectativas que você mesmo criou.

Recadinho: Se você quiser fazer terapia floral online (Florais de Bach), eu atendo por e-mail, é só enviar uma mensagem para angelicadiniz9@gmail.com, e eu te explico como os florais de Bach podem auxiliar a sua caminhada.


Um grande abraço!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Música e reconexão

Eu já escrevi aqui no blog sobre o poder na música no auxílio do tratamento da ansiedade (clique aqui para ler o post). Peço desculpas a você leitor, porque este post sobre música e ansiedade desconfigurou um pouco e eu perdi algumas imagens, mas o texto continua intacto na íntegra.

Você já sentiu como a música tem o poder de mudar nosso estado vibracional. Eu seleciono algumas músicas para ouvir durante o dia de acordo com o que eu estou sentindo. Algumas vezes, prefiro ouvir piano e violino, outras Beyoncé e Lady Gaga, rsrs. Mas na grande maioria das vezes, utilizo músicas para relaxamento, sons da natureza, e algumas vezes me lembro de uma querida amiga que dizia que não aguentava mais o marido dela ouvindo pingo de chuva, rsrs, ela é muito agitada e ele mais calmo, eu achava graça, porque adoro ouvir barulho de chuva, seja natural ou gravado. 

Como eu gosto de compartilhar com você leitor, coisas novas que aprendo, esses dias eu aprendi a silenciar para ouvir uma música, e sentir como os sons poderiam ajudar na minha reconexão.



Mas, o que seria se reconectar?

Sabe aqueles dias que você fica nervoso, sem ânimo, triste, entediado? Nestes dias você se desconectou de você mesmo, se perdeu no meio da bagunça do mundo, a sua visão se embaçou pela dúvida, pelo medo, pela fúria ou pela incerteza de um dia ruim. Nessas horas, ao invés de maldizer Deus e o mundo que tal entrar em sintonia novamente com a sua essência perfeita, a música pode ter um papel fundamental neste aspecto. Foi indicada para mim uma coletânea de músicas do compositor canadense Dan Gibson. É muito difícil achar CD do Dan Gibson no Brasil, mas você consegue acessar pelo youtube ou até baixar algumas músicas gratuitamente.

Como você irá fazer:

Conecte o seu computador ou celular ao vídeo que estará no final do post. Feche os olhos. Ouça a música, e vá silenciando o seu coração. Toda a mágoa, todo o medo, toda a dúvida, vá dissipando todos esses sentimentos de acordo com os sons que você ouve. Abra o seu coração, e se reconecte, você consegue. E se der vontade de chorar, não tem problema não, chore. Deixe as lágrimas limparem toda a confusão que se encontra dentro de você.



Além, desse vídeo do Dan Gibson, eu vou deixar para você, mais duas músicas de um cantor norte-americano que gosto muito, eu até já coloquei algumas músicas dele aqui no blog. Ouça as canções, eu sempre ouço Warren Barfield quando estou preocupada, e por algum motivo, fico mais calma ao escutar. Depois se você se sentir bem, me escreva se quiser, para eu saber se esse exercício de reconexão está te ajudando também. Esse exercício tem me ajudado muito, por isso, resolvi compartilhar com você.


Um abraço!


Dan Gibson - para o exercício que sugeri


Warren Barfield - Whisper to me 
para você se acalmar (para mim funciona)


Warren Barfield - Somewhere tonight


terça-feira, 23 de maio de 2017

Quando o outro é meu espelho

Você já se sentiu muito incomodado com o comportamento de alguém?
Você já sentiu desconforto perto de alguém?
Alguém de alguma forma te irrita profundamente?

Provavelmente, você deve ter respondido sim para pelo menos uma das três perguntas. Uma coisa que eu tenho observado desde que comecei a meditar e silenciar a mente é que muitas das coisas que me incomodam nas outras pessoas, também fazem parte do meu comportamento, de uma forma menor ou maior, a grande sacada de tudo isso, é que antes eu não percebia que muitas vezes, eu tinha a mesma atitude.

Neste momento, eu te convido a refletir sobre a seguinte frase:

“Tudo o que nos irrita nos outros pode levar a uma melhor compreensão de nós mesmos.” Carl Jung



Então, pare agora, e silencie o ego. Pense o que tem te irritado, incomodado, te deixado desconfortável. E então, pense, será que de certa forma, você também não tem a tendência de ter um comportamento semelhante àquele que te incomoda? Muitas vezes, o outro nos incomoda porque ele funciona como se fosse um espelho refletindo na sua cara todos os defeitos que você não admite que tem, e faz questão de esconder.

A vida é extremamente sábia, cedo ou tarde, ela colocará em seu caminho pessoas que farão com que você olhe para esses defeitos, mas é preciso que você não esteja identificado com o seu ego para poder perceber que a vida está te dando uma oportunidade de melhorar, ao invés de repetir como um papagaio, que o outro é culpado, o outro, o outro, mas e você, quando vai assumir o seu papel nessa história.

Vou te contar algo muito particular que aconteceu comigo esses dias. Eu já estava tendo a percepção de algumas coisas semelhantes no meu comportamento e que eu odeio nas pessoas. Então, não sei por qual motivo, a minha mãe começou a me tratar um pouco mal, ela usou comigo algumas palavras em tom mais ríspido e disse que naquele dia, eu estava falando demais, e continuou sendo ríspida. Eu fiquei muito chateada, pensando, porque será que ela está me tratando assim? Ela estava chateada, preocupada, e eu sabia que não era comigo. Pois bem, sentei na minha cama, e fiquei repetindo para mim mesma:

“Nossa, porque me tratar assim, com essa rispidez, logo eu a filha perfeita (olha o ego fazendo o desserviço, rsrs). Dizendo que eu estou falando muito. Respondendo em tom de cansaço, sem vontade, nervosa.”



Imediatamente, o seguinte pensamento veio à minha mente:

“Você faz a mesma coisa com o seu pai. Tudo bem, ele tem problemas com álcool e cigarro, mas isso não te dá o direito de ser ríspida com ele o tempo todo.”

Neste momento, senti o frio do balde de água fria caindo na minha cabeça, o coração até acelerou. Minha mãe refletia para mim um comportamento que eu tenho com meu pai. Às vezes, mesmo quando ele não bebe, e me pergunta algo, eu sou muito ríspida, ou digo, que ele fala demais, que eu não aguento mais tanta falação e por ai vai.

Então, percebi que minha mãe refletiu aquilo que eu sou com meu pai. Agora, você imagina o quanto eu tenho me policiado para não ser tão ríspida com ele sem necessidade. Quando ele me pergunta algo, eu tento responder tranquilamente, sem ficar fazendo careta, rsrs. É um exercício diário, e bem difícil. Mas, faz parte do meu crescimento como pessoa, e eu gosto de perceber o quanto eu estou amadurecendo e mudando, mesmo tendo que encarar o meu reflexo no outro.

Eu espero que você tenha entendido o que eu quis dizer. Quando nós enfrentamos uma situação é bem mais fácil culpar o outro, pode até ser que o outro também tenha uma parcela de culpa, mas nunca essa parcela será de 100%, pode avaliar com carinho que você terá uma parte nessa porcentagem também. Mas, é o que eu falei anteriormente, se você estiver muito identificado com o ego, essa percepção é extremamente difícil, ela vai se tornando mais fácil conforme você vai tendo consciência de si mesmo, então, as respostas vão chegando devagar, te dão algumas bofetadas, dá uma vontade de tapar os ouvidos e fechar os olhos, mas eu te pergunto, você não quer melhorar como ser humano? Se você está lendo este texto até o final, provavelmente sim, você quer se entender, você quer ser melhor. Então, comece agora. Não perca tempo, invista em você, no seu crescimento. É tão bom se encontrar com você mesmo. Comece silenciando a mente por 5 minutos, todos dias, feche os olhos, pode ser antes de dormir. Antes de orar. Uma das coisas que tenho percebido também, é que me aproximei mais de Deus quando passei a fazer isso, antes de iniciar uma oração, eu fico respirando em silêncio de olhos fechados de 2 a 5 minutos, e parece que tudo muda, a percepção é outra.

Se você ficou com alguma dúvida, pode me escrever, é só clicar no link contato no menu, e me enviar um e-mail, se eu puder responderei a sua dúvida. E se quiser fazer terapia floral online, é só me enviar um e-mail também, que eu te explico como funciona.


Um grande abraço!

terça-feira, 16 de maio de 2017

Você tem se posicionado em sua vida?

Quando nós falamos em posicionar-se, algumas vezes, imaginamos situações onde devemos defender a nossa opinião com unhas e dentes, e não devemos de maneira alguma rever alguns pontos neste posicionamento.

Porém, posicionar-se, é na verdade, observar uma situação, e então emitir sobre ela o seu parecer, que pode ser adequado ou não, mutável ou não, de acordo com o seu momento de vida e de autoconhecimento. O grande problema em se posicionar vem justamente do nosso medo em relação ao o que os outros irão pensar de nós caso tenhamos assumido a nossa opinião sobre determinado assunto. O medo de se posicionar gera um sentimento de rejeição, ou seja, caso o seu posicionamento seja diferente dos demais, isso pode gerar um sentimento de exclusão, de achar que a sua opinião ou a sua posição é errada.



Neste aspecto, é muito importante avaliar o assunto sobre o qual você irá se posicionar. Mas, lembre-se, livre-se do medo, pois ele consegue paralisar até pessoas dotadas de extremo conhecimento e inteligência, que muitas vezes, acabam sendo arrastadas pelas situações que não suportam porque não tiveram a coragem de se posicionar diante de uma situação que exigia uma posição concreta.

Se você vem vivenciando algo semelhante em sua vida, aturando uma situação que já não suporta por medo de se posicionar, por medo de que as pessoas não entendam, por medo de ser excluído, pense um pouco mais no que você vem negligenciando em sua vida agindo dessa forma. Quando você sente medo das outras pessoas, você diminui o seu verdadeiro valor, você diminui o seu potencial, você diminui a sua autoestima, e, portanto, negligencia relacionamentos mais saudáveis, negligencia a sua qualidade de vida e negligencia a sua saúde.

Lembre-se, que para se posicionar sobre determinado assunto, você não precisa ser agressivo, na verdade, você só precisa explicar os seus motivos. Preste atenção em como você está se sentindo por não se posicionar adequadamente em seu relacionamento com amigos, cônjuge, colegas de trabalho. Que sentimentos esta falta de posicionamento têm causado em  você? É importante avaliar como você está se sentindo, para saber, que você é alguém muito importante e não precisa se diminuir ou temer os outros o tempo todo. Você precisa somente se posicionar com respeito a si mesmo e ao próximo, e as coisas irão se encaminhar da melhor maneira.



Comece agora a se posicionar, diga o que você pensa, como você se sente. Podem entender e podem não entender, é um risco que corremos ao assumirmos a nossa postura. Talvez, você ainda sinta um desconforto em relação aos olhares alheios, mas não se olhe com o olhar do outro, se veja com os seus próprios olhos, sinta o que você vibra no coração neste momento. Dê a você o presente de estar presente na própria vida, hoje e sempre. Então, se posicione, com carinho e respeito sempre!!!


Se você tem interesse em realizar terapia floral online, eu atendo via e-mail, é só clicar aqui para saber como funciona. Um grande abraço e uma ótima semana!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Eu me sinto perdido e não consigo me encontrar profissionalmente

Se você leu o título desse post e se identificou com ele, bem vindo ao clube, meu amigo.
Vou te contar algo que aconteceu comigo, e acho que a minha experiência pode te auxiliar. Semana retrasada, um pouco antes do feriado de 1º de maio, eu passei muito mal. Pelos sintomas que tive acho que sofri de uma toxinfecção alimentar daquelas bravas. Acabei ficando em casa, porque não dava para trabalhar, o negócio foi punk.

Durante os dias que eu estava em casa, eu comecei a me sentir um pouco deprimida, e para piorar cismei com uma foto minha do dia da minha formatura do curso Técnico em Alimentos que fiz há 12 anos atrás. A minha mãe pegou a foto que estava em um álbum e colocou no porta-retrato em meu quarto. Nesta foto, eu estou muito feliz e sorridente, eu estava muito feliz mesmo na época. Com vários sonhos, feliz porque tinha terminado um curso que achava muito legal, a foto é realmente muito bonita, mas, ao ficar olhando para aquela foto de anos atrás, eu acabei sentindo tristeza, tristeza em relação às escolhas que fiz, tristeza por não estar onde sonhei que estaria naquela época, e caí no choro. Acho que estar debilitada fisicamente também ajudou.



Então, eu comecei a me sentir perdida, nada mais parecia fazer sentindo. As escolhas passadas, as escolhas de agora estavam todas embaralhadas na minha cabeça. É como se eu não tivesse mais certeza de absolutamente nada. Uma confusão sem tamanho. A minha sorte é que eu tenho pessoas como minha mãe, minha irmã, minha psicóloga e florais de Bach para me ajudar. Comecei a tomar o floral Rescue Remedy.

Comecei a considerar fazer mudanças radicais na minha vida, eu pensei em abandonar um curso de terapia holística que faço, e abandonar o trabalho com florais de Bach, que é algo que eu gosto. Pensei em abandonar minha profissão de agora, que é o trabalho com alimentos, só iria terminar a pós graduação, porque agora só falta uma prova e o TCC. Sentiu o drama?. Eu queria começar novamente, fazer outra faculdade, agora em pedagogia, chutar e balde e tentar me encontrar. Mas, eu não conseguia me visualizar como professora de crianças, várias dúvidas iam surgindo, então fui conversar com a minha psicóloga.

As orientações delas foram muito válidas, e vou compartilhar com você agora.

Você pode sim mudar o rumo, mas avalie bem
Na pressa de sair de uma situação que nos oprime, acabamos dando um passo maior que a perna, achando que o sofrimento irá passar no exato momento que jogarmos tudo para o alto. Não é que seja errado mudar, mas é que às vezes, nós estamos nos sentindo tão confusos que parece que qualquer coisa irá colocar fim no sofrimento. O melhor nessas horas, é avaliar bem cada alternativa, se depois de se colocar na nova situação, você sentir que é isso mesmo, vá em frente, se houver alguma dúvida, espere mais um pouco.



O que você realmente gosta
Eu estava tão confusa, que estava pensando em largar um curso maravilhoso que estou fazendo na área de terapias holísticas e acupuntura. Quando fui questionada se eu realmente gostava disso, a minha primeira resposta foi sim. Então, lá no fundo, a gente sempre sabe o que nos deixa mais felizes, só que as dúvidas sobre o rumo das coisas acabam gerando ansiedade e desconfiança. A pressa em acelerar os processos acaba nos deixando ansiosos, e como o resultado não é imediato, a vontade de desistir de tudo aparece. Então, considere o que você realmente gosta de fazer e tenha paciência.

O que te falta é motivação
Sim, muitas vezes, a vida ando meio paradona, e isso me deixa completamente desmotivada, principalmente com o trabalho. Quando você não enxerga muita mudança, e se sente paralisado é comum que dúvidas surjam em seu caminho, então dúvidas como “Será que fiz a escolha certa?” podem te balançar e te deixar confuso. Nessas horas, talvez seja necessário começar a investir na mudança, que pode ser radical ou mais branda. Procure os motivos pelos quais você anda desmotivado, converse com pessoas que podem te ajudar a entender esse processo. Antes de sair gritando pelado por ai, rsrs, analise o que realmente está acontecendo, e tente ir atrás de desafios novos.

Esses foram alguns tópicos da nossa conversa, mas foi muito bom, porque me auxiliaram a estabelecer novas metas, a ir em busca do que eu realmente acredito, e não deixar que a baixa autoestima tome conta, senão, tudo vira um furdunço sem fim. Se você não conseguir se achar sozinho, procure ajuda, existe muita gente capacitada para te ajudar, pode ser através de um texto na internet, em um vídeo do youtube, um psicólogo ou terapeuta holístico. Vá atrás, saia da inércia, não tenha medo das respostas.


Durante este processo, eu tive auxílio de várias pessoas e também tomei o floral Rescue Remedy, e continuo no caminho. Se você está se sentindo desanimado com sua vida, com o rumo das coisas, esse floral dá um up, ele faz com que você perceba as coisas com mais calma, ajuda a desestressar, e assim, você cria coragem para ir em busca dos seus sonhos novamente, com serenidade e paciência.