quinta-feira, 7 de julho de 2016

Manter-se em movimento



“A vida é como andar de bicicleta. Para ter equilíbrio você tem que se manter em movimento.” Albert Einstein
 Woman Riding Bicycle

Eu terminei a faculdade de Farmácia e Bioquímica em 2013, depois de passar 4 anos estudando e mais 1 ano fazendo estágio, eu só pensava em “puxar a palha”, dar uma descansada. Não queria saber tão cedo de estudar novamente, dos cursos de inglês, enfim queria ficar sossegada.


Mas, logo eu comecei a sentir um incômodo, pois eu tenho a tendência de me tornar um ermitão, escondido na sua concha, cada vez mais recolhida, de casa para o trabalho do trabalho para casa. Só que esta rotina estava me deixando infeliz, eu às vezes ficava sentada no sofá pensando no quanto a minha vida estava monótona, então eu começava a divagar sobre as minhas escolhas, profissionais, pessoais, e vários questionamentos começaram a surgir na minha mente em polvorosa. Então, num lapso eu me matriculei em cursos que não tinham nada a ver comigo, fiz matrícula em um curso de massagem terapêutica, não gostei, depois troquei de curso, fui fazer estética facial, e achei muito chato, apesar dos dois cursos terem começado com aulas de anatomia humana, uma disciplina que eu amava na faculdade, eu não tinha um propósito com aqueles cursos. 
 Chuva, Crianças, Triste, Entediado, Vista, Janela

Então, eu me fiz uma pergunta: “Eu estou fazendo este curso por quê?” Eu não tinha resposta, não havia uma empolgação, não havia um propósito. Eu desisti. Estas desistências me deixaram triste, porque eu não queria fazer aqueles cursos, mas ao mesmo tempo, eu me sentia estagnada, parecia que meu pé tinha ficado preso no freio e eu não conseguiria sair mais do lugar.


Nesta altura do campeonato, eu já tinha desistido de três cursos e das aulas de yoga, chegava em casa, tomava banho, jantava, e ia assistir TV, quando enjoava, ia ler algum livro. Foi quando a inércia começou a tomar conta da minha vida. Um dia conversando com minha mãe, eu disse para ela que eu já não fazia nada que eu gostasse, eu estava vivendo no piloto automático. E ela sabiamente me respondeu, que eu dava desculpas, como  a falta de dinheiro só para poder postergar as coisas, que no fundo talvez eu não quisesse sair da zona de conforto e da reclamação de “Ó céus, ó vida”.
 mountains, nature, girl

Uma lampadazinha acendeu na minha mente, e talvez realmente eu estivesse confortável naquela situação, era bom dramatizar, lamentar que só eu trabalho, meu dinheiro não dá para nada, eu não tenho pra onde ir, vou ficar em casa assistindo novela. Então, eu pensei o que eu realmente gosto de fazer? Foi então que resolvi me matricular na pós-graduação, na minha área de atuação, quando começaram os primeiros trabalhos, eu vi que eu realmente gosto de escrever sobre DTAs (Doenças transmitidas por alimentos), eu gosto de estudar os tipos de bactérias que podem contaminar um alimento, eu amo ficar lendo rótulos de produtos alimentícios, analisando se as informações atendem a legislação. Eu resolvi também voltar a praticar yoga no Espaço com uma professora, eu amo yoga, ela mudou minha forma de pensar, eu me perguntei por que eu parei? Eu resolvi também criar o blog, porque adoro escrever sobre autoconhecimento, gosto de aprender coisas novas sobre este assunto. 
 people, coffee, working

Eu voltei a me movimentar e deixar a inércia de lado, e percebi que eu me sinto mais feliz quando minha mente está ocupada, quando eu tenho objetivos, eu notei que não faltar às aulas de yoga, em me desafiar a realizar um bom trabalho na pós-graduação, escrever no blog é muito gratificante. Quando eu tiro uma boa nota em um trabalho, em uma prova, ou quando eu aprendo alguma coisa em uma conversa com alguém, eu vejo que vale a pena se esforçar, se manter em movimento constante, parar de postergar. Às vezes, o que estamos fazendo, é dando desculpas esfarrapadas para não crescermos, para não sairmos da zona de conforto. Estabelecer metas e propósitos pode nos ajudar a nos manter em movimento.
 Silhouette of 4 Women With the Background of Birds Flying Under Yellow and Grey Sky
Quais desculpas você tem dado aos seus sonhos, aos seus projetos, aos hobbies que você abandonou? Porque se até a Terra gira e está em constante movimento, por que você, meu amigo, que mora dentro dela está parado? Pense nisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário