segunda-feira, 25 de julho de 2016

Quando arriscar e quando recuar: uma questão de bom senso



“Pobre de quem teve medo de correr os riscos. Porque este talvez, não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho a seguir. Mas quando olhar para trás – vai escutar seu coração dizendo: “O que fizeste com os milagres que Deus semeou por teus dias? O que fizeste com os talentos que teu Mestre te confiou?" Enterraste fundo em uma cova, porque tinha medo de perdê-los. Então, esta é a tua herança: a certeza de que desperdiçaste sua vida.” – Paulo Coelho


Quantas vezes em sua vida, você perdeu inúmeras oportunidades por medo de arriscar? Provavelmente, você deve ter respondido algumas vezes, poucas vezes ou muitas vezes. Todos nós, uma vez ou outra já recuamos ou iremos recuar diante da possibilidade de dar o primeiro passo em algo que consideramos importante para nós. Muitas vezes, esse recuo está ligado ao medo da decepção, ao medo da rejeição, ao medo de que nada aconteça conforme você planejou.

O que eu sempre acho é que devemos ter bom senso diante de qualquer acontecimento ou oportunidade, e saber a hora de arriscar e o momento de recuar, porém isto é um exercício constante, e esse equilíbrio você só vai obter quando começar a praticar e se conhecer. Eu era uma pessoa muito medrosa, tinha os medos que citei acima, medo da decepção, medo da rejeição, entre outros, e sempre ficava olhando para trás melindrosa, sonhando com o que poderia ter sido e não foi.


Com o tempo, eu aprendi que nem sempre as coisas serão como eu planejei, e isto é normal, a dor da rejeição, da decepção passam. Parece o fim do mundo, mas não é. A sensação de sentir aquele alívio de “pelo menos eu tentei” é indescritível, mesmo que nada tenha saído conforme você tenha planejado. O universo está sempre conspirando ao seu favor, sempre ele estará cheio de oportunidades todos os dias, e nós estamos aqui para correr atrás delas, algumas escapam, é verdade, e nunca mais voltam, outras aceleram e fogem, mas em um determinado momento elas desaceleram e chegam nas suas mãos na hora certa.

Você precisa olhar com amor para o que você perdeu, olhar com amor para o que você quer alcançar, e deixar fluir. As decepções fazem parte da vida, e se nós não as sofremos, nós não crescemos, eu já me decepcionei quando me arrisquei em algo na minha vida, e tenho certeza que também já fui e sou fonte de decepção para outras pessoas. As coisas não precisam e não vão dar certo todo o tempo, existem outras formas de ser feliz, outras pessoas para conhecer, outras atividades para as quais se dedicar. Há uma infinidade de possibilidades quando você se arrisca, mas se você ficar no “e se”, nada anda, empaca, mas se você não tiver bom senso, ao se arriscar você também pode empacar, tentando fazer aquilo dar certo a todo custo, para não ter que lidar com a frustração.


O “não” pode ser libertador, e você fica com medo dele? Receber um “não” da vida, muitas vezes faz você mudar a rota, e depois de um tempo você percebe que aquela mudança no caminho foi em boa hora, e percebe também que foi chato receber uma resposta negativa justo quando você resolveu tentar, oras, mas também foi libertador, é hora de mudar a rota capitão. É então que entra o bom senso, devo continuar insistindo ou parar de tentar? É isso, que eu percebo que muitas pessoas ainda não desenvolveram, arriscar e sempre tentar algo novo na vida é muito bom, mas tem uma hora que devo recuar, deixar, usar o bom senso. Você já viu uma flor chamada dente de leão, é uma das minhas flores preferidas, eu sempre imagino as coisas que não deram certo na minha vida como o dente de leão voando com o soprar do vento, elas podem ir e voltar, mas podem encontrar um novo terreno e ali crescerem longe da minha perspectiva, que possam no caminho escolhido prosperar e florescer.


Não tenha medo de arriscar, não tenha medo de dar o primeiro passo, não deixe que o orgulho e o ego tomem as decisões na sua vida. Você corre o risco de se decepcionar ao dar o primeiro passo, sim você corre, mas é aquela história, o não você já tem, não é mesmo? Mas saiba também a hora de deixar ir, de desapegar, o que não deu certo sopre como florzinhas de dente de leão ao vento, o que deve ser seu, o vento soprará de volta, o que não deve ser seu, ele soprará para longe. Deixe que as flores cresçam em outros canteiros, só assim o vento trará novas sementes para brotar também no seu coração.


Saiba a hora de dar o primeiro passo, e saiba também a hora de recuar, de deixar ir.


Dica de floral para medos concretos: Mimulus

Nenhum comentário:

Postar um comentário