segunda-feira, 5 de junho de 2017

Um curso em milagres – Uma frase

Como vocês sabem, eu gosto sempre de ter um livro de cabeceira que antes de dormir ou no tempo livre durante o dia eu dou uma lida. Eu terminei o livro “Nutrindo seus sentidos” da Laura Pires semana passada (clique aqui para ler a resenha) e acabei não tendo nada novo para ler, e como não posso comprar agora, resolvi reler um livro que comprei faz mais de um ano. O livro chama-se “Milagres já” da Gabrielle Bernstein. Assim que eu reler, e fizer umas considerações importantes, eu falarei dele aqui no blog, mas já adianto que é um livro ótimo.

O livro “Milagres Já” cita algumas frases de um outro livro chamado “Um curso em milagres”. Eu fiz download do livro digital há cerca de um ano atrás, e acabei não me interessando muito por este livro, ele é bem complexo, tem quase 1000 páginas, parece uma bíblia de tão extenso. Eu comecei a ler e parei, mas ontem relendo o livro “Milagres Já” acabei tendo vontade de voltar a ler “Um curso em milagres”.

O livro “Um curso em milagres” é um livro de estudos sobre espiritualidade. As reflexões que o livro faz expõe a necessidade de seguir o caminho da paz e do perdão, propõe que nós relembremos de Deus e do papel do Divino em nossas vidas e em nós mesmos. O livro usa uma linguagem cristã, referindo-se a Jesus Cristo, na grande maioria das vezes, porém pode ser utilizado por pessoas de qualquer religião ou crença, ele não irá pregar nenhuma religião, então se isso lhe incomodar, fique despreocupado(a), mas é preciso estar com a cabeça aberta e talvez, assim como eu, há um ano atrás, hoje você não se interesse tanto por ele, mas quem sabe lembre-se dele anos depois, porque o momento de leitura também tem haver com nosso momento de vida, tudo há seu tempo. Ele foi escrito pela psicóloga americana Helen Schucman e seu colega de trabalho William Thetford. Dando uma lida breve nele esta manhã, me deparei com passagens lindas que há um ano atrás eu não enxerguei. Engraçado isso, como o nosso olhar pode mudar.
Eu li a seguinte frase:

“Eu sou responsável pelo que vejo. Eu escolho os sentimentos que experimento e eu decido quanto à meta que quero alcançar. E todas as coisas que parecem me acontecer eu as peço e as recebo conforme pedi.” UCEM

Vamos analisar por partes?

“Eu sou responsável pelo que vejo.”

Como você tem enxergado a sua vida? De uma forma alegre, natural, simples? Ou de uma forma mórbida, um peso, algo muito maçante e sem significado?
Você pode até me questionar sobre a psicologia positiva. Porque à primeira vista enxergar que tudo o que acontece tem também um lado positivo e um aprendizado é bem estranho. E eu concordo com você, porque você pode ter passado por coisas inimagináveis para a minha mente, por dores que você ainda não compreende como pode estar vivo(a). Mas, chega uma hora que é necessário escolher deixar de sofrer e ser responsável por como você enxerga suas dores, como você modifica essa dor. Como você trabalha a sua visão de mundo. O meu exemplo é muito simples, mas quando eu comecei a sofrer de transtorno de ansiedade, eu achava que iria morrer de um ataque cardíaco, que iria vomitar em cima das pessoas de tanta ansiedade. Eu chegava em casa e chorava horas porque eu não conseguia trabalhar sozinha aquele monte de sentimento. Foi nesse momento que eu ajustei a minha visão, a vida me convidava para o combate não dava para ficar parada, sofrendo.


Eu fui ler sobre o assunto, comprei livros, marquei consulta com uma psicóloga, fiz novena contra ansiedade, rs, me matriculei na yoga, usei florais de Bach, fiz acupuntura, e estou aqui, mudei a minha visão, agora eu sou responsável pelo que vejo. Ah sim, como você eu também sofro, já perdi pessoas queridas na minha família, sofri por medo, já chorei por me achar inadequada, já achei que não me encaixava, mas mudei o olhar, e hoje consigo enxergar tudo de uma forma diferente, e estou aqui, melhor, mas muito melhor que antes, e grata a Deus por tudo isso, porque o eu de hoje já é completamente diferente do eu de ontem, sempre aprendendo, que bom.
Tente você também, ajustar as lentes sobre as situações da sua vida, procure ajuda, um psicólogo, um terapeuta, um orientador. Sente-se em silêncio e medite. Escute a voz de Deus, a sua consciência, ou sei lá, se você não acredita em nada disso, escute mesmo assim, as respostas virão. Você tem o poder de escolher, ele está ai dentro de você.

“Eu escolho os sentimentos que experimento e eu decido quanto à meta que quero alcançar.”

Ficou com medo, com vergonha? Transforme em aprendizado. Não escolha se sentir inferior a ninguém. Todos nós estamos nivelados igualmente por Deus. Ninguém é mais ou menos. Você pode ter um cabelo mais bonito, um nível intelectual melhor, mas lá no fundo, isso só vai nos diferir aqui na Terra, na lei do ego e dos homens, no mais nós somos iguais. Não escolha sentimentos ruins para cultivar no seu coração. Escolha sentimentos bons. Pense em coisas boas, mesmo em dias nublados, faça um esforço. Dia após dia. Quando alguém te magoar, te colocar para baixo, olhe para essa pessoa e ore por ela, mande energias positivas. Mude a sua vibração, escolha o que é melhor para você, passe por cima da tralha e crie coisas novas. Eu te adianto, que não é fácil, mas pode ser um passo por vez.
Vá em busca do que você quer, tente, se não der certo, é porque não era para ter sido, bem simples assim mesmo. Fica o aprendizado para a vida, para fazer de uma outra forma, por que não?

“O fracasso é do ego, não de Deus.” – Do livro “Um curso em milagres”


“E todas as coisas que parecem me acontecer eu as peço e as recebo conforme pedi.”

Você precisa pedir, e fazer acontecer. Precisa focar no que quer, pedir, visualizar, fazer a sua parte e entregar. E então, o que você acredita que merece? Pelo o que você tem batalhado? Você tem lutado pelas suas metas se comparando aos demais? Achando que merece o mesmo que os outros? Que seu pedido, que seu sonho não é possível? Ás vezes, as coisas demoram um pouco para chegar na vida da gente, mas quando chega, e você olha a sua caminhada e seu aprendizado, você diz para si mesmo(a), ainda bem que demorou, pois agora consigo viver tudo o que pedi e tudo pelo que batalhei com plenitude e consciência. Olha que legal. Já pensou se você tivesse conseguido aquele carro, quando vivia para a bebida, você poderia ter se acidentado, morrido. Hoje, mais consciente você desfruta do carro com mais sabedoria. Se você tivesse conquistado aquele amor quando era imaturo(a) teria sido um desperdício, mas hoje você consegue enxergar que vive o amor mais calmamente, com mais sabedoria, mais tranquilidade, então que bom que demorou, hoje você é outro alguém.

Está vendo, esse livro é cheio de passagens muito bonitas que nos fazem refletir acerca do significado que estamos dando para nossa vida. Como estamos nos comportando, que sentimentos estamos cultivando, o que achamos que merecemos. Se tudo o que eu escrevi tocou o seu coração, eu fico feliz, se você achou que tudo isso é um monte de besteira, tudo bem também. Cada um tem uma escolha. Qual vai ser a sua?


Um abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário