quinta-feira, 7 de junho de 2018

A principio, a gente só enxerga a superfície


O que você conclui quando acaba de conhecer uma pessoa?
Quais são as suas primeiras impressões? Negativas? Positivas?
É sempre bom termos calma ao conhecer pessoas, sabe por quê?
Porque de início, a gente só enxerga aquilo que está na superfície.


Para manter o equilíbrio, e não correr o risco de descartar pessoas, ou ainda, confiar muito prematuramente, que tal você olhar para as pessoas como se elas fossem o oceano. Quando você vai para a praia e pisa os pés na areia, o que você vê de imediato? Você vê a superfície do mar, vê as ondas quebrando, vê as pessoas se divertindo. Você não vê o fundo. Você não vê aquilo que está escondido nas partes mais profundas. E o oceano não é só a sua superfície. Ele é também sua profundidade, ele é formado de seres belos e cores, mas também de seres perigosos e estranhos. Assim, são as pessoas. Se você foca só na superfície, as chances de se enganar são grandes.


Por isso, é preciso ao conhecer alguém, não concluir tão apressadamente quem é essa pessoa. Quando você conhecer alguém, se você sentir que está muito apressado ao simpatizar e muito apressado ao odiar, faça esse exercício, imagine essa pessoa como o mar, o que você está vendo de imediato é só a superfície. Chegue mais perto, observe, permita-se mergulhar um pouco nessa pessoa. Ainda assim, você corre o risco de se enganar, mas esse risco, agora é um pouco menor se você estiver consciente. Depois, você pode tirar conclusões, agora sim, baseadas em uma percepção calma. Em um olhar livre de preconceitos causados por primeiras impressões e afins. Essa pessoa pode ser um mar claro e límpido ou um mar poluído e sujo, e nem sempre isso nos é mostrado prontamente.

Nunca julgue de imediato. Se acalme para mergulhar no mar. E aí, pronto para o mergulho?

Leia este post mais antigo que ajuda a complementar a ideia do post de hoje ;) - clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário